Título da categoria

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait.

Arquivo de categoria Gestão de Pessoas

Nova diretoria será eleita pelos trabalhadores em cooperativas

Os trabalhadores em cooperativas do estado de Rondônia estão participando de um processo eleitoral para eleger a nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Celetistas nas Cooperativas – Sintracoop – RO. Para garantir a transparência e o bom andamento dos trabalhos, uma comissão eleitoral foi nomeada pela Federação Nacional dos Trabalhadores Celetistas nas Cooperativas no Brasil – Fenatracoop, que tem o compromisso de conduzir e fiscalizar todo o processo eleitoral que teve inicio no dia de ontem (04/10) e segue até o final desta terça-feira dia 05 de outubro.

A comissão eleitoral, formada pelo presidente Yuri Guerman, secretário Fabio Viana e os mesários: Anderson Castro e Nivair de Castro de Souza, esteve na manhã de hoje, na sede da cooperativa Unimed de Porto Velho acompanhando os trabalhos e coletando os votos daqueles trabalhadores. “Estamos percorrendo as cooperativas do estado de Rondônia para garantir a seriedade e a transparência do processo eleitoral onde os trabalhadores estão votando para eleger a nova diretoria do seu sindicato para a gestão de 2021 a 2026”, afirma Yuri Guerman.

A apuração dos votos e a posse da nova diretoria, está prevista para às 19h00 desta terça-feira, na sede da entidade sindical que fica localizada na Avenida Guaporé, 3421, sala 06, bairro Agenor de Carvalho em Porto Velho.

Manchete nos Jornais desta Quarta-feira, 15 de Setembro de 2021

Desoneração da folha começa a ser votada hoje
Incentivo termina este ano, e seu fim pode provocar demissões nas atividades (Valor)

Empresas abertas recomendam vacinação dos funcionários
Companhias desenham estratégias para a volta do trabalho presencial (Valor)

Supremo derruba decisão do TST sobre responsabilidade de dívida trabalhista
O ministro relator, Gilmar Mendes, lembrou do cancelamento da Súmula 205 do TST que previa: “O responsável solidário, integrante do grupo econômico, que não participou da relação processual como reclamado e que, portanto, não consta no título executivo judicial como devedor, não pode ser sujeito passivo na execução”.Isso porque, pontuou Gilmar, o parágrafo 5º do artigo 513 do CPC determina que o cumprimento da sentença não poderá ser promovido em face do fiador, do coobrigado ou do corresponsável que não tiver participado da fase de conhecimento. “Se realmente as empresas que forem responsáveis na qualidade de devedoras solidárias pela alegação de grupo econômico tiverem que participar da fase de conhecimento, nós vamos mudar de forma substancial toda a lógica das ações trabalhistas, principalmente na fase executiva”, completou. (Folha)

Presidente do BC critica velocidade de reajustes de combustíveis da Petrobras
Chefe da estatal diz que cotações embutem custo de produção e que não há espaço para aventuras. Ao falar sobre como a volatilidade no câmbio afeta a inflação, ele afirmou que a estatal repassa as variações aos combustíveis de forma muito mais rápida que em outros países. “No Brasil, o mecanismo é um pouco mais rápido [de repasse], lembrando que a Petrobras passa preços muito mais rápido do que grande parte dos outros países, a gente tem olhado isso também”, afirmou Campos Neto. A Petrobras afirma em seu site que a política de preços que adota tem como base o preço de paridade de importação, que é formado por cotações internacionais e custos que importadores teriam para trazer combustível de fora ao Brasil, como transporte e taxas portuárias, além de margem para cobrir eventuais riscos. Os aumentos da gasolina vêm pressionando o IPCA (índice oficial de preços). Em agosto, o índice avançou 0,87%, a maior taxa em 21 anos. Oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados subiram em agosto, com destaque para o segmento de transportes. Puxado pelos combustíveis, esse ramo registrou a maior variação (1,46%) e o maior impacto (0,31 ponto percentual) no índice geral do mês. Em alguns locais do país, o litro da gasolina já chega a R$7, enquanto o botijão de gás passa de R$ 100. (Folha)

