Manchete nos Jornais desta Segunda-feira, 13 de Setembro de 2021

Medicina do trabalho
Enquanto o debate para regular a telemedicina no póspandemia avança no Congresso, um desdobramento do tema foi aberto nas últimas semanas quando o CFM (Conselho Federal de Medicina) publicou resolução vetando a prática em exames ocupacionais, como os de admissão e demissão. O CFM diz que, diferentemente da medicina assistencial, que se baseia na confiança entre médico e paciente, a pericial visa o equilíbrio entre empregado e empregador, e pode ter conflito.Para Francisco Fernandes, diretor científico da entidade, fazer exame ocupacional por telemedicina é inviável. Ele afirma que a principal informação do médico do trabalho é o exame físico, que precisa atestar que o trabalhador não tem sinal de exposição a riscos.Mas a resolução desagradou a indústria. Pablo Cesário, gerente na CNI, defende que a telemedicina ampliou o acesso dos funcionários da indústria aos serviços de saúde e diminuiu custos, como o do transporte. O CFM, diz que a lei da telemedicina em vigor orienta as atividades de prevenção, promoção e assistência, mas não se refere às perícias, tema que ainda está em debate entre os especialistas no direito e na medicina.A transformação digital em hospitais é outro tema no radar da indústria, segundo estudo da Philips, que aponta que a necessidade de treinar profissionais para implementar tecnologia é maior no Brasil (44%) do que a média de um grupo de 14 países (30%). (Folha)

Open Delivery deve atrair grandes empresas
Associação de restaurantes quer facilitar entregas e apresenta um novo padrão para a comunicação com aplicativos.O mercado de delivery de comida, que avançou com força na pandemia, busca alternativas para se tornar mais aberto e competitivo com a criação de uma nova ferramenta: o Open Delivery. Restaurantes desenvolveram um protocolo único para o setor usar na hora de cadastrar estabelecimentos e cardápios em aplicativos e para a troca de informações sobre pedidos. O projeto, que já tem uma primeira versão aberta de seus padrões publicados online, será apresentado a restaurantes nesta segunda-feira (13).Líder do setor, o iFood aceitou convite da Abrasel para participar do conselho de governança do Open Delivery. A companhia diz não ter definido se irá aderir à plataforma aberta. O Rappi afirmou que vê com bons olhos ações que fomentem competitividade no delivery e que contribui com a iniciativa da Abrasel. A Uber não comenta.Segundo Sales, cada aplicativo trabalha com formulários para cadastro de restaurantes muito diferentes. “Se uma empresa quer se conectar com os aplicativos, tem que falar rappinês, ifoodês e uberês. Cada uma tem um nível de personalização do pedido, existem campos que alguns possuem e outros não”, explica. A vida dos restaurantes fica mais fácil porque, com a padronização das informações, desenvolvedores de software criam com mais facilidade sistemas que permitem aos estabelecimentos gerenciar em uma única tela pedidos feitos por vários aplicativos, em vez de precisar gerenciar várias abas ao mesmo tempo. Na outra ponta, para empresas que querem criar seus apps de delivery, a conexão com mais restaurantes passa a ser mais rápida. Além das informações necessárias já estarem em formato adequado para que os estabelecimentos sejam cadastrados, empresas de tecnologia que atendem ao setor com sistemas de gestão podem funcionar como porta de entrada para os restaurantes em vários aplicativos de uma só vez. Empresas de tecnologia já começaram a lançar plataformas do tipo, mesmo antes da adoção do Open Delivery pelo mercado. (Folha)

Estados mudam leis para atrair empresas
MG e SC se destacam em tendência de desburocratização, dispensando de alvará um total de atividades muito superior à média nacional.Estados e municípios passaram a dispensar a exigência de alvarás e licenças para abertura e funcionamento de empresas consideradas de baixo risco como forma de desburocratizar o ambiente de negócios neste momento de retomada da economia.A classificação nacional contém 300 atividades e foi definida depois que o Congresso Nacional aprovou, em 2019, a Lei de Liberdade Econômica. Foi essa lei que dispensou as atividades de baixo risco de obterem o alvará e licenças.No outro extremo, os Estados de Sergipe (292), São Paulo (258), Paraná (254), Roraima (52) e Espírito Santo (47) dispensam menos atividades econômicas da burocracia.As dispensas de alvarás e licenças são definidas pelo Corpo de Bombeiros, órgãos de vigilância sanitária e de meio ambiente. Caso não haja norma estadual própria, aplica-se ao município a classificação nacional, aprovada pelo comitê da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim).Essa rede integra todos os atores envolvidos no processo de abertura de empresas, como as juntas comerciais e a Receita Federal. O diretor, que é professor também de direito empresarial, ressalta que estar dispensado de toda a vistoria não significa imunidade à fiscalização. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • Estados reduzem entraves a empresas
  • Falta de internet restringe acesso à educação
  • Internet é ‘direito fundamental’, diz professora da LSE
  • Garantia de acesso à internet poderia elevar renda de mais pobres em 15%
  • Canabidiol será testado contra ‘covid longa’
  • 3 perguntas para…
  • Pandemia provoca queda de 26% nas cirurgias eletivas

