Manchete nos Jornais desta Quarta-Feira, 03 de Dezembro de 2014

Indústria para, e PIB não deve subir no 4º trimestre

Com queda em 16 dos 24 setores, a produção industrial ficou estagnada em outubro, contrariando a expectativa de alta de analistas. No ano, a indústria acumula recuo de 3%. Para economistas, o resultado aumenta a chance de o PIB do quarto trimestre não mostrar crescimento.

Cepal prevê crescimento menor do Brasil

Estudo inclui ainda Argentina e Venezuela na lista das mais baixas taxas de crescimento da economia na América Latina em 2015…

CNJ encontra erro e suspende pagamento de dívidas da União

A corregedora Nancy Andrighi suspendeu pagamentos de dívidas da União (os precatórios, que Estados e municípios também pagam), após o Conselho Nacional de Justiça apontar erro na correção dos débitos, informa Severino Motta. Os valores eram atualizados pelo IPCA-E, em vez da TR, que é mais baixa. Segundo Andrighi, com a decisão, se evitou um prejuízo de R$ 1, 5 bilhão.

O Globo

Manchete : Costa revela que delatou 35 políticos

Há corrupção ‘no Brasil inteiro’, afirma ex-diretor
Delator alega que estava ‘enojado’
Pasadena foi decisão do Conselho da estatal

Em acareação com o também ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, Paulo Roberto Costa disse ontem na CPI Mista que mencionou o nome de “algumas dezenas” de políticos em seus depoimentos na delação premiada, que estão sob sigilo. Logo depois, em conversa com o deputado Enio Bacci (PDT-RS), ele informou que são 35 políticos envolvidos no esquema investigado pela Lava-Jato. Costa afirmou ainda que a corrupção descoberta na estatal ocorre no “Brasil inteiro”, atingindo obras de rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrelétricas. O ex-diretor reafirmou todas as denúncias que fez à justiça e, por duas vezes, se disse enojado com a corrupção na estatal. Ele usou esse termo pela primeira vez ao se referir ao fato de ter enviado, em setembro de 2009, um e-mail “diretamente para a ministra da Casa Civil na época”, a hoje presidente Dilma, em que relatava problemas na estatal apontados pelo TCU. Já Cerveró manteve a estratégia de negar envolvimento no esquema e disse desconhecer corrupção na empresa. Os dois concordaram num ponto: a compra da refinaria de Pasadena, que deu prejuízo à estatal, é da responsabilidade do Conselho da Petrobras, na época presidido por Dilma. (Págs 3 e 4)

Tumulto no Congresso adia votação de manobra

Um tumulto nas galerias da Câmara, com empurrões entre deputados da oposição e seguranças, adiou para hoje a votação do projeto que autoriza o governo a descumprir a meta fiscal. A bancada do PMDB decidiu apoiar o projeto após decreto de Dilma condicionar a liberação de emendas à aprovação da proposta. (Pág. 5)

Oposição recorrerá ao STF

A oposição vai ao STF contra o decreto de Dilma, considerado por Aécio chantagem. (Pág. 6)

Plataforma de mais gastos

Ao oficializar sua candidatura a presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) fez dez promessas, incluindo equiparar os subsídios de deputados aos de ministros do STF. (Pág. 7)

Porto à espera de parecer do Iphan

As obras do Porto estão paradas em seis pontos à espera do sinal verde do Iphan, que analisa se áreas tem valor arqueológico. Impasse pode afetar cronograma até 2016. (Pág. 10)

Reserva de Carbono – Índios, guardiões do clima

Terras indígenas são reservas de carbono e ajudam a regular clima, diz estudo. (Pág. 25)

Ilimar Franco

PT quer desbancar Cid Gomes

Os petistas entraram em campo contra a escolha do governador Cid Gomes para a Educação. Foi acionado o governador eleito de MG, Fernando Pimentel, que já teria até candidato a tiracolo, o deputado Reginaldo Lopes. Enquanto isso, a assessoria de Cid afirmava que os governadores Robinson Faria (RN) e Flávio Dino (MA) foram ao Ceará conhecer seus projetos de escolas profissionais e alfabetização na idade certa. (Pág. 2)