O Estado de S. Paulo

  • Setor de serviços tem alta e maior nível em 5 anos
  • País está quase falido, afirma Arminio
  • Projeto da ‘BR do Mar’ volta a incluir isenções tributárias
  • Defesa de reforma une empresários e servidores
  • Gasolina sobe ‘mais rápido’ no País, diz BC
  • ‘Incerteza fiscal preocupa mais do que as eleições’
  • BC levará Selic ‘aonde precisar’; mercado reduz projeção do PIB
  • Termo de consentimento para vacina não será obrigatório em SP
  • Avião cai e mata empresário e família
  • Cantareira e Horto terão mesmo gestor do Ibirapuera
  • Com o replantio, Mata Atlântica mantém a média de cobertura vegetal de 1985

O Globo

  • Momento é ruim para aprovar reformas, diz Arminio
  • Juros futuros caem, e mercado agora prevê alta de 1 ponto na Selic
  • Campos Neto diz que Petrobras eleva preço rápido
  • Com alta da Selic, bancos vão aumentar juro da casa própria
  • Desoneração da folha vai a votação na Câmara
  • Termelétrica no Rio terá início de operação antecipado, diz ministro
  • ‘Atropelo é sinal de que o risco país aumentou’
  • Governo libera posto a vender gasolina de qualquer marca
  • Guedes diz que ‘barulho político’ não deixa dólar cair
  • Previsão do PIB para 2022 já fica abaixo de 1%
  • SoftBank dobra aposta na América Latina com fundo de US$ 3 bilhões
  • Secretários de Saúde pedem prioridade para 3ª dose
  • Pandemia superou campeãs de mortalidade no país
  • Taxa de transmissão do coronavírus cai a nível de 2020
  • No descompasso

Folha de S. Paulo

  • Onyx insiste em minirreforma trabalhista e faz críticas à CLT
  • BC não mudará plano a cada dado novo que sai, diz Campos Neto
  • Barulho político não deixa o dólar descer, afirma Guedes
  • Congressistas querem mudar Bolsa Família elevando gastos
  • Conta de energia deve subir menos em 2022, afirmam especialistas
  • É preciso considerar a real possibilidade de uma 3a. via mudar cenário, diz Stuhlberger
  • Volta do horário de verão ganha apoio no setor elétrico
  • Análise – Mauro Zafalon: Aumenta o desembarque do agro do governo
  • Fintechs querem reduzir juros e diminuir burocracia para empresas
  • Mercado enxerga Petrobras no rumo certo, mas declarações sobre preços derrubam ações
  • Serviços avançam 1,1% em julho e atingem maior nível desde março de 2016
  • Presidente do BC critica velocidade de reajustes de combustíveis da Petrobras
  • Racionamento pode zerar alta do PIB em 2022, diz XP
  • Economistas preveem PIB abaixo de 1% em 2022
  • Proteção da Janssen pode ser insuficiente contra Covid, aponta estudo
  • Apenas 1 em cada 3 pessoas acima dos 90 anos já tomou a dose adicional na capital paulista
  • Segunda dose da Pfizer acaba em postos de São Paulo
  • Cinco capitais têm falta de vacina contra Covid

Valor Econômico

  • Desoneração da folha começa a ser votada hoje
    Incentivo termina este ano, e seu fim pode provocar demissões nas atividades
  • É preciso cautela com superávit dos Estados, afirma Tesouro
    Orgão vê melhora, mas diz que benefício tributário segue alto
  • Governos regionais veem recursos em caixa dobrar
    Nos municípios, crescimento foi de quase seis vezes nos haveres financeiros, afirma Tesouro
  • ‘Projeto de tributação da renda não está maduro e tem efeitos negativos’, diz Appy
    Analistas avaliam que reforma do IR, embora traga alguma progressividade, perdeu foco
  • Ainda há tempo para terceira via, diz Fraga
    Para o economista, Estado brasileiro está “em situação pré-falimentar” e é muito grande para um país de renda média
  • Empresas abertas recomendam vacinação dos funcionários
    Companhias desenham estratégias para a volta do trabalho presencial
  • Classificação da doença é incerta
    Contaminação no ambiente de trabalho é alvo de disputas judiciais
  • 5G ainda enfrenta desafios no país
    Ministro garante implementação nas capitais ano que vem, mas especialistas alertam para gargalos na infraestrutura e na capacitação de pessoal
  • Programas de mentoria ensinam jovens da periferia a sonhar alto
    Instituto Ser+ e Aldeias Infantis SOS fazem capacitações para entrada no mercado de trabalho
  • Supremo derruba decisão do TST sobre responsabilidade de dívida trabalhista
    Empresa pertenceria ao mesmo grupo econômico do empregador

