Manchete nos Jornais desta Quinta-feira, 13 de Janeiro de 2022

Governo estuda permitir que Jovem Aprendiz não seja estudante
Ministério do Trabalho e Previdência fala em ‘aperfeiçoamento’ de programa, criado há 21 anos; outra proposta em estudo é deixar de atrelar remuneração ao salário mínimo.Mudança retiraria principal ponto da lei. Cota de aprendizes nas empresas e remuneração também podem mudar.O governo quer mudar o programa Jovem Aprendiz, criado há 21 anos. A ideia em discussão é remover da lei seu principal ponto, permitindo que empresas possam contratar jovens sem seguir a exigência de que todos estejam matriculados na escola. Há também estudos para flexibilizar a norma que obriga as empresas a contratar uma cota de aprendizes proporcional ao número de funcionários e a atrelar a remuneração ao salário mínimo.O Brasil tem atualmente cerca de 461,5 mil jovens aprendizes, de acordo com os dados mais recentes do Ministério da Economia. Deste total, quase a metade trabalha na indústria de transformação e no comércio. A principal função que os jovens desempenham é a de auxiliar de escritório ou assistente administrativo. Críticos das mudanças observam, porém, que o programa poderá ser descaracterizado porque empresários teriam a intenção de acabar com a cota. “Eu sou contra isso”, disse o presidente da Força Sindical, Miguel Torres. “Alguém deve estar sendo beneficiado.” A procuradora (MPT) Ana Maria Villa Real, criticou pontos específicos em debate pelo grupo de trabalho, como a exclusão das funções de nível básico, com priorização para vagas de nível técnico ou tecnólogo. “Para atender a certos interesses econômicos, o grupo também quer focar na contratação de maiores de 18 anos, subvertendo o público original do programa, que são os adolescentes mais vulneráveis. O que eles querem são trainees ou estagiários de luxo”, avaliou ela. Esta é a quarta vez, nos últimos anos, que o programa passa por modificações. A primeira foi na gestão de Michel Temer, com uma tentativa de reduzir o seu escopo. No governo Bolsonaro, foram enviadas ao Congresso propostas de mudanças com o Contrato Verde e Amarelo e o Regime Especial de Trabalho Incentivado, Qualificação e Inclusão Produtiva (Requip). As duas iniciativas foram rejeitadas pelos parlamentares. (Estado)

O BC e a inflação fora dos limites
Incertezas sobre contas públicas e seus efeitos sobre o dólar são citados mais claramente que em outras manifestações do Copom. A alta de preços em 2021 chegou a 10,06%. O centro da meta era 3,75%. O teto, 5,25%. Neste século, só o estouro de 2002, de 7,03 pontos porcentuais, foi maior que o do ano passado, de 4,81 pontos. Faltou explicar, entre outros pontos, por que os dirigentes do BC demoraram a admitir a real gravidade da inflação.Vários bancos centrais, incluído o americano, mantiveram por muito tempo a aposta em um breve surto inflacionário. O BC brasileiro participou dessa onda. O ajuste dos juros básicos para 4,25% era necessário, segundo comunicado emitido no dia 16, “para mitigar a disseminação” de “choques temporários sobre a inflação”. A mudança do jogo foi claramente explicitada na reunião de setembro, quando a taxa básica foi elevada a 6,25%. A partir daí, o aperto monetário, admitido sem restrição, deveria avançar “em território contracionista”. Nessa altura, o Copom projetava inflação em torno de 8,5% para 2021, 3,7% para 2022 e 3,2% para 2023. Os três números estavam acima das metas e o primeiro já superava com folga o limite de tolerância. Estava amplamente evidenciado o atraso do BC em admitir a persistência e a gravidade das pressões inflacionárias. No Brasil, o surto inflacionário do ano passado resultou principalmente em maiores dificuldades para famílias atormentadas por uma severa escassez de oportunidades de trabalho, no quadro de uma economia muito debilitada. (Estado)

