Título da categoria

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait.

Arquivo de categoria Políticas Públicas

Manchete nos Jornais deste Domingo, 28 de Novembro de 2021

Reino Unido, Alemanha e Itália têm nova variante
Junto com a Bélgica, países registram primeiras infecções pela nova ‘variante de preocupação’.Ainda são necessárias algumas semanas para obter evidências científicas sobre a nova cepa, mas, por causa do número e do tipo de mutações que ela apresenta, vários países anunciaram medidas preventivas e fabricantes de vacina começaram a desenvolver adaptações dos imunizantes. Na noite de sexta (26), o ECDC (centro europeu de controle de doenças) divulgou avaliação de risco da variante ômicron recomendando que países elevem a prevenção enquanto aguardam os resultados das pesquisas científicas. “Dados preliminares, com base em informações genéticas disponíveis atualmente, são de que os riscos da ômicron são altos”, afirma o comunicado do centro. “A variante é mais divergente detectada em números significativos durante a pandemia até o momento, levantando sérias preocupações de que pode reduzir significativamente a eficácia das vacinas e aumentar o risco de reinfecções.” (Folha)

A nova ameaça do vírus e a economia
A nova cepa do coronavírus, aparentemente mais contagiosa e mais letal que a variante Delta – a responsável pela terceira onda da pandemia. Passa a ser conhecida por Ômicron, a décima quinta letra do alfabeto grego. Tem potencial de risco de transmissão ainda maior porque é o resultado de múltiplas mutações genéticas, principalmente na proteína S, a que até é manipulada nos laboratórios para obtenção das vacinas.O mercado financeiro entrou em parafuso na última sexta-feira, principalmente porque ainda ignora o grau de periculosidade da nova onda.O aparecimento dessa novidade traz dupla advertência: a de que a humanidade está sujeita a ataques de vírus cada vez mais letais; e a de que não se pode baixar a guarda e negligenciar a vacinação, seja em respeito às liberdades individuais seja porque não se pode permitir que a atividade econômica volte a recuar e a colocar em risco o emprego e a renda de tanta gente. (mas, com tudo liberado em estádios de futebol, e outras liberações e flexibilização a eventos com aglomerações, mesmo com os índices de maior cobertura mundial de vacinados, com esta nova variante e já se sabe do seu potencial de infecção, o risco é eminente, não é hora de se baixar a guarda e a proteção). (Estado)

Inflação alta nos EUA derruba a popularidade de Joe Biden
Mesmo com desemprego em queda e retomada em curso, preços altos levam a pessimismo.A maior inflação dos últimos 31 anos paira sobre Joe Biden e corrói sua popularidade, deixando perspectivas para as eleições legislativas de 2022 mais sombrias. Nos 12 meses terminados em outubro, o índice no país chegou a 6,2%. Em um ano, o preço da gasolina subiu 50% e o da carne, 25%. Carros usados estão 26% mais caros, uma alta impulsionada pela queda na produção de veículos novos por causa da escassez global de semicondutores. (Folha)

Médicos recomendam adiar viagem ao exterior
Especialistas alertam para risco de viagens internacionais com nova variante e aumento de casos nos EUA e na Europa.O aumento de casos de Covid-19 nos Estados Unidos e na Europa e as incertezas sobre a nova variante detectada na África do Sul reacenderam o alerta vermelho para viagens internacionais levando infectologistas a recomendarem o adiamento delas neste momento.Além da falta de dados sobre a potencialidade de transmissão da nova cepa ômicron entre os vacinados e não vacinados, os especialistas chamam atenção para o fato de que muitos países europeus que enfrentam aumento de casos estão com cobertura vacinal baixa.Segundo a médica, se mesmo assim as pessoas quiserem arriscar e viajar neste fim de ano, devem ir completamente vacinadas, usando máscaras e evitando ambientes fechados e aglomerados. (Folha)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Doria vence prévias e agora tem o desafio de pacificar o PSDB
  • Grupo de WhatsApp simboliza apoio de cúpula militar a Moro
  • PF investiga desvios de cota parlamentar
  • Celso Ming: A nova ameaça do vírus e a economia
  • Privatização deve render R$ 16 bi a portos
  • Escolas preparam a maior alta de mensalidade desde início da covid
  • Ida a NY reflete apetite externo e aversão ao risco brasileiro
  • Empresas avaliam trocar B3 por EUA
  • País passa a pedir visto a brasileiros para barrar imigração
  • Cúpula de Biden é desafio para Bolsonaro
  • Tribunal declara Ortega reeleito oficialmente na Nicarágua
  • Venezuela terminará 2021 como o país mais pobre da América Latina
  • Operação da PF queima embarcações ilegais de garimpo no Rio Madeira
  • O horror da Serra Pelada fluvial
  • A nova ameaça à retomada mundial
  • A suposta maldade do ‘mundo político’

O Globo

  • Manchete: PF incendeia balsas para dispersar garimpeiros
  • Latam apresenta plano de recuperação nos EUA
  • A semanas do fim do ano, Orçamento de 2022 é incerto
  • ‘O 5G será muito melhor que o WI-FI que se tem em casa hoje’
  • Revolução corporativa
  • Enem: gabarito / extraoficial logo após o fim das provas
  • Europa detecta casos de nova variante da Covid-19 e aumenta temor mundial
  • Pouca vida real nas propostas para economia

Folha de S. Paulo

  • Manchete: Cota eleva empregabilidade, mas nem sempre o salário
  • Vendas do comércio eletrônico caem até 5% na Black Friday
  • PEC do Calote beneficia municípios e estados inadimplentes
  • Greve de pilotos e comissários é suspensa após acordo
  • Latam apresenta plano de recuperação de mais de US$ 8 bi
  • Contra rejeição, Bolsonaro mira pauta econômica no Congresso
  • Inflação alta faz Giraffas trocar filé mignon por coxão duro no cardápio
  • Nova variante deixa milhares presos na África do Sul
  • Estado de Nova York volta a decretar estado de emergência
  • Alemanha, Itália e Reino Unido têm casos da cepa ômicron de coronavírus
  • Enem em libras tem testes sobre racismo e machismo que somem de prova geral
  • Ação afirmativa dobra chance de ex-cotista em direito passar na OAB, indica estudo inédito
  • Cientistas defendem ação rápida contra ômicron
  • Médicos recomendam adiamento das viagens internacionais
  • Entenda o que se sabe sobre a nova variante

Manchete nos Jornais deste Sábado, 27 de Novembro de 2021

Temor de variante leva países a voltarem a barrar viajantes
Linhagem chamada de ômicron, potencialmente mais transmissível, assusta governos e mercados.Batizada de ômicron, a linhagem levou o Ministério da Saúde a fazer um alerta. Mas Jair Bolsonaro afirmou que o país “não aguenta mais um lockdown”, aludindo a restrições de circulação nos 21 meses de pandemia.Na Europa, o governo belga anunciou o primeiro caso com a nova linhagem em uma paciente não vacinada. Outros governos voltaram a fechar aeroportos para viajantes vindos do continente africano e a impor restrições. Israel diz estar na iminência de declarar emergência. Apesar da recomendação da Anvisa, o governo brasileiro reluta em exigir comprovante de vacinação para visitantes estrangeiros no país. (Folha)

Governo planeja emprestar R$ 15 bi ao setor elétrico para evitar ‘tarifaço’
Ações para segurar as contas de luz em ano eleitoral incluem medida provisória que prevê novo empréstimo para as distribuidoras, a ser enviada na próxima semana.O objetivo é amenizar o aumento nas tarifas no próximo ano e evitar um reajuste de 21%, como mostrou o Estadão. A fatura chegará no futuro, já que o empréstimo será diluído nas contas de luz em um prazo de quatro a cinco anos. A operação de crédito será criada por meio de uma medida provisória (MP), prevista para o início da próxima semana, e regulamentada via decreto. Na prática, o consumidor, em conjunto, ainda pagará pelo desconto dado aos que pouparem. Mas a fatura será diluída nos próximos anos, e não terá impacto imediato em 2022. (Estado)