Manchete nos Jornais desta Terça-feira, 18 de Maio de 2021

Excesso de trabalho faz subir risco de derrame
Estudo da OMS indica que trabalhar 55 ou mais horas por semana está associado a um risco 35% maior de AVC e 17% maior de morte por doença cardíaca isquêmica, em comparação com jornadas de 35 a 40 horas por semana. Com base em duas revisões sistemáticas e meta-análises de mais de 2.300 pesquisas em 154 países, o estudo concluiu que jornadas exaustivas (a partir de 55 horas semanais) provocaram a morte de 745 mil pessoas por doenças cardíacas ou acidentes vasculares cerebrais (AVC), em 2016 (dados mais recentes). O estudo calcula que trabalhar 55 ou mais horas por semana está associado a um risco 35% maior de um acidente vascular cerebral e um risco 17% maior de morrer de doença cardíaca isquêmica, em comparação com trabalhar 35-40 horas por semana. De acordo com a OMS, o excesso de trabalho responde por cerca de um terço da carga total de doenças relacionadas ao trabalho e é o principal fator de risco de doenças ocupacionais. O estudo recentemente divulgado cobriu os níveis global, regional e nacional, com mais de 839 mil participantes de experimentos sobre problemas cardíacos e mais de 768 mil participantes de pesquisas sobre derrames no período de 1970 a 2018.

Brasil é um dos países que mais gastam com funcionalismo público
Dados reunidos pelo Tesouro Nacional mostram que, de 74 países analisados, o Brasil tem a 7.ª maior despesa com servidores: 12,9% do PIB – o campeão é a Arábia Saudita, com 17,1%. Os números são de 2019 e consideram gastos com pessoal ativo de União, Estados e municípios. Penduricalhos para contornar o teto (R$ 39,2 mil mensais), salários maiores do que na iniciativa privada, brechas para acúmulo de remunerações e aumentos acima da inflação são fatores apontados para explicar a posição brasileira no ranking.

General Ramos assinou lei do orçamento secreto
Ministro reformulou proposta e articulou lei que originou a emenda do relator; mecanismo foi usado pelo governo Bolsonaro para distribuir R$ 3 bi a parlamentares aliados. A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, tinha convencido o presidente de que a nova emenda engessaria o governo, pois impactava o cálculo do resultado primário, afetando a meta fiscal. Mas, quando Ramos ressuscitou a proposta, Bolsonaro trocou as justificativas técnicas que usou para barrar a medida pela criação de um orçamento que lhe permitira escolher quais parlamentares seriam beneficiados com bilhões de reais.No mesmo projeto enviado ao Congresso, o general da reserva chegou a incluir no texto um artigo, o 64-A, que dava ao Congresso o direito de indicar o que deveria ser feito com o dinheiro.

O Estado de S. Paulo

  • Copel compra complexo eólico no Nordeste por R$ 1 bi
  • Mercado prevê avanço de 5,15% para a inflação
  • PIB teve alta no 1º trimestre, vê monitor da FGV
  • Reforma administrativa avança na CCJ
  • Investimento é insuficiente para manter estrutura
  • Manchete: Brasil é um dos países que mais gastam com funcionalismo público
  • Caixa demite presidente e dois diretores da Funcef; causa seria ‘insubordinação’
  • Esquerda e novatos serão maioria na Constituinte do Chile
  • Doações ainda não decolaram
  • Biden promete compartilhar 20 milhões de doses de vacinas com outros países