Inflação nos EUA deve seguir alta por algum tempo ainda
Embora muitos economistas prevejam uma moderação da inflação ao longo de 2022, os americanos provavelmente estão a meses de um alívio significativo, especialmente porque a variante ômicron piora a escassez de mão de obra e impede que os produtos cheguem às lojas (Valor Econômico)

EUA registram 7% de inflação, a mais alta desde 1982
Pressão no custo de vida em economia com desemprego de apenas 3,7% aumenta expectativa de aumento nos juros. Na variação mensal, o índice de preços ao consumidor subiu 0,5% em dezembro ante novembro, após alta de 0,8% em novembro, informou o Departamento de Estatísticas do Trabalho.Economistas consultados pela Reuters previam alta de 0,4% para o índice no mês e salto de 7% na base anual.A economia americana enfrenta uma inflação alta à medida que a pandemia obstrui as cadeias de abastecimento e o país enfrenta pressões salariais. O governo americano informou na sexta-feira (7) que a taxa de desemprego em dezembro caiu para 3,9%, menor valor em 22 meses, sugerindo que o mercado de trabalho está no pleno emprego ou próximo a ele. O alto custo de vida está pesando no índice de aprovação do presidente Joe Biden. A inflação nos EUA está bem acima da meta de 2% do Fed. (Folha)

Guedes precisa de R$ 9 bi para recompor gastos subestimados
Equipe sugere cortar emendas do relator, mas orientação na base política é preservar esses recursos.Desse valor, ao menos R$ 3 bilhões devem ir para despesas com pessoal, que são obrigatórias, e quase R$ 800 milhões vão irrigar o fundo eleitoral —que chegará aos R$ 5,7 bilhões aprovados pelos parlamentares para a campanha deste ano.Outros R$ 5 bilhões foram solicitados para ampliar despesas de custeio da máquina pública que ficaram abaixo do necessário. O mais afetado é o próprio Ministério da Economia, que teve corte de 50% nas dotações orçamentárias.Os pedidos foram discutidos em reunião na terça-feira (11) entre os ministros Paulo Guedes (Economia) e Ciro Nogueira (Casa Civil) e suas respectivas equipes.De acordo com auxiliares que acompanham a discussão, o mais provável, porém, é que o veto acabe ficando abaixo dos R$ 9 bilhões. (Folha)

Brasileiro confia pouco nas pessoas; comportamento freia avanços
Na América Latina, índice é de 12,6%. Média mundial chega a 25%. Brasileiros e latino-americanos confiam menos nas pessoas do que o restante do mundo, e isso está contribuindo para o baixo desenvolvimento econômico e social da região. É o que concluiu estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID),O porcentual está abaixo da média mundial (25%) e dos países ricos que integram a OCDE (41%). O estudo analisou correlações entre a confiança e questões como níveis de produtividade, inovação e formalização do mercado de trabalho e concluiu que, quanto maior o descrédito, pior são as questões econômicas e sociais.“Os governos também precisam reduzir as assimetrias de poder, aumentando a prestação de contas e fortalecendo instituições de controle externas para que os cidadãos e empresas sintam que podem confiar nessas instituições quando forem desrespeitados por governos, empresas ou outros cidadãos”, disse o BID.Entre as sugestões estão ainda maior transparência no orçamento público e na regulação, fortalecer partidos, eleições e sociedade civil e aumentar as oportunidades de participação dos cidadãos. (Estado)

As falsas dicotomias no debate do regime fiscal
Consumidor não capta efeito da recuperação de hidrelétricas nas tarifas.Se é verdade que o governo conseguiu evitar a incidência de apagões no ano passado, também é fato que a segurança do abastecimento foi garantida a custos muito elevados. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrou o ano com variação de 10,06%, enquanto as tarifas residenciais subiram 21,21%. Nem mesmo esse aumento trará alívio na conta de luz deste ano. Depois da adoção, desde setembro, da bandeira escassez hídrica, que adiciona uma taxa de R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora consumidos, o governo negocia mais um empréstimo bilionário às distribuidoras, para cobrir os gastos que foram realizados nos últimos meses. Os custos dessa operação serão pagos por meio das tarifas ao longo dos próximos anos. Segundo cálculos da Aneel), o financiamento poderá reduzir o reajuste médio projetado para 2022 de absurdos 21% para admissíveis 9,14%. “Consumimos uma energia à vista que vai ter que ser paga a prazo”, definiu o coordenador do (Gesel) da UFRJ, Nivalde de Castro.
Pode parecer incompreensível para o consumidor entender como continuará a despender tanto dinheiro com eletricidade, haja vista as tragédias que as chuvas têm causado na Bahia e em Minas Gerais. (Estado)

