Manchete nos Jornais desta Quarta-Feira, 12 de Novembro de 2014

Governo recorre a nova manobra para fechar suas contas deste ano

A gestão Dilma criou brecha para descumprir a meta de economia para pagar juros da dívida pública. O governo pediu ao Congresso autorização para descontar todos os gastos do P AC e de desonerações tributárias, um valor que soma R$ 130,4 bilhões até outubro. O projeto original previa limitação de R$ 6 7 bilhões para o desconto em 2014…

(Rio Grande do SulTarso propõe 16% para mínimo e Sartori aceita

Índice de reajuste para piso regional foi pedido por centrais sindicais e terá de ser votado pela Assembleia Legislativa. Governador eleito diz não se opor a aumento…

É o maior escândalo da História, estima TCU

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, disse que há indícios de super faturamento de R$ 3 bilhões em obras recentes da Petrobras. Foi incluído, no cálculo, R$ 1,6 bilhão desviado na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. No Comperj, no Rio, há suspeita de sobrepreço de R$ 300 milhões. Para Nardes, é o maior escândalo financeiro já investigado pelo Tribunal de Contas…

O Globo

Manchete : Governo pede brecha para descumprir meta fiscal

Projeto enviado ao Congresso dá aval para país ter déficit este ano

Planalto propõe mudar Lei de Diretrizes Orçamentárias porque não conseguiu poupar o prometido. Ministra nega que seja ‘cheque em branco’ e alega necessidade de gastar mais. Oposição critica, e PMDB promete apoio

Para evitar o descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o governo enviou ao Congresso projeto que permite abatimento de todas as despesas com PAC e desonerações da meta de superávit primário. Esses gastos somam R$ 138 bilhões este ano, mais que os R$ 116,1 bilhões de esforço fiscal até então prometido. Na prática, a mudança dá aval para o país ter déficit, ou seja, gastar mais do que arrecada. Analistas temem que a piora nas contas públicas leve ao rebaixamento do Brasil por agências de rating. (Págs. 21 e 22)

Marta se demite criticando Dilma

Após apoiar o ‘Volta, Lula’, ministra defende que nova equipe econômica ‘resgate credibilidade’

Depois de ter apoiado o “Volta, Lula”, a ministra Marta Suplicy (Cultura) surpreendeu o Planalto e entregou sua carta de demissão ontem, quando a presidente Dilma já tinha viajado para o exterior. Na carta, Marta faz críticas à política econômica, reclama do orçamento da Cultura e defende que a nova equipe econômica “resgate a confiança e a credibilidade” do governo. No Planalto, o gesto de Marta foi interpretado como sinal de distanciamento dela do PT, e indicativo de que poderá deixar o partido para disputar a prefeitura de SP. Mais dois ministros se anteciparam e puseram os cargos à disposição. (Pág. 3)

Cassação de Vargas irá ao plenário da Câmara

Apesar da pressão de petistas em defesa do deputado André Vargas, acusado de fazer tráfico de influência para o doleiro Youssef no escândalo da Petrobras, a CCJ da Câmara decidiu enviar o processo de cassação dele para o plenário da Casa. Foi rejeitado o recurso de Vargas, que alegava irregularidades na tramitação no Conselho de Ética. José Mentor (PT) apresentou voto em separado pró-Vargas, e Cândido Vaccarezza, petista também citado no escândalo, foi à CCJ apoiar Mentor. (Pág. 4)

É o maior escândalo da História, estima TCU

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, disse que há indícios de super faturamento de R$ 3 bilhões em obras recentes da Petrobras. Foi incluído, no cálculo, R$ 1,6 bilhão desviado na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. No Comperj, no Rio, há suspeita de sobrepreço de R$ 300 milhões. Para Nardes, é o maior escândalo financeiro já investigado pelo Tribunal de Contas. (Pág. 5)

Acusados podem viajar ao exterior

Os desembargadores Nildson Araújo da Cruz, Rosita Maria Netto e Luiz Noronha Dantas autorizaram o inglês Whelan e o francês Fofana, presos no Brasil durante a Copa, a viajarem ao exterior por três meses. (Pág. 9)

BNDES divulga resultado parcial

Banco informou ter lucrado no 3º trimestre R$ 1,928 bilhão, mas não divulgou o volume de desembolsos no período. Desde junho, BNDES não anuncia seus desembolsos. Analistas criticam a falta de transparência. (Pág. 23)

País tem 1 morto a cada 10 minutos

O número de homicídios no Brasil chegou a 53.646 em 2013, um aumento de 1,1% em relação a 2012 (53.054), segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. O total de roubos cresceu 12%. (Pág. 6)