O Globo

  • Portugal sai na frente como principal destino turístico europeu
  • O consumidor quer escolher o que ver e o que comprar, diz analista
  • Amazon negocia com MGM
  • Novo gigante da mídia
  • Mercado Livre vai investir R$ 4 bi em São Paulo este ano
  • Governo vai lançar pacote para caminhoneiros
  • Na fronteira com os EUA, 28 vezes mais brasileiros
  • Governo Biden vai exportar 20 milhões de vacinas autorizadas
  • Analise – JanaÍna Figueiredo: Voto no Chile impactará região, alertam especialistas
  • Análise – André Duchiade: Fragmentação traz incógnita a novo pacto social
  • Nova ordem chilena
  • Gaza: EUA vetam pela 3a. vez resolução do Conselho de Segurança
  • Imazon: floresta tem o pior abril em uma década
  • China confirma envio de novos lotes de IFA ao Brasil
  • Órgão de Ministério da Saúde se posiciona, pela 1a vez, contra cloroquina
  • Estudo prevê risco de 3ª onda de Covid no inverno

Folha de S. Paulo

  • Não vão conseguir nos parar, diz vereadora que saiu do país após ameaças
  • Fórum Econômico Mundial cancela reunião anual de 2021
  • União deve ter pouco reflexo no Brasil, dizem analistas
  • AT&T e Discovery confirmam criação de gigante do streaming
  • Argentina manda Facebook suspender mudanças na política de privacidade
  • WhatsApp negocia com BC liberação de pagamentos via app para empresas
  • Jaqueline Ferreira e Larissa Rodrigues: Bancos aproveitam porteira para passar boiada
  • Projetos ferroviários de R$ 40 bi disputam grãos de Mato Grosso
  • Nova regra impede INSS de negar auxílio-doença sem perícia
  • Jovens ‘nem-nem* são negras, chefes de família e sem instrução
  • Bolsonaro compara ICMS de combustível a crime de estupro
  • Ex-assessora de Guedes vê debate tributário mais pobre
  • Juízes e procuradores conseguem adiar PEC que reduz férias de 60 para 30 dias
  • Mercado Livre anuncia investimento de R$ 4 bilhões em SP
  • Economia se reuniu com laboratórios, mas disse não ser responsável por vacinas
  • Atacamos porque Hamas usa mídia como escudo, diz porta-voz de Israel
  • EUA anunciam que vão doar mais 20 MI de doses de vacina
  • Israel mata alto comandante da Jihad Islâmica em Gaza
  • Colonialismo israelense é a origem da violência, diz embaixador palestino
  • Independentes derrotam governo em pleito para Constituinte chilena
  • Excesso de trabalho eleva em 35% risco de derrame, aponta OMS
  • Taxa de reinfecção em Manaus pode ter chegado a 31%
  • Regras para ‘xepa’ têm atualização
  • Hipertensos devem apresentar receita de só um remédio para se vacinar em São Paulo
  • Insumo para Coronavac deve chegar no dia 26, afirma Doria
  • Novas regras na Europa facilitam distribuição de doses
  • Número de anticorpos pós-vacina da Pfizer é menor em mais velhos
  • BA suspende festas de São João pelo 2o. ano seguido
  • Proporção de mortos por Covid com mais de 80 anos cai 60% em abril
  • Pesquisa aponta que festas são atividades mais inseguras
  • Isolamento atinge nível mais baixo da pandemia

Valor Econômico

  • Queda de incentivo fiscal será lenta
    Projeto da LDO do ano que vem mostra ligeira queda da renúncia tributária
  • Ritmo de avaliação genética do vírus deve triplicar
    Sequenciamento do coronavírus permite monitorar surgimento de novas variantes
  • Novo lote de insumo chinês permite 19 milhões de doses
    Mesmo assim, Fiocruz terá que interromper produção na quinta-feira à espera da matéria-prima
  • Commodities “salvam” a economia do país este ano
    Preços em alta, câmbio e comércio global favorecem o Brasil
  • Direita perde controle sobre nova Constituição no Chile
    Partidos tradicionais foram mal na eleição Constituinte. Resultado mostra que política tradicional sai derrotada, e o voto antiestablishment, vitorioso
  • Nos EUA, covid-19 afetou mais a renda de pessoas com baixa escolaridade
    No geral, 75% dos adultos americanos informaram que tinham uma condição econômica ao menos satisfatória em novembro de 2020. Mas, entre o adultos com ensino médio incompleto, esse percentual cai para 45%
  • Realização da pesquisa exige mais de 200 mil contratações
    São mais de 230 mil pessoas contratadas temporariamente, além da equipe de servidores do instituto
  • Mercado de gás de cozinha teme nova interferência
    Setor deve atrair investimentos para importação e produção nacional

OS JOVENS NA MIRA DO VÍRUS

Participação de não idosos em internações por COVID-19 cresce, gravidade dos casos aumenta e idade média diminui. Médicos veem comportamento de risco e falsa noção de invulnerabilidade.