Além das filas, Brasil pode ter falta de kits de testes de covid
Explosão de contaminações Laboratórios priorizam casos graves e profissionais de saúde.Laboratórios informaram que estão dando prioridade a casos graves e a profissionais de saúde.Redes de farmácias estão suspendendo agendamento online de testes. O Ministério da Saúde se desvinculou do cenário de escassez de material na rede pública e atribuiu a responsabilidade pela testagem aos Estados e municípios. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Além das filas, Brasil pode ter falta de kits de testes de covid
  • Shoppings Multiplan fecham 4º trimestre com vendas de R$ 5,6 bi após Natal positivo
  • ‘Caminhões no Brasil são velhos e ineficientes’
  • Embraer fecha venda de duas fábricas em Portugal
  • Setor tenta manter usinas a carvão no Sul do País
  • TCU diz que governo foi ‘negligente’ na crise hídrica
  • Auditores da Receita já entregaram 1.288 cargos
  • Recuar é pior, diz líder da ‘bancada da bala’ sobre reajuste
  • Terminais veem prejuízo com fim do Reporto
  • Aumento de preços nos países ricos é má notícia para o País
  • Inflação no Brasil é a 3ª maior em ranking
  • Na América Latina, só 29% têm confiança nos governos
  • Brasileiro confia pouco nas pessoas e isso freia avanços, aponta estudo
  • Caixa lança linha de crédito para pescadores
  • Governo quer liberar vaga de jovem aprendiz para quem não estuda
  • Pré-cadastro para vacinação em crianças de 5 a 11 anos é aberto
  • Cidades ainda analisam cenário epidemiológico
  • São Paulo determina 70% de público em estádios e recomenda limite em eventos
  • OMS reafirma que Ômicron ‘não é leve’ após fala de Bolsonaro
  • Brasil ainda está atrás de EUA, Chile e europeus na aplicação da dose de reforço
  • Mendonça indica levar ao plenário ação sobre fundo eleitoral
  • Bolsonaro põe fim à trégua com STF e liga ministros à candidatura de Lula

O Globo

  • Manchete: Falta de insumo já provoca escassez de testes de Covid
  • Com chuva, bandeira de Escassez Hídrica deve ser mantida
  • TCU aponta falhas do governo na crise hídrica
  • Reajuste de plano de saúde deve ser de 15%, diz BTG
  • Avanço da Ômicron afeta de construtoras a serviços públicos
  • Estados avaliam descongelar ICMS sobre combustíveis
  • Mudança de rota
  • Governo reduz verba para intervenção cardíaca
  • G7 da CPI fala em possível sabotagem dos sistemas
  • Pelo menos 15 estados seguem sem acesso a redes de dados
  • Compostos da cannabis podem dificultar ação do coronavírus