Minha Casa Minha Vida – Tráfico invade prédios no Rio

Bandidos invadiram conjunto habitacional do Minha Casa Minha Vida em Guadalupe. Imagens mostram traficante de fuzil dando proteção a invasores do conjunto de prédios. (Pág. 13)

Ilimar Franco

TCU: Múcio relator da Petrobras

Nomeado por Lula, em 2009, o ministro José Múcio vai assumir a relatoria da Petrobras. Ele foi escalado por sorteio e substitui José Jorge, que se aposenta hoje. Em conversas reservadas, Múcio diz que a tarefa “não será agradável”. Ele vai cuidar do caso Pasadena e da delação premiada de Paulo Roberto Costa. Apesar das ligações com o PT, contam que confidenciou: “O CPF é meu limite, não vou salvar ninguém e acabar incriminado”. (Pág. 2)

Merval Pereira

Tanto Marta como Gilberto Carvalho falam por Lula. (Pág. 4)

Míriam Leitão

Descrédito na área fiscal ficou ainda mais forte. (Pág. 22)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : Tarso propõe 16% para mínimo e Sartori aceita

Índice de reajuste para piso regional foi pedido por centrais sindicais e terá de ser votado pela Assembleia Legislativa. Governador eleito diz não se opor a aumento. (Notícias | 12)

Cordiais e preocupados

Durante 40 minutos, o atual e o futuro governador se reuniram pela primeira vez no Piratini. Apesar dos sorrisos, a conversa foi focada na crise das finanças. Sartori questionou o tamanho dos saques feitos por Tarso no caixa único do Estado. (Notícias | 10)

————————————————————————————

Valor

Definições entre governo e empresas vão ficar para 2015

Foram duas décadas de debate para aprovação da lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos, em agosto de 2010. Mais seis meses se fizeram necessários para a assinatura do decreto 7.404, em dezembro daquele ano, definindo o papel do governo, empresas e consumidores para mudar a realidade da gestão do lixo no país. Desde então, no rastro das obrigações legais, começou a corrida por recursos financeiros, arranjos locais e estruturação de cooperativas de catadores…

Custo deve refletir impacto de emissões

Além da desoneração tributária para as cadeias de logística reversa dos resíduos, que poderia trazer benefícios como o aumento da reciclagem de diversos materiais, o ciclo de debates promovido pela Abralatas abordou a necessidade de mudança na estrutura de incentivos econômicos para que os preços dos produtos e serviços reflitam os custos ambientais de sua produção…

Salto ambiental

Diante da urgência climática, o mundo negocia como premiar financeiramente a produção limpa e onerar quem opera com alta emissão de gases do efeito-estufa. A estratégia de conferir preços reais aos produtos, incorporando custos de impactos ao meio ambiente via taxações pelo governo ou controle de mercado, tem apoio das Nações Unidas e lideranças empresariais de modo a evitar que o aquecimento global atinja quadro irreversível. “No Brasil, a tributação do carbono teria a função de gerar ganhos fiscais e, com eles, abrir espaço com menor resistência para a correção das atuais distorções do sistema de impostos, dando um salto na qualidade ambiental”, afirma Bernard Appy, economista da LCA Consultores.

Câmara aprova PEC do Comércio Eletrônico em 1º turno

A Câmara dos Deputados aprovou ontem, em primeiro turno, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 197/2012, que altera a cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas operações de comércio eletrônico para que a alíquota interestadual do tributo passe a ir para os cofres do Estado comprador.

Brasil Econômico

A Câmara dos Deputados aprovou ontem, em primeiro turno, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 197/2012, que altera a cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas operações de comércio eletrônico para que a alíquota interestadual do tributo passe a ir para os cofres do Estado comprador.

Manchete : Se não dá para cumprir a meta, mude-se a regra

Sem possibilidade de alcançar a meta de superávit fiscal para este ano, o governo enviou ao Congresso um projeto de lei que, na prática, o libera dessa obrigação. Pela proposta, os gastos do PAC e das desonerações tributárias poderão ser descontados da meta. O governo diz que vai fazer algum superávit em 2014, mas não estabelece de quanto. (Págs. 4 e 5)

Eike Batista de volta ao Glória

Em comunicado conjunto, a suíça Acron e a EBX anunciaram a conclusão das negociações para a transferência do hotel, que está com as obras paralisadas desde o ano passado. A expectativa agora é de reabrir em 2016. Eike será parceiro na remodelação do empreendimento. (Pág. 13)

Telefônica se previne contra calote

Até setembro, a empresa elevou em 15,7% sua provisão para devedores duvidosos, em grande parte devido à migração de clientes de planos pré para pós-pagos. (Págs. 10 e 11)

Marta deixa o cargo atirando

Senadora surpreende ao apresentar carta de demissão do Ministério da Cultura com críticas à equipe econômica. (Pág. 3)

