Manchete nos Jornais deste Domingo, 28 de Novembro de 2021

Reino Unido, Alemanha e Itália têm nova variante
Junto com a Bélgica, países registram primeiras infecções pela nova ‘variante de preocupação’.Ainda são necessárias algumas semanas para obter evidências científicas sobre a nova cepa, mas, por causa do número e do tipo de mutações que ela apresenta, vários países anunciaram medidas preventivas e fabricantes de vacina começaram a desenvolver adaptações dos imunizantes. Na noite de sexta (26), o ECDC (centro europeu de controle de doenças) divulgou avaliação de risco da variante ômicron recomendando que países elevem a prevenção enquanto aguardam os resultados das pesquisas científicas. “Dados preliminares, com base em informações genéticas disponíveis atualmente, são de que os riscos da ômicron são altos”, afirma o comunicado do centro. “A variante é mais divergente detectada em números significativos durante a pandemia até o momento, levantando sérias preocupações de que pode reduzir significativamente a eficácia das vacinas e aumentar o risco de reinfecções.” (Folha)

A nova ameaça do vírus e a economia
A nova cepa do coronavírus, aparentemente mais contagiosa e mais letal que a variante Delta – a responsável pela terceira onda da pandemia. Passa a ser conhecida por Ômicron, a décima quinta letra do alfabeto grego. Tem potencial de risco de transmissão ainda maior porque é o resultado de múltiplas mutações genéticas, principalmente na proteína S, a que até é manipulada nos laboratórios para obtenção das vacinas.O mercado financeiro entrou em parafuso na última sexta-feira, principalmente porque ainda ignora o grau de periculosidade da nova onda.O aparecimento dessa novidade traz dupla advertência: a de que a humanidade está sujeita a ataques de vírus cada vez mais letais; e a de que não se pode baixar a guarda e negligenciar a vacinação, seja em respeito às liberdades individuais seja porque não se pode permitir que a atividade econômica volte a recuar e a colocar em risco o emprego e a renda de tanta gente. (mas, com tudo liberado em estádios de futebol, e outras liberações e flexibilização a eventos com aglomerações, mesmo com os índices de maior cobertura mundial de vacinados, com esta nova variante e já se sabe do seu potencial de infecção, o risco é eminente, não é hora de se baixar a guarda e a proteção). (Estado)

Inflação alta nos EUA derruba a popularidade de Joe Biden
Mesmo com desemprego em queda e retomada em curso, preços altos levam a pessimismo.A maior inflação dos últimos 31 anos paira sobre Joe Biden e corrói sua popularidade, deixando perspectivas para as eleições legislativas de 2022 mais sombrias. Nos 12 meses terminados em outubro, o índice no país chegou a 6,2%. Em um ano, o preço da gasolina subiu 50% e o da carne, 25%. Carros usados estão 26% mais caros, uma alta impulsionada pela queda na produção de veículos novos por causa da escassez global de semicondutores. (Folha)

Médicos recomendam adiar viagem ao exterior
Especialistas alertam para risco de viagens internacionais com nova variante e aumento de casos nos EUA e na Europa.O aumento de casos de Covid-19 nos Estados Unidos e na Europa e as incertezas sobre a nova variante detectada na África do Sul reacenderam o alerta vermelho para viagens internacionais levando infectologistas a recomendarem o adiamento delas neste momento.Além da falta de dados sobre a potencialidade de transmissão da nova cepa ômicron entre os vacinados e não vacinados, os especialistas chamam atenção para o fato de que muitos países europeus que enfrentam aumento de casos estão com cobertura vacinal baixa.Segundo a médica, se mesmo assim as pessoas quiserem arriscar e viajar neste fim de ano, devem ir completamente vacinadas, usando máscaras e evitando ambientes fechados e aglomerados. (Folha)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Doria vence prévias e agora tem o desafio de pacificar o PSDB
  • Grupo de WhatsApp simboliza apoio de cúpula militar a Moro
  • PF investiga desvios de cota parlamentar
  • Celso Ming: A nova ameaça do vírus e a economia
  • Privatização deve render R$ 16 bi a portos
  • Escolas preparam a maior alta de mensalidade desde início da covid
  • Ida a NY reflete apetite externo e aversão ao risco brasileiro
  • Empresas avaliam trocar B3 por EUA
  • País passa a pedir visto a brasileiros para barrar imigração
  • Cúpula de Biden é desafio para Bolsonaro
  • Tribunal declara Ortega reeleito oficialmente na Nicarágua
  • Venezuela terminará 2021 como o país mais pobre da América Latina
  • Operação da PF queima embarcações ilegais de garimpo no Rio Madeira
  • O horror da Serra Pelada fluvial
  • A nova ameaça à retomada mundial
  • A suposta maldade do ‘mundo político’

O Globo

  • Manchete: PF incendeia balsas para dispersar garimpeiros
  • Latam apresenta plano de recuperação nos EUA
  • A semanas do fim do ano, Orçamento de 2022 é incerto
  • ‘O 5G será muito melhor que o WI-FI que se tem em casa hoje’
  • Revolução corporativa
  • Enem: gabarito / extraoficial logo após o fim das provas
  • Europa detecta casos de nova variante da Covid-19 e aumenta temor mundial
  • Pouca vida real nas propostas para economia

Folha de S. Paulo

  • Manchete: Cota eleva empregabilidade, mas nem sempre o salário
  • Vendas do comércio eletrônico caem até 5% na Black Friday
  • PEC do Calote beneficia municípios e estados inadimplentes
  • Greve de pilotos e comissários é suspensa após acordo
  • Latam apresenta plano de recuperação de mais de US$ 8 bi
  • Contra rejeição, Bolsonaro mira pauta econômica no Congresso
  • Inflação alta faz Giraffas trocar filé mignon por coxão duro no cardápio
  • Nova variante deixa milhares presos na África do Sul
  • Estado de Nova York volta a decretar estado de emergência
  • Alemanha, Itália e Reino Unido têm casos da cepa ômicron de coronavírus
  • Enem em libras tem testes sobre racismo e machismo que somem de prova geral
  • Ação afirmativa dobra chance de ex-cotista em direito passar na OAB, indica estudo inédito
  • Cientistas defendem ação rápida contra ômicron
  • Médicos recomendam adiamento das viagens internacionais
  • Entenda o que se sabe sobre a nova variante
Marisa Pereira