Ômicron derruba bolsas, petróleo e criptomoedas pelo mundo
Ibovespa recua 3,2%; dólar chega a bater R$ 5,59, e barril Brent perde 11%. O Brasil seria especialmente prejudicado por novas medidas de restrição de circulação para conter uma nova onda da Covid-19, segundo Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora. O governo precisaria, porém, gastar mais em um momento em que o risco de desequilíbrio fiscal já vem derrubando os investimentos nas empresas do país. (Folha)

Senado é uma panela de pressão prestes a explodir
A semana que vem será de esforço concentrado na Casa com dois grandes embates ao mesmo tempo: a votação da PEC e a sabatina do ex-ministro da Justiça André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal. O desfecho de um pode contaminar o outro. Nesse caso, a ordem de votação importa e muito. Uma derrota do governo na votação da indicação de Mendonça pode deixar ainda mais fluida a base de apoio do governo no Senado que está se desmanchando. Os pontos centrais da proposta com o espaço de aumento de gastos continuam. A ideia inicial dos senadores de reduzir a folga fiscal está sendo escanteada, enquanto o comando do Senado e da Câmara brigam para manter em sigilo as emendas de relator, as RP9, fonte de tensão permanente nas últimas semanas. (Estado)

AMAZON É ALVO DE PROTESTOS DURANTE BLACK FRIDAY; ESTIVADORES EM SANTOS PARTICIPAM
A coalizão Make Amazon Pay (Faça a Amazon Pagar) incentivou trabalhadores a iniciar uma greve global em sinal de alerta, acusando o gigante do comércio eletrônico de precarizar…(Folha)

BLACK FRIDAY FRUSTRA, E COMÉRCIO PROJETA NATAL MAIS FRACO QUE O PREVISTO
Poucos clientes nas lojas e vendas online mornas marcam a segunda maior data do comércio.Os lojistas relataram que, ante a data do ano passado, o movimento estava menor. A abertura do comércio com o arrefecimento da pandemia não foi suficiente para levar as pessoas às lojas como em edições passadas do evento. (Folha)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Variante preocupa OMS; País veta voos de 6 países da África
  • Decisão do STJ põe em xeque atuação do Airbnb no Brasil
  • Falta de chip gera problema para montadora cumprir regra de emissão
  • Aura inicia obra de mina de ouro em Almas, no Tocantins
  • Antecipação de recebível é apelidada de ‘crédito-fumaça’
  • Caso Stone abre dúvida sobre crédito em fintechs
  • Mercado financeiro apoia projeto que cria novo marco de garantias
  • Gestão de Estados deve ter liderança e continuidade, dizem economistas
  • Chefe da ANTT é acusado de apoiar ‘barões do ônibus’
  • BC vê inflação perto do pico em 12 meses
  • Novos indicadores do IBGE reforçam o ‘retrato’ da desigualdade no Brasil
  • Aceleração da Selic para deter inflação pressiona juros aos consumidores
  • Governo manobra para evitar tarifaço
  • Cenário internacional potencializa risco para o País
  • Garimpeiros começam a se dispersar antes de virar alvo de ação policial
  • Pfizer e AstraZeneca vão testar vacinas contra nova variante
  • PF indicia 19 pela queda da barragem de Brumadinho
  • Bolsas do mundo caem com temor de nova cepa
  • Governo estuda criar fundo para ‘dosar’ alta do preço do diesel
  • Antes de se anunciar candidato, Deltan dá curso contra corrupção
  • Supremo revoga decisão da Operação Lava Jato e desbloqueia bens de Lula
  • ‘Moro é agente do campo do centro e vai jogar junto’
  • A educação na urgência da reconstrução: Marco Aurélio Nogueira
  • O STF e o orçamento secreto: Modesto Carvalhosa

O Globo

  • Manchete: Traficantes ganham licença para garimpar na Amazônia
  • Pesquisa do Ipea defende reatar com Venezuela
  • Campos Neto: Covid preocupa, mas vacinação no país é positiva
  • STF começa a julgar demissão de não vacinados
  • Petrobras: R$ 1 bi para Rnest, alvo da Lava-Jato
  • Taxa de juros do cartão de crédito é a mais alta desde 2017
  • Privalia contrata Itaú BBA para vender operação no país
  • Naji Nahas terá de deixar mansão onde fez jantar para Temer
  • ‘Variante é fonte de incerteza, e mercado coloca isso no preço’
  • Temor nos mercados
  • Relações próximas e prósperas dão lugar a afastamento e calote
  • Brasil vai fechar fronteiras aéreas a partir de segunda
  • Países vetam voos do Sul da África devido a nova variante
  • Enigma Ômicron
  • Aviso de operação faz garimpeiros deixarem área do Rio Madeira
  • Texto que amplia idade de indicados beneficia favoritos do Centrão
  • Para Fux, PEC ‘viola harmonia entre os Poderes’
  • Ação no Supremo tenta barrar decisão de Lira e Pacheco
  • STF determina que Lava-Jato desbloqueie bens de Lula
  • PGR encaminha pedidos de providências a partir de CPI

Folha de S. Paulo

  • Manchete: Temor de variante leva países a voltarem a barrar viajantes
  • Justiça manda Naji Nahas deixar mansão nos Jardins
  • Câmara melhora Auxílio Brasil, mas insegurança persiste, dizem especialistas
  • Famílias chefiadas por negro e mulher perdem mais qualidade de vida
  • Marca Unidas pode ser vendida para que fusão com Localiza avance
  • Paraná suspende cobrança de pedágios neste fim de semana
  • Dos 110 fabricantes de protetor solar, só 4 têm produto para pele negra, diz estudo
  • Desempenho sinaliza Natal mais fraco que o previsto, diz entidade
  • Black Friday é fraca em eletrônicos, mas procura por alimentos dispara
  • Gasolina e diesel ficam estáveis nas bombas pela 2- semana
  • Governo vende 55 milhões de barris do pré-sal por R$ 25 bi
  • Taxa de juro ao consumidor é a maior desde a pandemia
  • Site Reclame Aqui tem 20% mais reclamações
  • Nova variante da Covid derruba Bolsas, petróleo e criptomoedas pelo mundo
  • Chile se prepara para aplicar 4ª dose de vacina em 2022
  • Bélgica registra 1o. caso no continente; países apertam restrições
  • União Africana diz que restrições de viagem são injustas
  • Brasileiros podem tirar lições de quarta onda da pandemia na Europa, dizem epidemiologistas
  • SP alcança 75% da população com esquema vacinal completo
  • Casos de gripe sobem em São Paulo e Rio após flexibilização
  • Entenda a nova variante batizada como ômicron
  • Brasil vai barrar viajantes de 6 países da África e ignora passaporte da vacina
  • Eficácia de pílula da MSD cai de 50% para 30% em novo estudo
  • Pfizer/BioNTech testa vacina contra a nova variante do coronavírus
  • Presidente da Anvisa alerta contra turismo antivacina
  • Escritório do Ibama está fechado desde que foi incendiado
  • Fiscalização faz megagarimpo no rio Madeira se dispersar

Manchete nos Jornais desta Sexta-feira, 26 de Novembro de 2021

Congresso desafia Supremo e mantém em sigilo nomes do orçamento secreto
Cúpula recorre e diz que só fornecerá dados daqui em diante.Em ato conjunto, Câmara e Senado decidiram não divulgar os nomes dos parlamentares que destinaram verbas do orçamento secreto e só fornecerão dados sobre solicitações feitas daqui em diante. A decisão contraria o STF, que determinou que Executivo e Legislativo deem ampla publicidade sobre distribuição das verbas. Os presidentes da Câmara e do Senado pediram formalmente ao STF que reveja sua decisão. Eles alegam impossibilidade “fática e jurídica” de cumprir a determinação.Uma planilha elaborada por integrantes do governo mostra 285 parlamentares como autores de solicitações de repasses com emenda de relator-geral do orçamento, que obtiveram verbas empenhadas no Ministério do Desenvolvimento Regional em dezembro de 2020. Para manter em sigilo os parlamentares contemplados, o ato conjunto utiliza como fundamento justamente a informalidade do esquema de distribuição de repasses por meio de barganha política. No ano de 2020, as emendas de relator-geral do orçamento de 2020, em parte, foram direcionadas atendendo pedidos individuais feitos por deputados e senadores, registrados em ofícios. Depois que o mecanismo foi revelado, porém, o Congresso concentrou os pedidos no relator-geral do orçamento de 2021, senador Márcio BITTAR (PSL-AC), cortando as solicitações diretas. (Estado)

