Manchete nos Jornais deste Sábado, 23 de Outubro de 2021

67% dos reajustes salariais ficam abaixo da inflação
Alta dos preços aprofunda a redução do poder de compra do trabalhador. Quase sete em dez acordos salariais concluídos em setembro obtiveram reajuste abaixo da inflação dos 12 meses anteriores, que acumulou 10,4% pelo INPC. Na prática, isso significa que os salários encolheram ante o custo de vida. Apenas 9,5% tiveram ganho real. Foi o pior resultado do último ano, segundo o Salariômetro, boletim da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) sobre os acordos registrados no Ministério do Trabalho e Previdência.Os acertos entre trabalhadores e empresas que terminaram com o encolhimento dos salários representam 67% do total negociado em setembro. Sem compensar pelo menos a inflação do ano anterior, a remuneração encolhe.Ainda que não haja redução no valor nominal –aquilo que cai na conta do trabalhador–, o mesmo salário perde o poder de compra. Em média, os rendimentos negociados em maio ficaram 1,9% menores. Somente 9,5% das negociações terminaram em ganho real aos trabalhadores. Ou seja, tiveram reajustes superiores à inflação acumulada e, com isso, conseguiram um aumento salarial. Outros 23,5% tiveram apenas o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), de 10,4% no acumulado dos 12 meses. A recuperação econômica ainda tímida também cria condições mais desfavoráveis às negociações. O Salariômetro de setembro registra que, além de salários menores, os trabalhadores estão recebendo menos em seus benefícios de alimentação. Esses estão valendo menos, e não somente porque não repuseram a inflação. (Folha)

Analistas veem economia pior em 2022, com juros de até 11% e estagflação
Instituições financeiras subiram previsão para Selic; Guedes diz que fica no governo ‘até o fim’.Para o ano que vem, algumas instituições já estimam os juros na casa dos 10% (o Credit Suisse, por exemplo, fala em 10,5%; a XP fala em 11%), para conter a inflação. E juro maior significa uma trava no crescimento econômico – que já tinha previsões pífias, em torno de 1%, para 2022. Para resolver o impasse, o caminho encontrado pelo governo para conseguir recursos foi mudar a regra e furar o teto, em vez de cortar despesas com subsídios ou emendas parlamentares, por exemplo. Fez um acordo no Congresso para modificar a forma como o teto é calculado. E, com isso, abrir um espaço de R$ 83,6 bilhões no Orçamento. Para economistas e analistas, esse movimento, se aprovado, enterra a última barreira que existia em relação aos gastos desenfreados do governo, principalmente levando-se em conta que 2022 é ano eleitoral.A reação foi forte. Na semana, a Bolsa caiu 7,28%, o pior desempenho desde março do ano passado. Ontem, o Ibovespa fechou aos 106,2 mil pontos, queda de 1,34%. O dólar, por sua vez, subiu 3,12% na semana e fechou em R$ 5,6273. (Estado)

Mundo precisa de estratégia para transição de energia
Mundo precisa de uma estratégia de transição dos combustíveis fósseis para os renováveis. O preço da gasolina nos EUA aumentou mais de 50% nos últimos 12 meses. O preço do gás natural na Europa aumentou espantosamente, quase 500%, ao longo do mesmo período. Na Ásia, a Bloomberg News informa que empresas de energia estão comprando gás natural líquido a preços recordes na tentativa de garantir o estoque.
Na Europa, uma produtora de fertilizante em massa já foi obrigada a fechar temporariamente duas instalações na Grãbretanha por causa do alto custo da energia, e há o temor de que outras indústrias terão o mesmo destino. A U.S. (agência de informações do mercado de energia dos EUA) emitiu um alerta aos americanos para a probabilidade de pagarem substancialmente mais para se manter aquecidos no próximo inverno, especialmente no caso de uma queda acentuada nas temperaturas. (Estado)

China suspende importações, mas preço no Brasil não cai
A nova valorização do dólar ante o real pode turbinar uma nova rodada de reajustes nos preços dos alimentos, que há meses pressionam o orçamento das famílias brasileiras, especialmente as mais pobres. No mês de setembro, os alimentos comprados nos supermercados estavam 14,66% mais caros em relação ao patamar de um ano antes, segundo dados do (IPCA), apurado pelo IBGE). O dólar pressiona os preços de grãos como soja, milho e trigo, que contaminam derivados como óleo de soja, massas e panificados, assim como carnes de animais dependentes de ração, aves e suínos. A crise hídrica já vinha ajudando a elevar o custo desses alimentos, que inicialmente ficaram mais caros no atacado, mas os reajustes já chegam ao varejo. (Estado)