“O percentual de pacientes mais jovens com necessidade de terapia intensiva aos pouquinhos vem subindo. (…) Ainda temos os idosos acima de 75, mas a porcentagem, que antes era de 80%, agora está em 60%” ■ Claudio Lemos, médico intensivista do Hospital Risoleta Tolentino Neves

Mistura de flexibilização de atividades, retomada do trabalho presencial, viagens em momento pouco oportuno, comportamento de risco e crença em baixa vulnerabilidade ao novo coronavírus vem fazendo dos jovens um dos grupos que inflam as internações por COVID-19 em Minas. Médicos que atuam na linha de frente do combate à pandemia relatam que a ocupação de leitos por não idosos cresce progressivamente, ao mesmo tempo em que a idade média dos internados cai. Hoje, no estado, entre crianças e as faixas mais avançadas (veja quadro) ,a média etária de casos não letais da doença é de 42 anos. E os quadros desses pacientes vêm se tornando mais graves.

“Muitos estão sendo intubados, respirando com aparelhos e grande parte está sendo letal”, diz Cristiano Pinheiro, que trabalha no Hospital de Campanha em Brumadinho, na Grande BH. Não por acaso, a participação de pessoas de menos de 60 anos no total de mortes pela COVID-19 está longe de ser desprezível: em Minas, representa 20% das vítimas, enquanto a capital fica pouco abaixo, com 16,6%. No Triângulo, onde o esgotamento dos leitos virou ameaça diária, dados da Universidade Federal do Triângulo Mineiro indicam que, nesta fase da epidemia, jovens entre 20 e 30 anos têm sido os mais afetados na cidade de Uberaba. A situação é tão grave que o município baixou decreto proibindo festas e punindo com multa não apenas os organizadores, mas os próprios participantes. Uma forma de tentar reduzir a pressão sobre a saúde e evitar que se concretizem previsões de um mês sombrio, como teme o intensivista Claudio Lemos, do Hospital Risoleta Tolentino Neves, em BH, que tem leitos no limite. “Estamos lotados; março vai ser um mês triste.”

Cuidados em locais de trabalho devem continuar mesmo com vacinação contra Covid-19

Especialistas dizem que medidas são necessárias até que haja queda significativa no número de casos da doença
Mesmo com a imunização contra a Covid-19 é muito importante ressaltar que todos devem continuar seguindo os protocolos de biossegurança no combate à doença. Os profissionais que não estão em home office, por exemplo, precisam atentar-se às principais orientações de segurança em ambientes de trabalho.

É exatamente o que a enfermeira Jéssica Amoras faz. Todos os dias, ao iniciar seu expediente, segue uma rotina rigorosa de cuidados para proteger-se e cuidar de seus colegas.

“As medidas de biossegurança sempre foram essenciais no meu ambiente de trabalho, porém após a pandemia esta prática se tornou ainda mais indispensável, passando a ser inserida na rotina diária. Hoje, mesmo após diminuição dos casos e imunização de uma parcela da população, permaneço iniciando meu dia realizando a desinfecção com álcool 70% das superfícies da minha sala. Hábito que certamente não irá se dissipar”, relata.

Especialistas alertam que mesmo após a população ser vacinada contra a Covid-19, por um bom tempo será necessário manter as medidas de biossegurança.

“As vacinas disponíveis no Brasil terão duas doses com intervalo entre uma e outra, então, para criarmos anticorpos não será imediato. Como não há imunidade instantânea, é preciso continuar usando máscara, evitar aglomeração, usar álcool em gel 70% e lavar as mãos corretamente. Continua a mesma orientação que nós tínhamos desde o início da pandemia”, ressalta a infectologista da Unimed Campo Grande, Dra. Haydeé Marina do Valle Pereira.