MORADORES DA MAIOR FAVELA DE SP FAZEM PROTESTO CONTRA FOME
Com panelas vazias, cartazes e velas (em referência ao encarecimento da conta de luz e em homenagem aos mortos pela Covid-19), os manifestantes da “Marcha da Panela Vazia” (Folha)

Câmara aprova criar Auxílio Brasil e já prevê ampliá-lo
Proposta com possibilidade de atender 20 milhões de famílias irá ao Senado.A criação do auxílio se deu por medida provisória e precisa do aval do Congresso até 7 de dezembro —depois da Câmara, a MP seguirá para o Senado. As mudanças pressionam o custo do programa já em 2022, fazendo com que para cobri-lo o governo eleve a previsão no Orçamento.Como não é permitido ampliar gastos sociais em ano eleitoral, porém, o programa precisará ser implementado antes do fim de 2021.O Brasil tem visto o número de famílias que vivem na pobreza e na extrema pobreza, bem como o desemprego, aumentar. Além de aprovar a MP que cria o Auxílio Brasil, o governo precisa do aval do Congresso para ampliar a margem de gastos no Orçamento e, com isso, cumprir a promessa de Bolsonaro para elevar o benefício médio do programa do patamar atual de R$ 220 por mês para, no mínimo, R$ 400. A ampliação da margem de gastos se dará pela PEC do Calote que está em análise no Senado. (Folha)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Congresso desafia Supremo e mantém em sigilo nomes do orçamento secreto
  • Black Friday da crise dá força a sites de produtos da China
  • Emergentes temem protecionismo por conta de meio ambiente, diz OMC
  • Aeroportos regionais devem ganhar PPPs
  • Câmara autoriza postos a comprar etanol direto de produtor e importador
  • Senado aprova flexibilização de aluguel de navios de carga
  • Arrefecimento da inflação este mês não é tendência
  • Pressionada pela gasolina, prévia da inflação vai a 1,17%
  • Projeto permite usar mesmo imóvel como garantia em mais operações
  • Para economistas, ação do governo põe em risco gestão fiscal
  • Deputados reveem regra de vale-creche incluída no Auxílio
  • Câmara aprova Auxílio mais amplo
  • Congressistas de direita apresentam pedido para remover Castillo da presidência
  • Portugal volta a exigir máscara e teste negativo para entrar no país
  • África do Sul identifica nova variante
  • Em meio à 4ª onda de covid, maiores economias da UE retomam restrições
  • Anvisa recomenda exigência de vacina
  • Réveillon de capitais segue indefinido
  • Garimpeiros em rio na Amazônia falam em tocaia contra a polícia
  • Fim de contrato com empresa pode expor a risco gabarito do Enem
  • Neurocirurgião ganha eleição para reitor da USP; escolha cabe a Doria
  • Santos Cruz se filia ao Podemos fazendo críticas ao extremismo
  • Mandetta sai do páreo e União Brasil já negocia apoio a Moro em 2022

O Globo

  • Manchete: ‘Brasil deve se preocupar com embargo a seus produtos’
  • Petrobras prevê até US$ 70 bi em dividendos até 2026
  • Câmara aprova venda direta de etanol para os postos
  • CVM processa ex-executivos do IRB por mentira sobre Buffet
  • Prévia da inflação chega a 10,73% em 12 meses, maior nível desde 2016
  • Projeto prevê uso de imóvel para vários empréstimos
  • É proibido esperar
  • Alemanha ultrapassa 100 mil mortes na pandemia
  • Partidos da base de Pinera se unem no apoio a Kast
  • França e Portugal voltam a apertar restrições anti-Covid
  • Alemanha vincula acordo UE-Mercosul à Amazônia
  • UE recomenda validade de 9 meses para vacinas
  • Mudança no licenciamento ambiental traz mais risco
  • Garimpo no Madeira: ministro promete reação
  • Baile de máscaras: Vacinação facilita carnaval nas cidades, mas exige cuidados
  • Estudo aponta ‘exaustão’ da imunidade na Covid grave
  • Anvisa quer que viajantes comprovem vacinação
  • Crianças são a maioria dos internados com gripe
  • Tribunal fiscaliza uso de verbas

Folha de S. Paulo

  • Manchete: Câmara aprova criar Auxílio Brasil e já prevê ampliá-lo
  • Senado aprova projeto que cria a BR do Mar; texto volta à Câmara
  • Estatal prevê distribuir até R$ 392 bilhões em dividendos em 5 anos
  • Investimento direto estrangeiro no país fica abaixo do esperado e cai 44% em outubro
  • Governo propõe que imóvel possa garantir mais de um empréstimo
  • Petrobras decide concluir refinaria pivô da Lava Jato
  • Câmara aprova MP que autoriza venda direta de etanol aos postos
  • No G20, alta de preços só perde para Argentina e Turquia
  • Prévia da inflação em 12 meses atinge 10,73% até novembro
  • Pacheco diz não ter como garantir aprovação de PEC na próxima semana
  • OAB, centrais e 29 entidades divulgam manifesto contra proposta
  • UE propõe relaxar entrada de vacinados com Coronavac
  • Com alta da Covid, França também aperta regras e volta a exigir máscaras
  • Nova cepa da Covid que pode ser mais contagiosa surge na África do Sul
  • Butantan faz testes gratuitos de Covid em assintomáticos em SP
  • ‘Tenho medo de sair na rua’, diz médico da Prevent Senior
  • Ministro da Justiça rejeita exigir vacinação de viajantes

Valor Econômico

  • Superendividado terá limite de renda para pagar dívidas
    Executivo pretende definir quanto os credores, como bancos e financeiras, podem reter da renda dos devedores para o pagamento de débitos
  • Vendas da Black Friday crescem nos últimos dias
    Consultores e empresas relatam alta nas vendas após a quarta-feira, diferentemente do visto em 2020, quando as compras se concentraram menos na semana da promoção
  • Câmara aprova o programa Auxílio Brasil
    Partidos de oposição decidiram apoiar o projeto, mas fizeram críticas de que a mudança de nome e criação do novo programa tinham caráter eleitoral
  • IPCA-15 sinaliza que inflação atingirá novo pico deste ano em novembro
    Indicador chega a 1,17% e tem a maior variação para o mês em quase duas décadas
  • PF e Forças Armadas prometem ação contra garimpo ilegal
    Ministro da Justiça diz que ação na Amazônia deve começar nos próximos dias e que planejamento ainda não está pronto
  • A lição dos europeus sobre a pandemia
    Como europeus estão vacinados, abertura pode ter levado ao aumento do contágio e esse risco existe também no Brasil
  • Governo ignorou alertas da Anvisa sobre viajantes
    Agência defende quarentena para todos que chegam ao país e sugere vacina obrigatória para turistas
  • Sem pandemia, expectativa de vida teria melhorado
    IBGE projeta que indicador foi para 76,8 anos em 2020, mas dado não considera mortes pela covid-19 e deve ser revisado
  • Investimento puxa demanda profissional em saneamento
    Estudo mostra que setor pode gerar 1,3 milhão de empregos no país até 2033
  • Senado aprova estímulo à navegação de cabotagem
    Projeto prevê prorrogação do Reporto, regime tributário especial que desonera investimentos em terminais portuários e ferrovias
  • Nova variante faz Reino Unido barrar voos da África
    Cientistas da África do Sul lançaram alerta sobre risco elevado de nova cepa, que foi encontrada em pessoas vacinadas, sugerindo que consegue escapar das atuais vacinas contra a covid-19
  • A volta do dragão da inflação
    Erros das projeções são só um detalhe diante da bola de neve de preços, alta dos juros, reajustes e a perspectiva de frustrar a recuperação da economia e do emprego
  • Cenário inflacionário cria terreno para mais falências e aquisições
    Para o economista André Roncaglia, sobrevivem as empresas que acumulam caixa ou têm maior liquidez no acesso ao mercado financeiro