Safra de soja cresce mesmo com seca

À espera do El Niño, produtores se mantêm otimistas e afastam a possibilidade de que a estiagem atrapalhe a safra do grão. Para especialistas, no entanto, já existem perdas. (Pág. 7)

Mosaico Político

Gilberto Nascimento

PETISTA QUER ACORDO COM PMDB

Uma parte da bancada do PT defendia, ontem à tarde, que o partido aceite a candidatura de um peemedebista para a presidência da Câmara, desde que não seja ligado ao atual líder do partido na Casa, Eduardo Cunha (RJ). (Pág. 2)

O mercado como ele é…

Luiz Sérgio Guimarães

ALTERAÇÃO NA LDO DISPARA JURO

Os juros dispararam ontem no mercado futuro da BM&F. O detonador principal foi o projeto de lei do executivo enviado ontem ao Congresso que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). (Pág. 22)

Ponto Final

Octávio Costa

A INDÚSTRIA ENCOLHEU

Em abril de 2007, o economista Júlio Gomes de Almeida, então secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, fez duras críticas à política de juros do Banco Central e ao seu efeito sobre a taxa de câmbio. (…) Sua crítica teve repercussão no Banco Central e muita gente desconfiou que o autor da avaliação, na verdade, estava se despedindo do governo. O que veio a se confirmar dias depois, quando o ministro Guido Mantega anunciou um novo titular para a secretaria de Política Econômica. (Pág. 32)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : De saída, Marta provoca mal-estar com Planalto

Petista deixa Ministério da Cultura com crítica à política econômica de Dilma

A ministra Marta Suplicy (Cultura) entregou nesta terça (11) sua carta de demissão com críticas indiretas à presidente Dilma Rousseff (PT), ao desejar que sua correligionária “seja iluminada” para escolher uma equipe econômica capaz de recuperar a credibilidade do governo. Segundo assessores presidenciais, Marta foi “desleal” ao deixar o governo quando Dilma viaja ao exterior. Também não agradou a ênfase dada a um ponto frágil do governo, a economia. Marta voltará ao Senado e pode se dedicar ao plano de disputar a Prefeitura de SP. A alfinetada de Marta em Dilma reflete críticas que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz à sucessora no comando da economia. Na Esplanada desde setembro de 2012, o relacionamento entre as duas esfriou quando a ministra foi porta-voz do movimento “Volta, Lula”. Com a saída abrupta, a Casa Civil acionou os outros ministros para que colocassem os cargos à disposição num gesto para deixar Dilma à vontade na montagem de sua nova equipe. (Poder a4 e a5)

Igor Gielow

Saída de Marta retrata momento delicado de Dilma em relação a Lula e ao PT. (Opinião a2)

Economia fixa de água afetará todas as áreas de São Paulo

Todas as regiões paulistanas serão afetadas pela decisão do governo Alckmin (PSDB) de tornar permanente a redução da pressão na rede de água à noite. A pressão menor é a principal hipótese para a constante falta de água nas residências da Grande São Paulo. Para a Sabesp, não é racionamento, e sim uma ação que almeja evitar o desperdício de água, gerando uma “economia fabulosa”. (Cotidiano C1)

Governo recorre a nova manobra para fechar suas contas deste ano

A gestão Dilma criou brecha para descumprir a meta de economia para pagar juros da dívida pública. O governo pediu ao Congresso autorização para descontar todos os gastos do P AC e de desonerações tributárias, um valor que soma R$ 130,4 bilhões até outubro. O projeto original previa limitação de R$ 6 7 bilhões para o desconto em 2014. (Mercado b1)

Pesquisadores de Brasil e EU A testam droga contra autismo

Um dente de leite doado por um garoto autista permitiu testar pela primeira vez a ação de medicamentos sobre células afetadas por esse transtorno. O trabalho tem sido conduzido por cientistas da USP e das universidades Yale e da Califórnia, ambas nos EUA. Os estudos deram origem a droga que pode ajudar a corrigir o problema. (Ciência C5)

Estatal expõe ‘maior escândalo’ já visto por TCU, diz ministro (Poder A9)

Petista vinculado a doleiro terá cassação votada em plenário (Poder A8)

EUA e China estão perto de cortar tarifas de produtos tecnológicos (Mercado B6)

Foto-legenda : Tensão pré-prova

Na sua casa, Mariana, 8, estuda para o Saresp, exame que avalia o aprendizado na rede pública paulista e abrange 2,1 milhões de alunos; com encerramento hoje (12), o teste pode garantir um bônus de até três salários aos professores (Cotidiano C4)

Editoriais

Leia “Paradoxo da Petrobras”, a respeito de escândalo na estatal, e “Além do aperto de mãos”, sobre retomada de diálogo entre a China e o Japão. (Opinião A2)

EBC

Edição: Equipe Fenatracoop

admin