Dr. Maurício Pompilio, também infectologista da cooperativa médica, completa dizendo que “as pessoas que forem imunizadas contra a Covid-19 não poderão deixar de usar máscaras logo em seguida. A resposta imunológica desencadeada pela vacina não é imediata, pode demorar dias ou semanas. Haverá uma segunda dose para aumentar esta proteção”.
O médico conclui falando que “a proposta é continuarmos com as medidas protetoras após a vacinação até que haja queda significativa no número de casos local e mundialmente”.

Confira as dicas da Unimed Campo Grande para manter a higienização em locais de trabalho:

  • Deixar os ambientes o mais arejado possível: janelas abertas permitem a melhor circulação de ar. Se for inevitável o uso de ar-condicionado em ambientes corporativos, é importante manter um sistema de renovação de ar (que puxa o ar da rua) e realizar a limpeza frequente do filtro.
  • Sempre que possível, evite compartilhar elevadores ou mantenha uma distância mínima de um metro em relação a outras pessoas. Que tal subir de escadas e já aderir a um novo hábito pela saúde?
  • Higienize as mãos antes e depois de apertar os botões do elevador. O mesmo vale para locais onde há registro eletrônico de frequência
  • Em qualquer ambiente, mantenha distância mínima de 1,5 metro entre as pessoas e fique sempre de máscara. Lembre os cuidados na hora de usar e higienizar as máscaras de tecido
  • Se forem feitas refeições em ambientes comuns, aumente a distância para pelo menos 2 metros.
  • Atenção especial à higiene constante de equipamentos e superfícies compartilhadas: mesas, maçanetas, interruptores, bancadas, telefones, teclado do computador, puxadores, sanitários, torneiras e outros
  • A responsabilidade pela higiene da estação de trabalho e de equipamentos compartilhados precisa ser de todas as pessoas. Não espere só pela equipe de limpeza. Dica? Mantenha um borrifador com solução higienizante na sua mesa, ao lado do seu frasco de álcool gel.

Criada Câmara Temática das Coops de Reciclagem

Respeitar e ouvir todos os anseios das cooperativas do país. Essa é a missão do Sistema OCB visando à realização de iniciativas junto aos Três Poderes que impactem positivamente a vida de todos os mais de 15 milhões de cooperados brasileiros. Pensando assim, acaba de ser criada a Câmara Temática das Cooperativas de Reciclagem. A oficialização ocorreu na sexta-feira (26/2).

As coops de reciclagem foram duramente impactadas com os efeitos econômicos da pandemia. Os conselheiros, indicados pelas unidades estaduais do Sistema OCB, vão ajudar a priorizar os temas para que se possa encontrar mecanismos que garantam o desenvolvimento das cooperativas e, também, o bem-estar do quadro social.

Segundo o coordenador da Câmara Temática das Cooperativas de Reciclagem, Cleusimar Alves de Andrade, presidente da Cooperativa Recicle a Vida, o espaço de interlocução como esse ajuda a fortalecer o movimento e a orientar melhor a atuação de defesa do cooperativismo de reciclagem.

Da mesma forma, o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, endossou que a constituição da Câmara contribui para dignificar o trabalho do catador, por meio da união sistêmica de esforços – cooperativas, unidades estaduais e a unidade nacional.

Fonte: OCB – 02/03/2021

Sindicato forte é certeza de boas negociações.

O Sintracoop do Paraná, juntamente com a Fenatracoop, realizaram a negociação junto a Aurora Alimentos, o acordo firmado da ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) prevê o pagamento de participação nos resultados referente ao ano de 2020, após o balanço final da cooperativa. Com isso, no dia 04 de março cada trabalhador receberá 2 salários e meio a mais no seu pagamento.

As verbas só foram possíveis porque o sindicato e a cooperativa firmaram este acordo para o pagamento, porque entendem que os trabalhadores merecem valorização por todo esforço e dedicação que despendem a cooperativa e ajudam no crescimento e fortalecimento da Aurora Alimentos.