Manchete nos Jornais desta Quinta-feira, 25 de Novembro de 2021

Inflação e distribuição difícil travam descontos para a Black Friday
Vendas de eletrônicos e eletrodomésticos devem desacelerar porque consumidor trocou de aparelhos durante o distanciamento social. A inflação em alta, o câmbio e os problemas de abastecimento em algumas cadeias de distribuição devem travar os descontos oferecidos por lojas na Black Friday. Com famílias endividadas e o mercado de trabalho reagindo de forma lenta, a expectativa de economistas é que o tíquete médio (valor por compra) também seja inferior ao de 2020. “Os descontos claramente serão menores. Os empresários estão com margem de lucro apertada, o consumidor está endividado, e esse cenário será desafiador para o varejo conceder o desconto que o cliente espera”, afirma Kelly Carvalho, assessora econômica da FecomercioSP. (Folha)

Anvisa quer vacina para entrada no Brasil, e Bolsonaro resiste
Agência defende que só pessoas imunizadas cruzem a fronteira por terra; presidente Bolsonaro resiste à medida.Mas o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que distorce dados sobre segurança e eficácia dos imunizantes, quer apenas abrir as fronteiras, sem cobrar o “passaporte da vacina”, segundo integrantes do governo.A Anvisa enviou parecer ao Palácio do Planalto no último dia 12, após ser questionada sobre a ideia de Bolsonaro, mas não recebeu resposta.Segundo relatos de integrantes do governo, a agência também sugere endurecer as regras para voos internacionais. A ideia é que viajantes façam quarentena de cinco dias, mesmo se apresentarem teste RT-PCR negativo para o novo coronavírus.A quarentena seria dispensada para quem estiver vacinado contra a Covid.Hoje o governo cobra a apresentação do teste RT-PCR, mas não exige quarentena, apesar de a Anvisa sugerir esta medida há meses. (Folha)

O futuro do agro sustentável chegou
O Summit Agronegócio mostrou que a agropecuária brasileira pode aumentar a produtividade com ganhos ambientais. Ao perene desafio socioeconômico de aumentar a produtividade, as últimas gerações acrescentaram o de preservar o meio ambiente. Em muitos setores – sobretudo o energético. (Estado)

Arrecadação federal tem novo recorde
A arrecadação de impostos federais voltou a bater recorde, com R$ 178,742 bilhões em outubro. O resultado representou alta real (descontada a inflação) de 4,92% ante o mesmo mês de 2020. (Estado)

Térmica quer trocar diesel pelo sol
Empresa do Amazonas pede autorização da Aneel para instalar painéis solares em suas usinas; além da produção mais limpa, empresa diz que custo da energia é menor. A necessidade de reduzir custos com combustível e cortar emissões tem levado empresas do setor elétrico a buscar mudanças para suas usinas térmicas, alimentadas a óleo diesel. (Estado)

PF prepara reação à invasão do Rio Madeira pelo garimpo ilegal
Operação deve contar com apoio do Ibama e das Forças Armadas.Em conjunto com o Ibama e o Ministério da Defesa, a Polícia Federal se articula para conter o avanço do garimpo ilegal no Rio Madeira. Centenas de balsas de garimpeiros estão reunidas no rio, onde há relatos de que um grande volume de ouro foi encontrado. A PF não deu detalhes da operação. Conforme o Estadão informou ontem, garimpeiros já estavam cientes da mobilização policial e, em trocas de mensagens, falaram em reação caso sejam abordados. Para retirar o ouro do fundo do rio, as balsas sugam a terra com mangueiras. A prática causa graves danos ambientais. (Estado)

A armadilha que o eleito em 2022 vai encontrar
Nenhum governa nas condições atuais. Sergio Moro entendeu? Se sim, guardou para si. Dois fatores de peso parecem “contratados” para o cenário após as eleições de 2022. Não importa quem seja o vencedor, a economia não terá condições de crescimento sustentável. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: PF prepara reação à invasão do Rio Madeira pelo garimpo ilegal
  • Petrobras eleva em 24% seu plano de investimento, que vai a US$ 68 bilhões
  • Pressionado, relator retira correção para o Auxílio
  • Arrecadação federal tem novo recorde
  • Térmica quer trocar diesel pelo sol
  • Brasileiro desconfia de discurso de empresas
  • ‘Pessimismo com o novo teto tem ido longe demais’
  • Alternativa ‘híbrida’ já é realidade em hidrelétricas e parques eólicos
  • Social-democratas, liberais e verdes formam governo na Alemanha
  • Ação ilegal leva a um prejuízo socioambiental de R$ 31,4 bilhões
  • Uso de máscara ao ar livre deixará de ser obrigatório em São Paulo no dia 11
  • Metano rouba a cena na COP-26, mas zerar desmatamento é fundamental
  • ‘A agropecuária pode fazer o País reduzir emissões’
  • Verba para seguro rural deve ter suplementação, diz Soria
  • Ferrovias começam a destravar, mas ainda há risco de monopólio
  • Intensificação tecnológica permite uso racional de insumos no campo
  • País saiu melhor do que entrou na COP-26
  • Doria e Leite mostram iniciativas agroambientais em seus Estados
  • Lados opostos
  • Kast, Boric e o paradoxo da política chilena
  • SP pede ao governo e à Anvisa exigência de passaporte da vacina
  • Risco de covid-19 põe em dúvida festas de carnaval tradicionais do País

O Globo

  • Manchete: Reajuste de mensalidade escolar será o maior em 5 anos
  • Após chamar de ‘parasitas’, Guedes diz que nunca ofendeu servidores
  • Pacheco quer votação rápida para desoneração
  • Petrobras planeja reforçar atuação em pré-sal e venda de ativos até 2026
  • Enel, maior geradora de energia eólica e solar, investirá R$ 31 bi no país
  • Governo tenta acelerar, mas PEC dos Precatórios pode ficar para dezembro
  • Arrecadação tem melhor outubro desde 2016
  • Auxílio: relator desiste de reajuste automático
  • Ser Educacional é 1° grupo de ensino a lançar fintech
  • Narcogarimpo no rio: Mourão diz que tráfico participa de nova frente de extração ilegal de ouro
  • Relator critica projeto que propõe volta de propaganda de armas
  • Abandono de mais de mil búfalos mobiliza polícia e ativistas em SP
  • Estado de SP vai liberar uso de máscaras a partir de dezembro
  • Comissão Europeia ressalta relação entre vacinação e mortes
  • Covid-19: distância de 2 metros pode ser insuficiente
  • Reforço

Folha de S. Paulo

  • Manchete: SP abolirá máscara em locais abertos em 11 de dezembro
  • Italiana Enel prevê investir R$ 31 bi no Brasil em três anos
  • PEC trava Judiciário e transforma Brasil em país caloteiro, diz membro da OAB
  • Pilotos e comissários decidem entrar em greve na próxima segunda-feira
  • Inflação e problemas de abastecimento travam descontos na Black Friday
  • Petrobras eleva em 24% plano de investimentos
  • Juros e inflação em alta elevam custo da dívida pública
  • Arrecadação federal interrompe em outubro sequência de recordes
  • Análise da PEC do Calote na CCJ do Senado fica para 3a.
  • Pressão por valor maior adia votação do Auxílio Brasil
  • Cenário econômico é obstáculo para Bolsonaro em 2022, dizem analistas
  • Remédio contra Covid tem efeito preventivo, aponta estudo
  • Agência aprova dose de reforço em bula de vacina da Pfizer
  • Anvisa quer vacinação para entrada no Brasil
  • É cedo para pensar em aglomeração, diz coordenador em SP
  • Carnaval cancelado gera divergência entre especialistas