Merval Pereira

Um fator complicador

Disputa ideológica no governo dificultará tarefa de Levy. (Pág. 4)

Míriam Leitão

Sempre ela

O IBGE divulgou ontem o primeiro indicador de atividade do quarto trimestre, e o número decepcionou. A indústria ficou estagnada em outubro. No ano, tem queda de 3%, com alta em apenas três meses. Passados os efeitos paralisantes da Copa do Mundo, pouca coisa mudou. A indústria não aumenta as exportações e sente a perda de fôlego do consumo e dos investimentos. (Pág. 20)

Editorial

A agenda de microrreformas do futuro ministro

Armando Monteiro, anunciado para tratar da indústria e do comércio exterior, dá bom passo ao defender alterações regulatórias que facilitem a vida das empresas. (Pág. 16)

————————————————————————————

O Estado de S.Paulo

– Costa diz que devio de verba em estatais é “generalizado”

– Votação é adiada após confusão

– CGU abre processo contra outros diretores

– Haddad: “Tem que receber o boleto antes de reclamar”

– Vale vai diminuir investimento pelo quarto ano seguido

Zero Hora

Manchete : Empresários vão à Justiça contra novo piso regional

Aprovado ontem pela Assembleia, projeto que eleva em 16% o mínimo no RS será questionado nos tribunais. Entidades dizem que aumento não poderia ter sido encaminhado em ano eleitoral. (Notícias | 10)

Mexendo na ferida

Dividida entre os que defendem o esquecimento e quem clama por Justiça, Santa Maria acompanha, a partir de hoje, a limpeza da boate Kiss, palco da tragédia que matou 242 jovens em 2013. (Notícias | 6 e 7)

Ex-diretores frente a frente

Em acareação, Costa se diz arrependido, e Cerveró nega propina. (Notícias | 14)

Os prováveis nomes da lista de Sartori

Equipe, que ainda não está completa, deve ser menor do que a atual. (Rosane de Oliveira | 8)

————————————————————————————

Valor

– Dinheiro do socorro acaba e elétricas terão de usar caixa 

Dois meses antes do previsto, acabou o dinheiro do empréstimo de R$ 17,8 bilhões feito por um grupo de bancos para socorrer as distribuidoras de energia e conter os reajustes das contas de luz em 2014. Não sobrou nada para os meses de novembro e dezembro e a conta de outubro já está negativa em R$ 266 milhões…  encaminhada pelo governo. O mais provável é que o dinheiro saia do caixa das próprias distribuidoras, pelo … Dois meses antes do previsto, acabou o dinheiro do empréstimo de R$ 17,8 bilhões feito por um … Elétrica para pagar os custos do acionamento intensivo das térmicas e da exposição involuntária das …

– Vale confirma que pode cindir área de metais

A abertura de capital da área de metais básicos é uma das alternativas consideradas pela Vale para conseguir uma “precificação mais adequada” para os ativos de níquel e cobre, em um momento em que esses produtos respondem por fatia expressiva do seu faturamento. O presidente da empresa, Murilo Ferreira, confirmou que o objetivo é ter pronta em agosto a documentação necessária para ser analisada por conselheiros e acionistas. A possível cisão da área de metais básicos foi antecipada pelo Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor. A Vale também analisa vender a área de fertilizantes.

– Espanha ainda longe do paraíso 

Há apenas um ano e meio, a Espanha estava no fundo do poço. A crise no país ameaçava até implodir o euro, a moeda única europeia. Agora, chegou a vez de os espanhóis acusarem o resto da Europa de estar freando o crescimento de sua economia. Em 18 meses, a Espanha conseguiu passar do inferno ao purgatório. Mas o paraíso ainda parece distante, especialmente para seus 23,6% de desempregados.