“Sabemos que apesar do ano desafiador, as cooperativas e os trabalhadores não deixaram de trabalhar por realizarem uma atividade essencial e por isso merecem fazer parte da distribuição dos resultados. Estamos muito felizes pelos trabalhadores e também com a cooperativa que firmou este acordo com nossa entidade sindical reconhecendo o valor do trabalhador e possibilitando o pagamento da PR”,

comemorou o presidente da Fenatracoop, Mauri Viana Pereira.

O gerente de gestão de pessoas da cooperativa, Nelson Paulo Rossi, agradeceu o empenho dos trabalhadores e a reconheceu a importância do Acordo de Participação nos Resultados para os trabalhadores

“acreditamos que estamos atingindo os objetivos propostos no Programa, valorizando o esforço coletivo, distribuindo renda e proporcionando um ambiente de cooperação mútua, onde todos os empregados tem a oportunidade de contribuir e crescer junto com a cooperativa”.

Nelson Paulo Rossi, gerente da cooperativa Aurora no Paraná.

Manchete nos Jornais deste Domingo, 28 de Fevereiro de 2021

Pandemia e crise despertam no brasileiro desejo de poupar
Pesquisa aponta que 69% dos entrevistados querem economizar, mas queda na renda fez poupança de 47% diminuir. A pandemia deixou milhões de pessoas sem fonte de renda e dependentes do socorro do governo. Para escapar dessa situação, os brasileiros, que historicamente não têm o hábito de poupar, se dizem dispostos a mudar a relação com o dinheiro no futuro. Por enquanto, esse desejo de ter uma reserva financeira ainda não se transformou em realidade para a maioria das pessoas. De acordo com o levantamento, a renda de 46% dos entrevistados diminuiu. O número é próximo ao de pessoas que reduziram suas economias: 47%. E apenas 16% conseguiram aumentar as economias no último ano.(O Estado de S. Paulo)

DNA MAIS FÁCIL VIA STARTUP
Origem. Associadas a grandes clínicas e laboratórios, análises de DNA se tornam mais acessíveis no País por empresas que utilizam ferramentas tecnológicas; serviços não apostam apenas em identificar conexões familiares, mas também em informações sobre saúde. No Brasil, onde a análise de DNA parecia coisa de programas de TV popularescos, retratando apenas casos de busca de paternidade, essas empresas começam a ganhar espaço oferecendo uma gama maior de informações, que vão desde ancestralidade até probabilidade de doenças e mutações nos genes. (in grifo) De acordo com a matéria as possibilidade do DNA são inúmeras, e os resultados tem conferido bem a demanda. (O Estado de S. Paulo)

Cresce adesão ao home office na esfera federal
Um em cada 4 servidores federais terminou 2020 em teletrabalho; 35 órgãos do governo já estudam a opção de tornar a prática permanente. O Ministério da Economia informou que havia 142.995 servidores federais do Poder Executivo em trabalho remoto integral no mês de dezembro de 2020, último levantamento realizado pela pasta. O número representa 23,8% dos 599,9 mil funcionários ativos no mesmo período. Os ganhos de produtividade e a redução de custos são justamente os efeitos buscados pelo Executivo federal ao adotar o trabalho remoto como prática permanente. Economia. Para 2021, a previsão é poupar um valor ainda mais significativo, pois a migração definitiva para o teletrabalho vai permitir ao governo se planejar para a revisão de aluguéis e ocupação de espaços físicos. (in grifo) Para o desconhecimento de alguns, atividade é exercida da mesma forma presencial, o que exige do profissional as competências dos saberes sobre conteúdos, dados estatísticos, informações precisas, entre outros, a ampla economia são inúmeras. Mesmo presencial as plataformas digitais colaboram expressivamente na produção dos trabalhos e a internete providência o envio, como já era feito de maneira presencial. Entre inúmeras atividades, as possibilidades tanto de economia como de produção ganha espaço em aderir esta nova forma de trabalho em home office. (O Estado de S. Paulo)