Valor Econômico

  • Petrobras prevê investir US$ 68 bilhões em plano de negócios de 2022 a 2026
    O novo plano de negócios é 23% superior ao anterior (2021-2025), que previa um orçamento de US$ 55 bilhões. O segmento de exploração e produção é prioritário, com 84% dos valores
  • STJ decide que sócios presentes no fechamento da empresa respondem por dívida tributária
  • Pilotos e comissários de bordo entram em greve dia 29
  • Não existe almoço de graça, nem na renda fixa
  • Pacheco: revogação da ‘PEC da Bengala’ não avançará ‘em hipótese alguma’
  • Campos destaca persistência da inflação e reforça busca pela meta

Manchete nos Jornais desta Quarta-feira, 24 de Novembro de 2021

Fim do ICMS diferenciado é melhor para empresas e clientes de maior renda
A proibição pelo STF (Supremo Tribunal Federal) da cobrança diferenciada de ICMS para energia e telecomunicações deve beneficiar mais as empresas e os consumidores residenciais de maior renda e consumo, avaliam especialistas. A ação havia sido apresentada pelas Lojas Americanas, contra uma lei catarinense de 1996 que estabeleceu alíquota de 25% para essas duas áreas, ante os 17% cobrados de ICMS no geral. Por ser preço administrado, se o ICMS for menor, o preço também cai. Mas isso ocorreria após o trânsito em julgado da decisão do STF e se a repercussão afetar todos os estados. Ainda deve haver pouco impacto indireto para o consumidor, no caso das empresas que tiverem redução de ICMS em suas contas. As empresas costumam repassar alta de imposto aos preços, mas as reduções dificilmente se traduzem em preços mais baixos, diz. (Folha)

Inflação e juros devem tirar R$ 44,7 bi do comércio no fim de ano
Expectativa do início de 2021 não se confirmou e setor teme pelas vendas na Black Friday e no Natal.Com a inflação beirando dois dígitos, juros em alta e queda real de 1,9% na renda dos brasileiros, o cálculo é de que a receita recue a R$ 747,3 bilhões. A CNC também lembra que, quando o final de ano tem bom movimento, janeiro começa com reposição de estoques e muitos empregos temporários viram definitivos, o que pode não ocorrer em 2022. (Estado)

Nova versão de PEC cria brecha para Auxílio Brasil permanente de R$ 400
Planalto encaminha a bancadas do Senado seis mudanças no texto para tentar aprovação
O governo encaminhou uma nova versão da PEC (proposta de emenda à Constituição) do Calote para as principais bancadas do Senado, contendo seis alterações em relação ao texto. (Folha)

Benefício permanente demanda fonte de recurso, diz ministro da Cidadania
João Roma afirma que correção anual do Auxílio Brasil, como propõe relator de MP, depende de acerto entre áreas social e econômica. (Folha)

Auxílio-caminhoneiro fica em segundo plano e pode não sair do papel
Interlocutores de Bolsonaro dizem que não há espaço no Orçamento para benefício; Sachsida fala em ‘escolha’
Um mês após o presidente Jair Bolsonaro prometer criar um auxílio para caminhoneiros por causa da alta do diesel, auxiliares palacianos dizem que a proposta pode não sair. (Folha)

Com receio de contágio, ao menos 70 cidades paulistas não terão carnaval
Há também casos de prefeituras sem recursos para bancar a festa. Capital deve decidir até o fim de dezembro. As prefeituras alegam risco de alta nas infecções pelo vírus, com o fluxo de pessoas e aglomerações, e ainda o respeito às famílias que perderam entes queridos. Há ainda casos de prefeituras sem recursos para bancar a festa, por terem investido no controle da doença. A prefeitura diz que avalia a situação da pandemia com cautela, e a preocupação, agora, é a vacinação completa dos moradores. Folia na capital São Paulo deve decidir sobre o carnaval de rua até o fim de dezembro, com base no efeito da pandemia. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Inflação e juros devem tirar R$ 44,7 bi do comércio no fim de ano
  • Vale retoma licenciamento para projeto de minério de ferro em MG, agora sem barragem
  • A tempo da Black Friday, Nubank entra no comércio eletrônico com Magalu e AliExpress
  • Polêmico ‘touro dourado’ da B3 será removido
  • Moedas sociais dão impulso a negócios em bairros populares
  • Empresas de maquininhas perdem R$ 160 bi na Bolsa
  • ‘Sem o teto de gastos, o governo vai gastar muito mais, e pior’
  • Offshore é legal e serve para fugir de Fisco dos EUA, afirma Guedes
  • Impasse sobre correção anual do Auxílio adia votação de MP
  • Recuo previsto no comércio de fim de ano afeta projeções para 2022
  • Para conseguir apoio, relator indica mudanças em PEC dos precatórios
  • Contágios aumentam nos EUA antes de Dia de Ação de Graças
  • Quarta onda pode matar 700 mil até março, alerta OMS
  • Missão da UE vê, apesar de uma melhora, irregularidades nas eleições venezuelanas
  • Rio Madeira é alvo de invasão de centenas de balsas de garimpo ilegal
  • Ao menos 70 cidades de SP cancelam carnaval em 2022
  • Casamentos aumentam 27% com vacina e flexibilização da quarentena
  • ‘Vírus são preparados para se espalhar’, diz brasileiro de grupo de elite da OMS
  • CCJ da Câmara aprova proposta que antecipa aposentadoria compulsória no Supremo
  • Lira e Pacheco agem para manter sigilo do orçamento secreto
  • Negacionismo de Lula sobre ditaduras impõe ‘vidraça extra’ ao PT nas eleições

O Globo

  • Manchete: Governo propõe tornar Auxílio despesa obrigatória
  • Contra alta do petróleo, EUA liberam reserva estratégica
  • Bolsonaro acena com revisão da paridade do preço dos combustíveis
  • STF derruba ICMS maior para energia e telecom
  • China libera carne bovina certificada antes do embargo
  • Condomínio pode proibir locação por Airbnb, diz STJ
  • UE não é a dona do mundo, diz produtor de soja
  • Equipe de Guedes tenta barrar correção pela inflação
  • Fintechs de pagamento acumulam perdas e problemas
  • Sem autorização, touro da Bolsa foi pastar em outra freguesia
  • Missão da UE faz avaliação mista de voto na Venezuela
  • Comércio global terá novo arranjo
  • Clima ainda enfrenta desafios no Congresso
  • Mercado regulado deve avançar
  • Corrida contra o relógio
  • Quem paga a conta do meio ambiente?
  • Amazônia atrai mais recursos
  • ‘A origem da Covid-19 pode jamais ser identificada’

Folha de S. Paulo

  • Manchete: 46% das ações policiais no RJ não foram informadas ao MP
  • Imigrante negro não encontra Brasil acolhedor, diz sociólogo
  • Europa pode ter mais 700 mil mortes por Covid-19 até março, alerta OMS
  • Bolhas são a natureza do capital de risco, afirma pesquisador dos EUA
  • Investimento é legal, mas foge de boas práticas, dizem advogados
  • Guedes admite uso de offshore para escapar de tributo nos EUA
  • Agências da Caixa voltam a funcionar no horário normal
  • Bolsonaro não se opõe a Auxílio Brasil permanente de R$ 400, diz ministro
  • Nova versão da PEC do Calote cria brecha para auxílio permanente de R$ 400
  • Fim do ICMS diferenciado é melhor para empresas e clientes de maior renda
  • Bolsa sobe 1,5% com forte impulso de Petrobras e Vale
  • Silva e Luna diz que não é correto atribuir alta dos combustíveis à Petrobras
  • EUA lideram ofensiva inédita para tentar conter alta do petróleo, mas preço sobe
  • Auxílio-caminhoneiro fica em segundo plano e pode não sair do papel
  • Senado aprova feriado nacional em homenagem à baiana Irmã Dulce
  • Carnaval está incerto em Salvador, Recife e Olinda devido à Covid
  • 56 cidades paulistas já cancelaram folia
  • Mourão admite ser culpado por falta de coordenação ao combater desmate
  • Megafazenda na Bahia avança em desmatamento e isola comunidades
  • Aras é convidado a explicar para o Senado rumos do relatório da CPI
  • PEC que diminui idade de aposentadoria de ministros no Supremo de 75 para 70 anos avança na Câmara
  • Presidente minimiza censura na ditadura e diz que TSE faz pior
  • PL afirma que oficializará filiação de Bolsonaro no dia 30 de novembro
  • Posições de Lula que causam ruído
  • Falas de Lula assustam os que o querem moderado em 2022
  • Pleito na OAB-SP discute diversidade e cotas
  • Mãe de Ciro Nogueira gasta verba do Senado com avião em locais de agenda do filho
  • No Senado, Sergio Moro ataca política econômica do governo
  • PSDB contrata empresa para testar novo app que pode ser usado em prévias