Folha de S. Paulo

  • Manchete: Ômicron lota postos em SP e desfalca equipes médicas
  • Mendonça leva ação contra fundão ao plenário do STF
  • Ex-juiz se encontra com especialistas em SP e ouve propostas para o Judiciário
  • Luz continuará cara mesmo com reservatórios mais cheios
  • Teto de gastos é uma ficção e serviu para cortar os investimentos do país
  • Governo prepara portaria que oficializa redução do tempo de licença
  • Voos cancelados por Covid no Brasil se aproximam de mil
  • Ibovespa acumula valorização em 2022 pela primeira vez
  • EUA têm inflação de 7%, a maior desde 1982
  • Bolsonaro atribui alta de preços ao ‘fique em casa’
  • Inflação de 10,06% no Brasil fica entre as mais altas do mundo em 2021
  • Servidores de ao menos 19 categorias podem parar por reajuste
  • Economia quer vetar R$ 9 bilhões em despesas para cobrir Orçamento
  • Em meio a estiagem, municípios gaúchos decretam emergência
  • Mais cinco pessoas morrem por causa das chuvas em Minas Gerais
  • OMS afirma que não é hora de dizer que variante é desejável
  • Bolsonaro minimiza ômicron e sugere que cepa é ‘bem-vinda’
  • Só pacientes graves devem fazer teste de Covid, diz associação
  • Colapso da saúde em Manaus completa um ano
  • SP terá pré-cadastro para vacinação do grupo de 5a11 anos
  • Doria reduz em 30% público no Campeonato Paulista e pede que prefeituras limitem eventos

Valor Econômico

  • Marketplaces endurecem condições para os lojistas
    As mudanças devem encarecer o preço final ao consumidor, em um momento em que a inflação do segmento digital já supera a taxa oficial
  • Soluções inteligentes para preservar a biodiversidade
    A natureza e a biodiversidade devem estar no centro da estratégia de desenvolvimento de novos mercados e novos modelos de negócio
  • Hospitais e laboratórios limitam teste de covid
    Raia Drogasil cancela agendamentos on-line de exames devido à falta de estoque
  • Brasil poderá punir país que ‘apela no vazio’
    MP em análise autoriza o Executivo a retaliar, de forma proporcional e unilateral, o país derrotado em contencioso na OMC que recorre ao Órgão de Apelação, atualmente inoperante
  • China sente ‘efeito dominó’ por colapso da Evergrande
    Governos municipais e regionais perderam boa parte de sua receita e não conseguem fechar as contas
  • Incertezas pressionam o juro real
    As taxas das NTN-Bs se mantêm acima de 5,5% em vencimentos mais longos, o que reflete uma insegurança elevada à frente; em 2019, esse juro ficou abaixo de 3,5%
  • Mais risco
    Economista-chefe do banco Citi no Brasil, Leonardo Porto, analisa os efeitos econômicos da variante ômicron com potencial para pressionar um PIB já pouco promissor para 2022
  • Os quatro cavaleiros do apocalipse digital
    Ameaças são cibercrime, “dark web”, “fake news” e falta de privacidade
  • Planejamento e operação elétrica devem seguir mudanças climáticas
    Setor elétrico vai precisar de uma análise de cenários, diz estudo do Acende Brasil
  • Novo cenário deixa de fora térmicas mais caras
    Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, porém, decidiu manter neste ano medidas excepcionais adotadas em 2021, durante a crise hídrica
  • Protesto de servidor promete reunir ao menos 46 categorias
    Cálculo inclui funcionários públicos dos três Poderes
  • Governo discute tratar pandemia como endemia
    Governo pretende reduzir de 14 para 7 dias o período de afastamento do trabalho por covid-19
  • Inflação nos EUA deve seguir alta por algum tempo ainda
    Embora muitos economistas prevejam uma moderação da inflação ao longo de 2022, os americanos provavelmente estão a meses de um alívio significativo, especialmente porque a variante ômicron piora a escassez de mão de obra e impede que os produtos cheguem às lojas
  • Pressão inflacionária se atenua na China
    A queda na inflação ficou em linha com as expectativas dos economistas, após a ação do governo central chinês para aliviar as rupturas na oferta e estabilizar o crescimento
  • Caixa terá linhas de crédito para pescadores artesanais dentro do Pronaf
    Programas não têm volume definido e devem operar de acordo com a demanda; juros serão a partir de 3% ao ano
  • Inflação no mundo faz biodiesel ‘encolher’
    Governos de diferentes países reduzem mistura ao diesel e extinguem programas de estímulo
  • STJ obriga planos a fornecerem remédios sem registro da Anvisa
    Pelo menos quatro recentes decisões, da 3ª e 4ª Turmas, são favoráveis a pacientes
Marisa Pereira