O Globo

  • Com Selic alta, crédito privado é estrela da vez na renda fixa
  • Para privatizar Eletrobras, governo cria estatal
  • ‘Não podemos continuar dependentes de rodovia’
  • Empresas criam frotas próprias para se proteger de greves de caminhoneiros
  • A fuga como opção: Secas, tempestades e enchentes multiplicam migrações no país
  • APP segue instável: ConecteSUS falha às vésperas de ‘passaporte’

Folha de S. Paulo

  • Escalada golpista de Bolsonaro já prejudica projetos de Tarcísio
  • Projeções para Bolsa são revisadas para baixo
  • Militares questionam remuneração de general da Petrobras
  • Passageiros reclamam de aumento no preço de corridas da Uber
  • Instabilidade na renda trava recuperação dos mais pobres
  • Inglaterra dispensa comprovante de vacinação
  • Número de refugiados venezuelanos desabrigados explode em Roraima
  • Brasil recebe 5,1 milhões de doses da vacina da Pfizer
  • SP começa a usar Pfizer para 2ª dose no lugar de AstraZeneca
  • Estudo investiga como coronavírus pode levar a problema renal
  • Terapia online dispara com a Covid-19, e número de psicólogos na área salta 450%

Valor Econômico

  • Empresas entram em geração de energia solar
    Nova legislação prevê que as regras atuais para os sistemas de geração já conectados serão mantidas até 2045 e haverá um período de transição até 2027 para novos projetos
  • Mobilidade elétrica
    Para pesquisadores, a onda dos patins tende a voltar com força e bicicletas elétricas têm potencial de demanda com programas de uso compartilhado
  • Hackers preocupam setor público
    Distribuidoras de energia, por atuarem diretamente com o consumidor final, são mais visadas por causa dos dados dos clientes
  • Sistema terá como atender à demanda por energia, diz ONS
    Mesmo com a escassez de chuvas, o ONS acredita que o sistema vai atender à demanda de energia nos próximos meses
  • Governo fala em ‘devolver’ R$ 47 bi em impostos
    Plano é questionado por especialistas e por entidades representativas dos municípios
  • A taxa Selic vai voltar para os dois dígitos?
    Projeção de inflação do Copom vai dar parâmetro para juro
  • Atividade instável se mantém até metade de 2022
    Analistas não enxergam fim dos gargalos produtivos e vêm falta de insumos e inflação como limitantes
  • Estudo aponta PIB potencial abaixo de 1% no ano que vem
    Trabalho do Ipea indica crescimento gradual ao longo de uma década
  • Equipe econômica projeta receita maior com dividendos
    Estimativas do Ministério da Economia passam de R$ 17,81 bilhões para R$ 25 bilhões neste ano
  • INPC mais alto reduz “folga” no teto de gastos para R$ 10 bi
    Para analistas indicador de inflação subestimado também afeta cálculo
  • Orçamento deve ter alta de R$ 18 bi em despesas devido à alta do indexador
    Ministério da Economia atualizará sua grade de parâmetros macroeconômicos na quinta-feira e tende a corrigir gastos subestimados no projeto original
  • ‘Delta não deve causar a hecatombe que já vimos no país’
    Para Fernando Spilki, número acentuado de casos no início do ano e avanço da vacinação podem estar servindo de barreira à cepa
  • Aprendizado deve contemplar autonomia
    Para o educador finlandês Pasi Sahlberg, sistemas mais flexíveis se saíram melhor na pandemia
  • Dinheiro, política e democracia
    Pesquisa revela o que o brasileiro pensa sobre o lobby
  • Falta de apoio militar freou radicalização, diz cientista político
    Para Jorge Zaverucha, recuos do presidente estão associados à falta de retaguarda nos quartéis
  • Empresas nos EUA estão mais pessimistas com delta
    A piora na perspectiva está obrigando muitas empresas americanas, pequenas e grandes, a redefinir planos e revisar projeções para o ano
  • Recuperação na UE ganha força, mas pode não durar
    Economistas alertam que a região corre o risco de seguir o padrão visto nos EUA e na China, que se recuperaram mais rápido da crise apenas para ver suas economias perderem impulso mais recentemente
  • Alta do custo da energia solar ameaça as metas climáticas
    Os preços globais dos painéis solares subiram 16% neste ano. Essa alta deve limitar o crescimento da demanda nos próximos anos e poderá impedir os fornecedores de aumentar a capacidade de produção
  • Apatia com políticos marca eleição na Argentina
    A taxa de comparecimento nas Primárias Abertas, Simultâneas e Obrigatórias (Paso) na Argentina foi de 67%, quase dez pontos a menos do que em 2017
  • Geração solar distribuída ganha mais investidores
    Novos entrantes aproveitam maior busca de consumidores por redução na conta de luz e querem garantir beneficios antes da aprovação do marco regulatório
  • Ecovix busca se diversificar para pagar dívidas de recuperação judicial
    Estaleiro Rio Grande consegue reativar operação naval, mas não há expectativa de retomada do setor no curto prazo
Marisa Pereira