Valor Econômico

  • Fábrica de diesel verde terá R$ 1,8 bi
    Uma das maiores produtoras de óleo de palma do país, a Brasil Biofuels (BBF) fechou uma parceria com a distribuidora Vibra Energia que destravará o projeto
  • Setor petroquímico investe R$ 5,3 bi em energia limpa
    Transição energética é incentivada por custos mais baixos e metas climáticas estabelecidas para as próximas décadas
  • China libera carne e anima frigoríficos
    Autoridades alfandegárias chinesas autorizaram o desembarque das cargas que haviam sido certificadas antes de 4 de setembro. Medida foi considerada um sinal positivo nas negociações para a suspensão definitiva do embargo imposto por Pequim.
  • Convenção pode vetar aluguel de temporada
    STJ decidiu que condomínio pode proibir que proprietários aluguem seus imóveis por temporada, seja por plataformas digitais, como o Airbnb, ou outros serviços de locação
  • Relator da PEC dos Precatórios sugere sete mudanças no texto
    Documento abre caminho para tornar o Auxílio Brasil permanente na Constituição
  • Ser Educacional decide criar banco digital
    Ideia é atender, inicialmente, sua base formada por cerca de 300 mil alunos e 13 mil funcionários e, numa segunda fase, estender os serviços a outros grupos educacionais e o público geral
  • Setor produtivo é chave para ensino técnico de qualidade, aponta OCDE
    Novo ensino médio começa a ser adotado em 2022 para o 1º ano do curso
  • Mourão se diz culpado por ‘fracasso’ em desmate
    Vice-presidente diz que não se pode responsabilizar nenhum ministro pelo aumento da área desmatada
  • Uma conversa com Celso Amorim
    Ex-ministro simpatiza com a ideia de incluir compromissos adicionais em meio ambiente e direitos humanos no acordo com a UE
  • PEC elimina promessa de melhora fiscal
    Equipe de Guedes prevê resultado primário em 2022 pior que no primeiro ano de Bolsonaro
  • Exportações do Brasil estão entre as que mais recuaram
    Vendas externas de bens das maiores economias do mundo cresceram 0,9% e as importações, 0,4%, no terceiro trimestre
  • País apoia veto à ‘tarifa do download’
    Sem moratória, países passariam a ter direito de impor tarifas sobre qualquer download de software, filmes, música, e-livros, além de levantar questões sobre streaming de música e vídeos
  • Relatório da FAO mostra aumento do número de brasileiros com fome
    Dados de 2018 confirmados em 2020 indicam 29 milhões de pessoas sem acesso a dieta saudável
  • PGR veda opção por etnia em emprego
    Órgão pede ao STF que obrigue Congresso Nacional a regulamentar hipóteses de prisão em casos de empregadores que designem preferências de raça
  • Vacinação só não basta e Carnaval preocupa, diz OMS
    Para brasileira, Europa é exemplo da necessidade de mais medidas
  • País precisa de 80% de cobertura para ‘respirar tranquilo’
    Especialista da Fiocruz alerta para necessidade de aumentar taxa de imunizados, mas considera que situação não preocupa no curto prazo
  • Fiocruz tem nova área de controle de imunizantes
    Novo laboratório vai atender demanda por análises de produtos, sobretudo relacionados ao imunizante contra covid-19
  • País precisa melhorar gestão do sistema elétrico, diz Abeeólica
    Executiva defende emprego mais racional da matriz hidrelétrica e integração com outros usos da água
  • CCJ aprova aposentadoria antecipada para o STF
    Câmara retalia STF após suspensão do orçamento secreto
  • Alcolumbre destrava indicação de André Mendonça para o STF
    Governistas estimam que ele terá entre 51 e 55 votos favoráveis no plenário
  • Moro critica ‘irresponsabilidade fiscal’ e busca aliança partidária
    Ex-ministro foi jantar com parlamentares do Cidadania
  • Reserva estratégica não é para controlar alta de preço
    Reservas estratégicas servem para casos de choque emergencial na oferta, e não para tentar segurar um aumento de preços conjuntural. Além disso, liberação anunciada é pequena demais para influenciar o mercados
  • Inflação é problema global, mas América Latina sofre mais
    Países latino-americanos estão tendo alta de preços maiores com disrupção causado pela covid-19
  • Desempenho do governo Biden em relação à pandemia decepciona
    Os EUA não possuem a atmosfera de um país que ainda perde milhares de pessoas a cada semana
  • Israel vacina crianças de 5 até 11 anos
    Dados do Ministério da Saúde mostram que grande parte das novas infecções registradas em Israel está ocorrendo em crianças e adolescentes
  • STF começa a votar ações contra lei do saneamento
    Companhias estaduais tentam recuperar possibilidade de firmar contratos com municípios sem necessidade de licitação
  • Mudanças do clima são risco para setor elétrico, diz KPMG
    Pesquisa da consultoria com 133 líderes aponta que 40% consideram questões do clima como maior desafio para expansão das empresas de energia
  • Crise de chips revela baixa maturidade da indústria
    Pesquisa da Accenture mostrou o estágio de vários segmentos da economia em relação ao que eles chamam de “maturidade operacional”
  • Ministra põe em marcha a ‘diplomacia dos insumos’
    Tereza Cristina negocia garantia de fornecimento da Rússia
  • Canadá deve ser a próxima parada, ainda em dezembro
    País da América do Norte é um importante fornecedor global de fertilizantes, sobretudo potássio

Pesquisa confirma segurança para consumo dos vegetais comercializados no país

Levantamento mostra que 89% das amostras estão em conformidade. Resíduos de defensivos encontrados em algumas culturas não apontam risco agudo para consumo, segundo Anvisa Compartilhe: Compartilhe por Facebook Compartilhe por Twitter link para Copiar para área de transferência

Pesquisa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada em 2019 e 2020, e divulgada nesta sexta-feira (19), no Diário Oficial da União, mostra que 89% das amostras de produtos de origem vegetal analisadas pelo Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes em Produtos de Origem Vegetal (PNCRC/Vegetal) estão dentro do nível de conformidade. Isso significa que os vegetais comercializados no Brasil são seguros para consumo.

Os resultados são referentes ao PNCRC/Vegetal, que tem como objetivo monitorar e fiscalizar os resíduos de defensivos agrícolas e de contaminantes químicos e biológicos em produtos de origem vegetal nacionais e importados. Desde 2019, quando a fiscalização passou a autuar as irregularidades, o Mapa já aplicou mais de R$ 4 milhões em multas. 

Segundo o levantamento, dos 89% de conformidade apontados nas análises, 49% não apresentaram nenhum resíduo e contaminante e outros 40% apresentaram valores abaixo do Limite Máximo de Resíduos (LMR) estabelecido no Brasil.

Apenas 11% das amostras apresentaram algum tipo de inconformidade. Desse total, 10 pontos percentuais representam inconformidades relacionadas a resíduos de defensivos agrícolas e um ponto percentual mostrou a presença de contaminantes, como Salmonella e micotoxinas.