– OCDE coíbe uso de juros sobre capital próprio

O governo pode usar um “empurrão externo” como argumento se quiser levar adiante a proposta em estudo sobre o fim do incentivo fiscal propiciado pelos Juros sobre Capital Próprio (JCP), que reduz a base de Imposto de Renda e CSLL a pagar das empresas que atuam no Brasil. O benefício está na mira dos países desenvolvidos, que por meio da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) coordenam o programa contra a Erosão de Base e Transferência de Lucros…em estudo sobre o fim do incentivo fiscal propiciado pelos Juros sobre Capital Próprio (JCP), que … Econômico (OCDE) coordenam o programa contra a Erosão de Base e Transferência de Lucros. Levantamento … pouco mais de R$ 25 bilhões com o uso desse instrumento ao longo de 2014. Como há retenção na fonte na …

– Dilma sinaliza criação de teto para despesa 

A presidente Dilma Rousseff assumiu ontem, pela primeira vez, compromissos importantes com o ajuste fiscal e com o controle “rigoroso” da inflação para viabilizar a retomada do crescimento. Em carta enviada para ser lida em evento promovido pelo J.P. Morgan, Dilma sinalizou a possibilidade de criação de um teto para as despesas ao informar que “as iniciativas em análise envolvem tanto reformas do lado fiscal, para adequar a taxa de crescimento do gasto público ao crescimento da economia, quanto maior desenvolvimento financeiro, com aumento da participação de fontes privadas no financiamento de longo prazo, em especial, da infraestrutura”.

Brasil Econômico

Manchete : Gaúcha quer tirar fatia da Petrobras no setor de gás

Viabilizados pelo aumento do preço da energia térmica no último leilão da ANP, os dois terminais para importação de gás natural liquefeito projetados pela gaúcha Bolognesi, em Rio Grande(RS) e Ipojuca (PE), terão produção excedente de 16 milhões de metros cúbicos/dia. O volume é suficiente para abastecer 37% do mercado não térmico do país. (Págs. 6 e 7)

Indústria – Setor volta a dar sinais de recuo e sem perspectiva

Pesquisa do IBGE mostrou que a produção industrial ficou estável em outubro e acumula no ano uma queda de 3%. De acordo com a CNI, apesar do aumento de 3,1% no faturamento do mês passado, o número de horas trabalhadas caiu 0,3% e o nível de utilização da capacidade instalada está em 80,6%. (Págs. 4 e 5)

Dezenas de políticos na lista de Costa

Em depoimento na CPMI, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que as propinas envolvem dezenas de políticos. (Pág. 9)

Um dia que o governo gostaria de esquecer

Manifestações nas galerias do Congresso atrasam votação de projeto de lei que flexibiliza superávit primário. Na Câmara, Eduardo Cunha oficializa sua candidatura à presidência. (Pág. 3)

Cepal prevê crescimento menor do Brasil

Estudo inclui ainda Argentina e Venezuela na lista das mais baixas taxas de crescimento da economia na América Latina em 2015. (Pág. 10)

Mosaico Político

Gilberto Nascimento

A CRISE DE IDENTIDADE DO PT

Grupos que fazem oposição ao comando nacional do PT comemoram o fato de os dirigentes do partido admitirem o clima de apreensão com os rumos do partido, ainda mais com a possibilidade de as investigações da corrupção na Petrobras atingirem outros líderes petistas. (Pág. 2)

O mercado como ele é…

Luiz Sérgio Guimarães

TUDO PELA CREDIBILIDADE

Se não fosse pela necessidade premente do governo de restaurar a confiança dos agentes econômicos nos rumos da economia, o Copom do Banco Central deveria hoje reduzir a Selic, e não aumentá-la, como vai fazer, dada a estagnação da indústria, que já afeta negativamente a balança comercial, a ausência de inflação de demanda e a prostração comatosa da economia mundial. (Pág. 21)

Ponto Final

Octávio Costa

A APOSTA EM DIAS MELHORES

Em sua longa gestão à frente do Ministério da Fazenda, Guido Mantega acostumou-se a usar o mesmo comentário ao rebater perguntas sobre o mau desempenho da economia: “Não adianta olhar a economia pelo espelho retrovisor. Importante é olhar para a frente”. (Pág. 32)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Entreguei ‘dezenas’ de políticos, afirma delator

No Congresso, ex-diretor da Petrobras diz que corrupção ocorre ‘no país inteiro’

