Manchete nos Jornais deste Sábado, 24 de Julho de 2021

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi para evitar apagão
ONS alerta que falta de chuvas deve fazer capacidade de geração de energia do país chegar ao limite até novembro. Apesar de não ver ainda riscos de desabastecimento, o operador indica que as “sobras” de potência —necessárias para atender eventuais picos de demanda ou garantir a estabilidade do sistema mesmo em casos de falhas eventuais na oferta— poderão se esgotar no penúltimo mês do ano. Para manter os reservatórios e o fornecimento de energia, foram gastos de janeiro a maio R$ 3,632 bilhões, ou cerca de R$ 726,4 milhões mensais, com o acionamento de usinas térmicas mais caras (fora da chamada ordem de mérito de custo) e poluentes. Esse valor é repassado ao consumidor nas bandeiras tarifárias, acionadas quando a produção de energia encarece. O sinal vermelho foi ligado após o ONS elevar a previsão de carga e considerar uma menor e mais “realista” disponibilidade térmica para atender a demanda de energia, conforme a nota técnica.

Coronavac tem alta ação contra morte de idosos
Estudo identifica alta proteção contra casos graves e óbitos entre os mais velhos; especialistas não veem necessidade de reforço agora. A Coronavac tem alta efetividade contra mortes por covid-19 mesmo entre idosos e em locais em que a variante Gama (P.1) é predominante, indica estudo que analisou dados de pacientes com 70 anos ou mais. Nesse grupo, a proteção do imunizante contra óbitos foi de 71,4%. A pesquisa também sugere que a efetividade da Coronavac pode cair entre os idosos com 80 anos ou mais – esses dados, no entanto, são preliminares. O estudo é do grupo Vebra Covid-19, que reúne pesquisadores brasileiros e estrangeiros de instituições como Fiocruz, Incor e Instituto Global de Saúde de Barcelona para avaliar a efetividade das vacinas em uso no Brasil. Ele foi publicado na plataforma Medrxiv na quarta e ainda está na fase pré-print – não foi revisado por pares. Segundo o estudo, com 43 mil pessoas em São Paulo, embora a proteção média nesse grupo populacional seja de 71,4% contra mortes, ela varia de 87,1% (no grupo de 75 a 79 anos) a 49,9% (80 anos ou mais). Os índices referem-se a pessoas já imunizadas há mais de 14 dias com a 2 dose da vacina.

Geadas em 3 Estados prejudicam cafezais
Produtores de SP, PR e MG contabilizam os prejuízos; preço dispara no mercado externo.Produtores de café arábica dos Estados de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, que abrigam algumas das principais regiões produtoras do Brasil, contabilizam os prejuízos causados por duas geadas consecutivas que atingiram as lavouras. De origem africana, o cafeeiro é sensível ao frio e, dependendo da intensidade, a geada pode até matar a planta. O governo federal tem usado imagens de satélite para dimensionar o tamanho do estrago, mas já admite o impacto na safra de 2022. O preço do café arábica disparou no mercado internacional. A saca de 60 kg, que era vendida a R$ 606 em dezembro de 2020, atingiu R$ 960 ontem em São Paulo – alta de quase 60%.

Governo não tem como pagar conta do pacotão do emprego e quer passá-la ao Sistema S.
O Sistema S é peça-chave nos planos do governo Bolsonaro de lançar um programa de estímulo à qualificação profissional e contratação de jovens e trabalhadores informais de baixa renda. Num segundo programa, o BIP de R$ 275 seria concedido para jovens com dificuldade de conseguir emprego e trabalhadores com mais de 55 anos sem vínculo formal há mais de dois anos. O problema do pacotão do emprego é que o governo não tem como pagar essa conta e quer passar a fatura para as entidades do Sistema S, que estão embaixo do guarda-chuva das grandes e poderosas confederações empresariais, como CNI, CNC, CNT e Sebrae. Uma facada de 30% no orçamento do Sistema S, que vem dos encargos adicionais pagos pelas empresas sobre a folha dos seus funcionários. As confederações não aceitam pagar essa conta, que tem um viés político eleitoreiro, já que a bolsa funcionaria com uma porta de saída após o fim do auxílio emergencial, que começou com R$ 600 e está hoje em R$ 250.

Exportações do agronegócio sobem 20,9% no 1º semestre
As exportações do agronegócio registraram alta de 20,9% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, passando de US$ 50,9 bilhões para US$ 61,5 bilhões, informou ontem o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A soja segue como o principal produto de exportação do setor, com alta de 25,3% em valor de janeiro a junho, apesar da queda de 2,2% em quantidade. A China manteve a posição de principal destino das exportações do agronegócio brasileiro, com 39% das exportações em valor no período, seguida por União Europeia (14,5%) e Estados Unidos (6,4%). Juntos, eles respondem por quase 60% do total exportado pelo Brasil. Apesar disso, dos dois grãos analisados, a soja é o único item na China cujos estoques e produção não atendem à demanda doméstica, o que sinaliza uma boa perspectiva para o produtor rural brasileiro que começa a planejar a safra 2021/2022. Já o crescimento de vendas de carnes (bovina, suína e de frango), que avançou 25,3% em valor e 17,3% em volume no primeiro semestre de 2021 frente 2020, foi impulsionado pela carne suína.

O Estado de S. Paulo

  • PIB pode crescer 1,6% com redução de IR para empresas, indica estudo
  • Prévia da inflação vai a 0,72% em julho e indica novo recorde
  • Crescem ofertas de ações com reserva antecipada
  • BTG cria parcerias para banco digital
  • Após suspender abertura de capital nos EUA, PicPay compra o Guiabolso
  • Exportações do agronegócio sobem 20,9% no 1º semestre
  • Geadas em 3 Estados prejudicam cafezais
  • Esgotamento de energia pode vir em novembro
  • Setores fazem pressão por volta do horário de verão
  • ‘Temos de passar a faca no Sistema S para o jovem carente’, diz Sachsida
  • Tesouro vê corte de impostos com ressalvas
  • Câmara elimina exigência de aval prévio para patente de remédio
  • Coronavac é 71% efetiva contra mortes
  • Órgão ambiental usa brigadista para segurança
  • Justiça ordena envio de R$ 55 milhões ao Hospital São Paulo

O Globo

  • Governo avalia excluir Simples e MEI da taxação de dividendos
  • IPCA-15 tem maior alta para julho desde 2004
  • Manchete: Ministério do Emprego terá o maior orçamento
  • ‘Temos que passar a faca no Sistema S para ajudar jovens’, diz Sachsida
  • Intervalo ideal entre vacinas da Pfizer é de oito semanas
  • Quase um ano após alta, 60% têm sintomas da Covid

Folha de S. Paulo

  • Maternidade contará para aposentadoria na Argentina
  • ‘Temos que passar a faca no Sistema S’, diz auxiliar de Guedes sobre bolsa para jovens
  • Novo ministério para Onyx ameaça tirar 85% do orçamento da Economia
  • Geada destrói plantações de café, e ministra diz que ajudará produtor
  • Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi para evitar apagão
  • Olimpíadas melhoraram indicadores sociais do Rio, afirma economista
  • Delta já domina Europa e deve predominar no mundo, diz OMS
  • Não há necessidade de dose de reforço da vacina contra Covid-19, diz secretário da Saúde de SP
  • Delta cria ‘guerra biológica’ entre variantes
  • Doença pode provocar disfunção erétil, afirmam especialistas
  • Um ano após alta hospitalar por Covid, 60% dos pacientes ainda têm sequelas
Marisa Pereira