Dos produtos que apresentaram inconformidades pelo uso de defensivo agrícola não permitido para a cultura, temos o feijão comum (Phaseolus vulgaris) e o feijão-de-corda (Vigna unguiculata). O Mapa autuou as empresas embaladoras dos produtos e vem trabalhando em conjunto com a Associação Brasileira da Indústria do Feijão (Abifeijão), Instituto Brasileiro do Feijão e Pulses (Ibrafe), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Associação Brasileira de Feijões e Legumes Secos (Abrafe) estratégias de monitoramento de resíduos e rastreabilidade de produtos. Uma ação já adotada pelos embaladores é a execução de teste rápido para resíduos de defensivos no recebimento dos feijões. 

Segundo parecer da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as irregularidades encontradas nos feijões não apresentam risco agudo no consumo desses alimentos.  

“O estabelecimento dos procedimentos fiscais nas coletas de amostras do PNCRC foi muito importante. Ao passo que o Mapa continua monitorando a situação dos produtos, já é possível a responsabilização dos agentes da cadeia produtiva, nos casos de não conformidade”, explica o diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal, Glauco Bertoldo. Até 2019, as irregularidades detectadas pelo PNCRC eram apenas notificadas aos infratores.

Análises

O PNCRC analisou no período 37 produtos de origem vegetal: amêndoa, avelã, amendoim, amêndoa de cacau, arroz, alho, alface, abacaxi, batata-inglesa, banana, beterraba, café grão verde, café torrado e moído, castanha de caju, castanha do Brasil, cebola, cevada malteada, citros, cenoura, farinha de trigo, feijão comum (Phaseolus vulgaris), feijão-de-corda (Vigna unguiculata), goiaba, kiwi, manga, mamão, maçã, milho, melão, morango, pimenta do reino, pera, pimentão, soja, trigo, tomate e uva.

Ao todo, foram 2.601 amostras coletadas e encaminhadas para análises na Rede Nacional de Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (Rede LFDA). As amostras são oficiais e coletadas por auditores fiscais federais agropecuários em propriedades rurais, estabelecimentos beneficiadores e em centrais de abastecimento.

As análises do PNCRC são feitas em amostras de produtos nacionais e importados. No período, foram analisados 91% de produtos nacionais e 9%, importados.

Dentre os produtos de origem vegetal que apresentaram 100% de conformidades no período, temos alho, amêndoa, avelã, café, castanha de caju, castanha do Brasil, cebola, cevada malteada, manga e pimenta do reino. Nas inconformidades, abaixo de 70% (a maioria por uso de produtos não permitidos para a cultura) aparecem feijão comum, goiaba, morango, feijão-de-corda e pimentão.

O Mapa utiliza métodos de controle e fiscalização da Instrução Normativa Conjunta nº 02 de 2018, que estabelece a obrigatoriedade de rastreabilidade por todos os entes da cadeia de produção e comercialização de produtos de origem vegetal.

O Plano do Ministério da Agricultura, em conjunto com o Programa de Análise de Resíduos em Alimentos (PARA), realizado pela Anvisa, formam o sistema de monitoramento de resíduos de agrotóxicos em alimentos no Brasil.

Defensivos agrícolas  

Das 2.601 amostras coletadas, 1.777 foram direcionadas para o monitoramento de ocorrência de resíduos de defensivos agrícolas, sendo 1.521 amostras conformes e 256 não conformes.

As violações em produtos nacionais chegaram a 14%. Desses, 10% foram de defensivos agrícolas não permitidos para a cultura – que não significa, necessariamente, risco para a saúde dos consumidores – e 4% com uso acima do limite máximo de resíduos – que indica uso inadequado do produto, não seguindo as orientações da bula.

“Neste biênio, não constatamos nenhuma violação por agrotóxicos proibidos no Brasil nas análises, o que demonstra a segurança dos produtos brasileiros”, destaca Bertoldo. 

Ministério da Agricultura – Publicado em 19/11/2021 07h18

Manchete nos Jornais desta Terça-feira, 23 de Novembro de 2021

Relator do Auxílio Brasil prevê reajuste anual pela inflação
Texto da MP deve ser votado hoje ou amanhã pela Câmara. O reajuste é uma demanda histórica da área social, mas enfrenta resistência do ministro da Economia, Paulo Guedes. Depois, precisa passar pelo Senado. A MP perde validade no próximo dia 7. O governo poderá ser obrigado a reajustar todo ano, pela inflação, o valor dos benefícios do Auxílio Brasil, o novo programa social que substitui o antigo Bolsa Família. O reajuste automático, a ampliação do alcance dos pagamentos – com a elevação dos critérios de renda para acesso ao programa –, a proibição de filas e metas para a redução da pobreza são as principais mudanças incluídas. (Estado)

Bolsonaro sanciona criação de auxílio para gás de cozinha
Beneficiados terão direito, a cada bimestre, a receber valor correspondente a pelo menos metade do preço do botijão de 13 kg. A lei do “auxílio Gás dos Brasileiros” determina que podem ser beneficiadas as famílias inscritas no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais) com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo. Também podem ganhar o auxílio as famílias que tenham entre seus membros quem receba o BPC (Benefício de Prestação Continuada).O auxílio deve ser dado preferencialmente às famílias com mulheres vítimas de violência doméstica que estejam sob o monitoramento de medidas protetivas de urgência. (Folha)

PEC vai liberar R$ 106 bi, sem espaço de reajuste a servidor
Promessas de Bolsonaro não estão previstas nas contas divulgadas pelo Ministério da Economia.Pelas contas, o valor não será suficiente para bancar promessas de Jair Bolsonaro, como reajuste a servidores federais, auxílio a caminhoneiros e vale-gás para população de baixa renda. Segundo dados atualizados divulgados pelo Ministério da Economia nesta segunda (22), a verba extra deve ser usada para pagamento de despesas obrigatórias (como aposentadorias e pensões), a ampliação do benefício do Auxílio Brasil e a prorrogação da desoneração da folha de pagamentos (medida que reduz contratação de funcionários) a 17 setores. Há pressão também por aumento nos recursos reservados a emendas parlamentares, que são usadas por deputados e senadores para enviar verba a projetos e obras em suas bases eleitorais. O ajuste deve ser feito com um corte em despesas discricionárias, que não são obrigatórias e financiam o funcionamento da máquina pública. (Folha)

Mercado nacional resiste ao uso de trigo transgênico vindo da Argentina
A Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip), que representa as padarias, também lamentou o aval da CTNBIO e afirmou que as mais de 70 mil padarias do País vão se mobilizar para boicotar qualquer compra e distribuição de farinha de trigo transgênico. “A decisão é prejudicial para o setor.” O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) também se manifestou contrário à aprovação. A Argentina responde por 85% do trigo importado anualmente pelo Brasil. As entidades dizem haver uma rejeição do consumidor ao item. O presidente da CTNBIO, Paulo Barroso, disse que o trigo modificado é similar ao tradicional do ponto de vista da segurança alimentar. (Estado)

Valor de subsídio pode subir em ano eleitoral
O STF formou maioria para permitir ampliação do Auxílio Brasil sem que lei eleitoral seja desrespeitada. O relator, ministro Gilmar Mendes, argumentou em seu voto que, embora rebatizado, o Auxílio brasil traz novos valores para o enquadramento em pobreza e extrema pobreza das famílias, ponto central da lei que trata da renda básica cuja execução o STF ordenou. Para o ministro, a prioridade do governo precisa ser garantir a subsistência das pessoas desassistidas no cenário de crise. (Estado)