A disputa entre EUA e China será travada por meio de políticas industriais.
O que a leitura de trumpistas, supremacistas brancos e neonazistas nos dizem sobre o extremista americano. No ano passado, de acordo com estudos realizados no Reino Unido e nos Estados Unidos, também houve uma explosão nas buscas online por conteúdo extremista. Insatisfação em relação aos confinamentos e restrições ou perda de confiança no governo poderiam motivar a nova curiosidade.Quais textos as pessoas têm procurado? Pesquisadores estudam os hábitos literários da extrema direita monitorando listas de leituras trocadas nas redes sociais, textos promovidos em podcasts ou recitados por entusiastas como audiolivros no YouTube, produtos de editoras direitistas e, mais ao extremo, os discursos que servem como manifesto para quem comete atrocidades.
Juntos, esses elementos indicam a existência de várias linhas de textos de ódio. (in-grifo) Análise deste conteúdo é bem interessante para os que buscam informações sobre comportamento e o que a pandemia tem haver entre os fatos presentes e históricos do passado na reação social e pessoal, a matéria está no O Estado de S. Paulo.

O jornal segundo quem é de direita, de centro e de esquerda
Em debate virtual, leitores de direita dizem que a Folha é comunista, esquerdistas a chamam de golpista e centristas asseguram que não é nem uma coisa nem outra; mas todos se juntam para criticar o jornal por textos e fotos polêmicos.(Folha de S. Paulo) (in grifo) Segundo a tese jornalística a “isenção”, fará melhor o seu papel que é somente informar, porém, é dado da natureza humana a polarização e o posicionamento. No entanto, para os espectadores é tão somente a informação precisa, real dos fatos para que então, tenham por si só, análise e no seu direito se posicionar, não é dado ao jornalismo o espaço para manipular suas posições ideológicas. O que temos visto atualmente é a falência dos meios nesta questão de ordem, isto faz com que o leitor migre as redes sociais na busca própria de informação, e pelos fatos a procura desta isenção é mais cruel. Realmente estamos a deriva, salva quem puder garimpar os fatos concretos no meio deste mundo virtual de uma realidade indutora e parcial.

O Estado de S. Paulo

  • Testes de DNA ficam mais acessíveis no Brasil com presença de startups
  • Alvo de Bolsonaro, home office avança no serviço público
  • ‘Velho’ Bolsonaro ‘renasce’ com intervenção na economia
  • Ala liberal perde espaço e sobe o tom contra Bolsonaro
  • Associação de revendas avalia ir à Justiça
  • Concorrência disputa rede com a Ford
  • Brasileiro foca no básico e posterga sonhos de consumo
  • ‘Espero que a lição seja a necessidade de se preparar’
  • Pandemia e crise despertam no brasileiro desejo de poupar
  • ‘Falta de valorização da ciência prejudicou combate à pandemia’
  • Cumprir critérios ‘cabe a Estados e municípios’
  • País vacina só 48% dos acima de 90, mas imuniza 142 mil dos menos prioritários
  • Testes de DNA ficam mais acessíveis no Brasil com presença de startups

O Globo

  • Governo quer acordo com plano de saúde sobre reajuste
  • Fraudes em auxílios custaram R$ 142 milhões à Caixa
  • ‘O isolamento do Brasil tende a ser maior’
  • Justiça prorroga concessão da BR-040 por 2 anos
  • O efeito colateral do intervencionismo
  • EUA e China entram na era da competição extrema
  • Atraso no epicentro
  • Mulheres e a pandemia
  • Quase mil novas aulas online para o Ensino Médio
  • Como se atualiza uma vacina contra Covid-19?

Folha de S. Paulo

  • Gerador solar e térmica a óleo travam disputa pela Amazônia
  • Empresas reduzem ritmo de produção para escapar de custos
  • Até seguro do carro sofre com a crise de abastecimento
  • STF invalida leis que regulamentam imposto sobre heranças
  • Brasil prefere gastar mais com idosos do que com crianças
  • Governo descumpre promessas de campanha
  • Bolsonaro adota a tática do ‘morde e assopra’ para manter Guedes
  • Combate rigoroso à pandemia pode melhorar economia, sugerem dados
  • Sobe para seis o número de variantes que preocupam
  • Transmissão descontrolada tende a criar vírus mais perigosos; entenda
  • Nova etapa da vacinação tem fila de mais de cinco horas em SP