Eleitor vê horário eleitoral com propostas velhas e repetitivas

Kendoli Costa diz que o conteúdo está fraco, sem propostas mais objetivas (Foto: Marcelo Victor)

Kendoli Costa diz que o conteúdo está fraco, sem propostas mais objetivas (Foto: Marcelo Victor)

Os eleitores entrevistados pelo Campo Grande News afirmaram que os candidatos na eleição deste ano estão apresentando propostas “antigas” durante o programa eleitoral, sempre citando áreas como saúde, segurança e educação, sem demonstrar projetos novos sobre os temas. Eles também destacaram que os discursos são repetitivos e semelhantes.

Kendoli Costa Queiroz, 20, ponderou que as propostas são repetitivas, iguais a da eleição passada. “Considero que o conteúdo está fraco, é preciso ter propostas mais objetivas, sempre citam as mesmas questões, sem se aprofundar sobre o tema”, apontou. Ela ainda destacou que o programa é muito demorado. “Poderia ser mais curto, além do fato que tem muito candidato esquisito”.

“Estou assistindo desde semana passada e parece que é a mesma coisa, muda os candidatos e o discurso é o mesmo, mas também não esperava nada de novo, o cenário político continua igual, sem mudanças”, ressaltou o técnico agropecuário, Gilberto Oliveira, de 32 anos.

Gilberto Oliveira diz que os candidatos estão com propostas repetitivas, sem novidades no horário eleitoral (Foto: Marcelo Victor)

Gilberto Oliveira diz que os candidatos estão com propostas repetitivas, sem novidades no horário eleitoral (Foto: Marcelo Victor)

O armador Arildo da Silva, 63, confessou que não teve tempo para analisar melhor os programas, mas logo adiantou que as promessas são as mesmas, com discursos parecidos. “Eles prometem e depois não cumprem, o foco deveria ser a segurança, prefiro participar de reuniões e conhecer os candidatos, para depois decidir voto”.

Jeberson Fernandes, 26, que trabalha na construção civil, ressaltou que os programas eleitorais sempre seguem o mesmo modelo, com discursos e propostas ensaiadas, sem trazer novidades. “Por isso prefiro assistir os debates com os candidatos e as entrevistas, já que assim conhecemos como eles realmente são”, apontou.

Clarisse Silva Santos, 21, reconheceu que só escolhe seus candidatos na última hora, pois antes não se sente convencida pelas propostas “parecidas” que aparecem na televisão e rádio. “Não estou gostando, não há novidade, muitaz vezes prefiro desligar a TV, deveriam ter mais projetos para saúde“.

O programa eleitoral começou na semana passada, dia 19, e irá seguir até o dia 2 de outubro, no rádio e TV, em dois períodos diários de 50 minutos. Eles foram divididos da seguinte forma: segundas, quartas e sextas para os candidatos ao governo estadual, Senado e deputado estadual. Já às terças, quintas e sábados serão destinados aos candidatos a presidência da república e deputados federal.

Os candidatos ao governo estadual já reconheceram que o programa eleitoral continua sendo a principal “arma de comunicação”, pois atinge o maior número de pessoas. Já os postulantes a vaga no legislativo estadual e federal afirmaram que este (programa) acrescenta pouco em suas campanhas, devido ao tempo reduzido para apresentar propostas.

Arildo Silva diz que promessas são antigas e que o foco deveria ser segurança (Foto: Marcelo Victor)

Arildo Silva diz que promessas são antigas e que o foco deveria ser segurança (Foto: Marcelo Victor)

Jeberson Fernandes comenta que os discursos são ensaiados, por isso prefere debates e entrevistas com os candidatos (Foto: Marcelo Victor)

Jeberson Fernandes comenta que os discursos são ensaiados, por isso prefere debates e entrevistas com os candidatos (Foto: Marcelo Victor)
Fonte: Campo Grande News
admin