Cooperativa de garimpo se alça a uma das maiores do país
Vale do Guaporé opera com exigências ambientais menores, mas área a coloca entre gigantes da mineração.infoamazonia Uma dupla de ex-servidores públicos da pequena cidade de Conquista d’Oeste (MT), sem nenhuma experiência em mineração, tenta abocanhar uma área na Amazônia. (Estado

O Estado de S. Paulo

  • Petrobras quer operar na foz do Rio Amazonas
  • Em leilão, Cosan paga R$ 927mi por empresa de gás do Rio Grande do Sul
  • Setor imobiliário perde fôlego no 3º trimestre
  • Evergrande evita calote milionário com pagamento na última hora
  • Alta do dólar pode causar nova rodada de reajustes de alimentos
  • Embargo chinês derruba cotação no campo, mas carne continua cara no prato
  • Esteves Colnago vai assumir Tesouro e Orçamento
  • Guedes nega que tenha pedido demissão e diz que fica no governo ‘até o fim’
  • Manobra no teto reforça cenário de estagflação na economia em 2022
  • Analistas veem economia pior em 2022, com juros de até 11% e estagflação
  • EUA detêm 57 mil brasileiros na fronteira com o México em 12 meses
  • Integrante do Conselho do Meio Ambiente também nega consulta de ministério sobre COP
  • Pfizer defende eficácia de vacina infantil; no Brasil, há mais desafios
  • Viagem Brasil-EUA – Fila para visto cresce e entrevistas estão esgotadas
  • Pandemia aumentou o risco de violência sexual dentro de casa
  • Brasil tem 7 mil assassinatos de crianças e adolescentes por ano

O Globo

  • Os candidatos a ser a ‘nova nicotina’
  • Greve de transportadores afeta distribuição em Minas, RJ e São Paulo
  • Colnago, ex-ministro de Temer, assume Tesouro
  • Guedes: ala política do governo fez ‘pescaria’ de nomes para seu lugar
  • Bolsonaro diz que novo aumento de combustível é ‘iminente’
  • Brasil e China se reúnem, mas com prioridades bem diferentes
  • ‘Ao ficar, Guedes tirou incerteza’
  • Bancos e consultorias já veem Selic acima de 10% em 2022
  • Fitch monitora impacto na credibilidade da âncora fiscal
  • Bolsa perde 7,28%, e dólar sobe 3,25% na semana
  • Bolsonaro e Guedes traçam retrato da economia, mas não é bem assim…
  • Guedes admite que novo auxílio afrouxa ajuste das contas públicas
  • Acuado até por aliados: Fernández enfrenta ira kirchnerista e baixa aprovação a um mês das legislativas
  • China acelera políticas de assimilação das minorias
  • Dentro e fora de casa
  • Pfizer é segura e eficaz para crianças entre 5 e 11 anos, diz fabricante
  • Ministério da Saúde libera certificado para quem tomou vacinas diferentes

Folha de S. Paulo

  • Clientes da Ford resistem à frota de veículos elétricos
  • França dará 100 euros a 38 milhões para ajudar a pagar conta de gás e eletricidade
  • Governo planeja novo socorro a setor elétrico
  • Indústria agora sofre com energia cara, afirma pesquisa da CNI
  • Grupo Cosan compra controle da distribuidora de gás encanado do RS
  • Transportadoras de combustível de RJ e MG encerram paralisação
  • Gestão fiscal de municípios tem melhora com medidas emergenciais, diz estudo
  • Reajuste salarial perde da inflação em 67% dos acordos
  • Manchete: Diante de crise Guedes diz que fica e defende drible no teto
  • Bolsa tem pior semana desde março de 2020
  • Colnago substitui Funchal na secretaria do Tesouro
  • Guedes diz que ala política fez pescaria com seu cargo
  • Número de brasileiros detidos na fronteira dos EUA bate recorde
  • Vistos gold para investir em Portugal terão mudanças em 2022
  • Cooperativa de garimpo na Amazônia se alça a uma das maiores do país
Marisa Pereira