Salário mínimo necessário dispara na pandemia e chega a R$ 6 mil

O valor do “salário mínimo necessário” medido pelo Dieese chegou a 5.969,17 reais em novembro. Para 2022, o governo divulgou que o salário mínimo será de 1.210 reais

O salário mínimo necessário para as necessidades básicas de uma família de quatro pessoas, medido mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), subiu mais de 30% desde o começo da pandemia.

No mês de novembro, o valor chegou a 5.969,17 reais, segundo os novos números da organização, e o preço da cesta básica aumentou em nove cidades, sobretudo nas regiões Norte e Nordeste.

Essa estimativa é feita com base no valor da cesta básica, segundo a PNCBA (Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos), a cesta mais cara registrada foi a de São Paulo, custando cerca de R$ 673,45 seguida pelas de Porto Alegre (R$ 672,39), Florianópolis (R$ 662,85) e Rio de Janeiro (R$ 643,06).

O valor do salário mínimo ideal supera em 5,42 vezes o piso nacional vigente, de R$ 1.100. Segundo a pesquisa o tempo médio necessário para adquirir todos os produtos de uma cesta básica, em setembro, é de 115 horas e 02 minutos, superando o mês de agosto, que era de 113 horas e 49 minutos.

Em 2022 o salário mínimo sofrerá um reajuste com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) que atualmente soma uma alta de 10,04%, elevando o salário mínimo de R$ 1.100 para R$ 1.210,44.

O reajuste do salário mínimo de 2022 bateu recorde sendo o maior reajuste dos últimos seis anos, superando a alta de 2016 quando o salário mínimo sofreu um aumento de 11,06%, subindo de R$ 788 para R$ 880.

Por Carolina Riveira Publicado em: 08/12/2021 às 12h21

Marisa Pereira