Manchete nos Jornais desta Sexta-feira, 23 de Julho de 2021

Programa de emprego
Onyx prepara ‘alistamento civil’ para jovens.A ideia é oferecer vagas remuneradas, sem vínculo empregatício ou profissional, a jovens entre 18 e 24 anos.Uma minuta da medida provisória (MP) para a criação do Programa Serviço Civil chegou a ser preparada pela equipe do Ministério da Cidadania, quando Onyx era o ministro para a contratação temporária de jovens não incluídos no programa Bolsa Família, mas em situação de desemprego ou desocupação durante o período da pandemia de covid-19. O tema voltou ao debate para estimular o emprego e a formação profissional dos jovens neste momento de retomada econômica com esse regime de contratação. Uma adaptação está sendo feita na MP original que previa uma contratação por apenas três meses. Na proposta original, a jornada máxima de desempenho de atividades do programa era de 40 horas mensais, a serem exercidas em no máximo três dias da semana. As vagas devem ser oferecidas próximo ao local de residência do jovem.O programa consiste no cadastramento de ofertas de oportunidades com o cruzamento de informações entre o banco de atividades disponíveis e o banco de jovens cadastrados, interessados em desempenhá-las. Onyx já disse a interlocutores que quer colocar a marca do “emprego” no seu ministério, um dos problemas de maior atenção do presidente Jair Bolsonaro para 2022.Oposição. A proposta, no entanto, não é bem-vista pelos técnicos da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, área do Ministério da Economia que será transformada no Ministério do Emprego e Previdência. O beneficiário receberá o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP), de R$ 275, pago pelo Sistema S, e a Bolsa de Incentivo à Qualificação (BIQ), pago pela empresa no valor de R$ 275.

Empresas avaliam pagar dividendos antes de reforma
Ação poderia até elevar o dólar, pois filiais de multinacionais remeteriam recursos de uma vez. O empresariado brasileiro já estuda uma maneira de reagir ao início da taxação de 20% sobre os dividendos, conforme previsto no projeto de lei que apresenta a segunda fase da reforma tributária. Um dos efeitos colaterais dessa prática seria uma disparada no câmbio, uma vez que muitas filiais de multinacionais enviariam às respectivas matrizes, ao mesmo tempo, os dividendos de uma só vez. Na opinião do tributarista, a medida geraria efeitos colaterais sobre a economia. “Com o caixa esvaziado, não haveria capital para fusões e aquisições ou crescimento orgânico”, afirma. “Fora isso, se muitas multinacionais decidissem enviar, de uma vez, seus lucros para as respectivas matrizes, haveria um impacto importante no câmbio, o dólar iria disparar.” Maitto diz que o Tozzini

O Estado de S. Paulo

  • ‘Queremos muito entrar no mercado de Minas Gerais’
  • Na contramão de rivais, Caixa acelera abertura de agências físicas pelo País
  • Mães sozinhas têm queda em horas trabalhadas
  • Pandemia paralisa a carreira de pais
  • Novo Bolsa não está garantido, diz economista
  • Governo libera R$ 7,3 bi do Orçamento
  • Onyx prepara programa de ‘alistamento civil’
  • Ministro sinaliza elevar isenção na taxação de lucros e dividendos
  • Presidente da Câmara pressiona relator do IR a evitar prejuízo para prefeituras
  • Abordado, Guedes dá dinheiro a desempregado
  • EUA impõem novas sanções a Cuba e Biden promete punir opressores

O Globo

  • Governo desbloqueia R$ 4,5 bi do Orçamento deste ano
  • Bolsonaro diz que mudança ‘dá uma certa descompressão’ para Guedes
  • Ministérios já disputam gestão do FAT e do FGTS
  • Justiça mantém justa causa de auxiliar que se recusou a tomar vacina
  • Criptomoeda pode pagar dívida trabalhista
  • ONS prevê setor elétrico no limite em novembro
  • Banco Central abre caminho para uso do Pix pelo WhatsApp
  • Guedes diz que é ‘hipocrisia se esconder atrás do pobre’
  • Estados se articulam para barrar proposta
  • Dólar sobe e fecha em R$ 5,21 em meio a ‘ruídos políticos’ no Brasil
  • China rejeita buscar origem do coronavírus em laboratório
  • Dianteira hemisférica
  • AstraZeneca protege 93,6% contra mortes de idosos

Folha de S.Paulo

  • Embraer forma parceria para desenvolver mercado de ‘carro voador’ na América Latina
  • Guedes minimiza perdas com IR e diz que ‘hora de errar é agora’
  • Fotolegenda: Abordado por pedinte, Guedes dá dinheiro na rua
  • Empresas estudam esvaziar caixa para evitar dividendo com imposto em 2022
  • Tribunal de SP considera legal demissão por justa causa por recusa a vacina
  • Governo confirma desbloqueio de RS 4,5 bi em verbas de ministérios
  • Governo avalia transferir mais áreas da Economia para Onyx
  • Guedes vê como legítima pressão do centrão e tenta manter aliados no Trabalho
  • Duas doses da vacina de Oxford dão proteção de 93,6%, diz estudo
  • Vacinação de pessoas de 28 e 29 anos na cidade tem nova data
  • Paulistanos enfrentam perrengues para receber segunda dose de vacina

Valor Econômico

  • TCU cobra medidas para atualizar ITR
    Atualização da tabela da pecuária poderia elevar a arrecadação de imposto para R$ 14,3 bilhões – quase sete vezes mais do que a obtida em 2019, no valor de R$ 1,8 bilhão.
  • Código do Consumidor muda e facilita negociação de dívida
    Nova lei prevê uma espécie de recuperação judicial para pessoas físicas, forçando credores a sentarem à mesa para negociar, e poderá injetar R$ 350 bi na economia
  • Fiocruz vê retração na covid, mas situação ainda é ‘crítica’
    Em duas semanas até 17 de julho mortes caem 2,6% e casos 2,1%, aponta boletim
  • Os custos da pandemia nas próximas décadas
    O futuro do país está ligado à forma como o governo vai lidar com as sequelas da covid-19
  • ONS vê piora no cenário hídrico e esgotamento em novembro
    Avaliação já contempla medidas tomadas e elevação nas projeções de crescimento econômico
  • Justiça aplica LGPD para proteger dados de trabalhadores
    Ecocitrus foi condenada em primeira instância a aplicar a nova lei sobre as informações dos funcionários, sob pena de multa
  • Juiz avaliará abuso em contrato
    Magistrado poderá analisar as condições de concessão do crédito e reduzir juros
Marisa Pereira