Em acareação na CPI da Petrobras, o delator Paulo Roberto Costa disse a deputados e senadores que entregou “algumas dezenas” de políticos nos depoimentos sigilosos da Operação Lava Jato, que investiga a Petrobras. Ele foi solto após acordo de delação com a Justiça. Segundo o ex-diretor da estatal, a corrupção se espalha pelo país. “O que ocorre na Petrobras acontece no país inteiro: portos, aeroportos, hidrelétricas, ferrovias e rodovias. É só pesquisar.” Costa afirmou que chegou a ficar “enojado” com o que ocorria na empresa. “Todos os diretores da Petrobras e de outras [estatais], sem apoio político, não chegavam a diretor. Infelizmente, aceitei. Se pudesse, não faria isso. Esse cargo me deixou onde estou hoje.” O delator afirmou que não falaria mais devido ao acordo com a Justiça. Na acareação, o ex-diretor de assuntos internacionais Nestor Cerveró voltou a declarar que nada sabia sobre cartel, existência de superfaturamento ou pagamento de propinas. (Poder a4)

CNJ encontra erro e suspende pagamento de dívidas da União

A corregedora Nancy Andrighi suspendeu pagamentos de dívidas da União (os precatórios, que Estados e municípios também pagam), após o Conselho Nacional de Justiça apontar erro na correção dos débitos, informa Severino Motta. Os valores eram atualizados pelo IPCA-E, em vez da TR, que é mais baixa. Segundo Andrighi, com a decisão, se evitou um prejuízo de R$ 1, 5 bilhão. (Poder a8)

Foto-legenda : Descompostura

Seguranças do Congresso e manifestantes contrários ao governo entram em confronto em Brasília na sessão que votaria nesta terça (2) a manobra fiscal para tentar fechar as contas do ano; com a confusão, que teve troca de socos e gritaria, a votação foi adiada para hoje. (Mercado B3)

Alckmin cogita taxa extra para água e diz ser contra o ‘gastão’

Passada a eleição, na qual foi reeleito governador de São Paulo, e em meio à crise hídrica no Estado, o tucano Geraldo Alckmin voltou a cogitar cobrança de sobretaxa na conta de água de quem ampliar o consumo. Questionado sobre se é a favor da medida, que será avaliada por agência reguladora, ele declarou ser “contra o gastão”. (Cotidiano C1)

Para nível subir, represas precisam de garoa contínua; não de tempestade. (C3)

Em carta, Dilma reforça promessa de conter despesas

Em carta lida em evento de um banco de investimentos, a presidente Dilma enfatizou o foco de seu segundo mandato nas contas públicas. Dilma disse que seu governo buscará a redução da dívida pública bruta em relação ao PIB, que cresceu nos últimos anos. (Mercado b3)

Indústria para, e PIB não deve subir no 4º trimestre

Com queda em 16 dos 24 setores, a produção industrial ficou estagnada em outubro, contrariando a expectativa de alta de analistas. No ano, a indústria acumula recuo de 3%. Para economistas, o resultado aumenta a chance de o PIB do quarto trimestre não mostrar crescimento. (Mercado b1)

Foto-legenda : 23 meses depois

A boate Kiss, em Santa Maria (RS), onde incêndio em janeiro de 2013 deixou 242 mortos; após liberação da perícia, teve início ontem a limpeza do local (Cotidiano C6)

Lei antifumo que vale para todo o Brasil começa a vigorar hoje (Cotidiano C5)

Alexandre Schwartsman

Após o pibículo de 2014, vem aí o pibelho em 2015

O gráfico do PIB brasileiro parece o eletrocardiograma de um defunto. Pelos indicadores até aqui, após o pibículo de 2014, a economia em 2015 deverá ter um ‘pibelho’. Aguardo sugestões de diminutivos para 2016. (Mercado b8)

Elio Gaspari

No caso Petrobras, governo e oposição dançam conforme uma coreografia da insinuação. (a6)

Editoriais

Leia “Teias da corrupção”, a respeito de escândalo da Petrobras, e “Tranquilo Uruguai”, sobre resultado de eleições presidenciais no país. (Opinião A2)

 

EBC

Edição: Equipe Fenatracoop

admin