Aposta no hidrogênio, o combustível do futuro
Com três vezes mais energia do que a gasolina, hidrogênio pode mudar o transporte e a indústria.Elemento mais abundante do universo, o hidrogênio virou a última fronteira energética para um futuro neutro em gás carbônico (CO2) e já movimenta bilhões de dólares entre empresas e investidores. Um levantamento feito pela consultoria Mckinsey mostra que, até julho, havia 359 projetos para a produção de hidrogênio verde em grande escala no mundo, o que somava US$ 150 bilhões em investimentos. Mas esses números mostram apenas o começo de uma revolução no mercado global de energia, que teria o Brasil como um dos líderes. A revolução, vem do hidrogênio verde, considerado o combustível mais limpo do mundo. Ele não gera gases poluentes nem durante a combustão nem durante a produção. A aposta do mundo para limitar o aquecimento global até 2050 está num método criado há quase 200 anos pelo químico e físico britânico Michael Faraday. Trata-se da eletrólise da água, que separa o hidrogênio do oxigênio por meio de uma corrente elétrica. Para ser considerado verde, a energia elétrica tem de ser de uma fonte totalmente renovável, como a eólica e a solar – ainda não está claro se as hidrelétricas seriam consideradas verdes por causa do impacto durante a construção. A solução é vista como a principal alternativa ao petróleo – até mesmo para as petroleiras. Para não ficar para trás, a maioria delas estuda projetos para a produção de hidrogênio verde. Um dos métodos avaliados pelo mercado – por ser mais maduro e promissor – é transformar o hidrogênio em amônia e transportá-la em navios por grandes distâncias. No destino, a amônia verde pode ser usada diretamente na indústria, como na fabricação de fertilizantes, ou transformada novamente em hidrogênio. O produto também pode ser levado na forma de gás comprimido ou liquefeito. (Estado)

Fintechs querem ser tratadas como os bancos
Olucro dos cinco grandes bancos brasileiros já supera R$ 60 bilhões no acumulado dos três primeiros trimestres, e o Banco Central reporta que a rentabilidade do setor já voltou ao nível pré-crise. Já a taxa de famílias endividadas chegou a 75% em outubro, subindo por onze meses seguidos sem parar. Os números são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência da CNC. A alta em relação ao mesmo período do ano passado é recorde na série histórica. Vale a ressalva de que as dívidas não são sempre com bancos. Mas o conjunto desses dados sugere mais uma vez a força das instituições financeiras diante dos consumidores, “poder de mercado” que já foi demonstrado satisfatoriamente na literatura acadêmica.Recentemente, falamos na coluna sobre política industrial. Indústria aqui significa um setor da economia. Tratase, então, de favorecimentos do Estado a um setor, frequentemente com efeito colateral de anabolizar grandes empresas que podem atuar como monopólios ou oligopólios, extraindo renda dos consumidores vulneráveis à falta de competição.Há no debate polêmicas sobre política industrial para “setores estratégicos”, do automotivo ao agro. E os bancos: seu poder de mercado deriva de uma dessas políticas? Ainda.Há o movimento para que as fintechs sejam tratadas como bancos, para avanço ‘da PIB’.que não exista uma expressa, parece haver tacitamente uma política industrial bancária – que vamos chamar de “PIB”. Esta política invisível fomentaria os grandes players do setor. É curioso perceber que, tal qual frigoríficos e construtoras, sabidamente beneficiados por políticas industriais, bancos também lideravam doações a campanhas eleitorais.O que seria “a PIB”? Do apoio a fusões e aquisições que concentraram o mercado nos governos do PT a vantagens tributárias como a “dedução de juros sobre capital próprio”: uma vantagem que tem lá justificação e vale para todos os setores, mas beneficia principalmente o setor financeiro com bilhões por ano que deixam de ser pagos em imposto.Há ainda um conjunto de exigências para funcionamento que podem ter o efeito adverso de dificultar a entrada de novos bancos, enquanto os grandes já consolidados as tiram de letra. Nessa hipótese, o Estado estaria criando “barreiras à entrada”, limitando a competição que beneficiaria os consumidores com preços melhores (neste caso, juros).Não à toa, há o movimento para que as fintechs passem a ser tratadas como bancos, o que poderia as atolar com exigências e inviabilizar os serviços que vêm agradando a famílias e empresas. Há o risco de avanço “da PIB”.(Estado)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Relator do Auxílio Brasil prevê reajuste anual pela inflação
  • Biden indica Jerome Powell para 2º mandato no Fed
  • Mudanças climáticas já afetam portos brasileiros, aponta estudo
  • Mercado nacional rejeita trigo modificado argentino
  • Banco Central limita opções de horário para o Pix
  • Inflação pode superar 10%, perto do pico da gestão Dilma
  • Anúncio sobre folga fiscal maior em 2022 faz Bolsa cair 0,89%
  • Impasse da PEC ameaça atrasar a aprovação do Orçamento de 2022
  • Pacheco fala em ‘ampla maioria’ para aprovar desoneração da folha
  • Inflação eleva para R$ 106 bi folga com PEC dos precatórios
  • STF dá sinal verde à ampliação do programa em ano eleitoral
  • Chavismo vence eleição com alta abstenção
  • Futuro presidente chileno terá de negociar com Congresso dividido
  • Portos do País querem criar ‘polos’ de hidrogênio
  • A aposta no combustível do futuro

O Globo

  • Manchete: Impasse nas prévias aprofunda a crise no PSDB
  • Lira diz que vai colocar em votação ‘Refis da Covid’
  • Sem recursos federais, governo sanciona lei que cria o vale-gás
  • Telefone fixo pode gerar dívida de R$ 26 bi para União em 2023
  • Horário noturno do Pix muda
  • BC eleva alíquota do depósito compulsório a 20%
  • STF mantém obrigatoriedade de renda básica em 2022
  • Pacheco defende auxílio permanente
  • Chavismo vence em estados e perde 96 municípios
  • Kast larga em vantagem
  • EUA estreiam em lista de países em ‘retrocesso democrático’
  • Tema do Enem, falta de registro civil atinge ao menos 3 milhões
  • Versos com a cara do Brasil no Enem
  • ‘Caixa-preta’ dos transportes: guerra no Judiciário

Folha de S. Paulo

  • Manchete: Moradores acham 8 corpos em favela do RJ após ação policial
  • Bolsa de SP volta a cair com incertezas sobre PEC
  • Desemprego no Brasil é mais que o dobro da média internacional
  • Mercado passa a ver inflação acima de 10% neste ano
  • Custo de medidas para enfrentar crise de energia chega a R$ 140 bi, estima instituto
  • Gasolina e diesel param de subir nos postos
  • Bolsonaro sanciona criação de auxílio-gás para famílias de baixa renda
  • Novo Refis será pautado e aprovado pela Câmara, afirma Lira
  • Esquerda faz pressão para pagar a ‘dívida da professorinha’, afirma Bolsonaro
  • PEC libera R$ 106 bi sem espaço para reajustes e auxílio a caminhoneiros
  • Brasil chega a 80% dos adultos com vacinação completa
  • Brasil precisa comprar mais 220 mi de doses de imunizantes para 2022

Manchete nos Jornais desta Segunda-feira, 22 de Novembro de 2021

Caixa retoma horários normais nas agências
A Caixa Econômica Federal voltará a atender nos horários tradicionais a partir de amanhã. Na maior parte do País, as agências do banco vão funcionar das 10h às 16h, com exceções para cidades de menor porte. A lista completa dos horários de agência está disponível no site da instituição. (Estado)

Trabalhador sem auxílio nem salário recebe indenização
Profissional afastado que não consegue o auxílio-doença nem o salário pode processar o INSS e o empregador. O TST condenou uma empresa a pagar indenização por danos morais a uma ex-funcionária que ficou sem salário após ter recebido alta do INSS, mas não foi reintegrada em seu emprego. No chamado limbo previdenciário, o trabalhador não consegue votar à ativa e também fica sem auxílio. Veja o que fazer. (Agora)

5G não é ‘bala de prata’ para conectar escolas
Quem esperava que o 5G fosse a ‘bala de prata’ vai continuar a ver o lobisomem vivo. O leilão do 5G foi exemplo de como essa questão é tratada de forma desleixada entre nós. Tentou-se a todo custo excluir a exigência de conectar escolas do leilão. Por exemplo, a obrigação de conectar 31 mil quilômetros de estradas entrou fácil no leilão. Ganha um doce quem conseguir justificar por que conectar as estradas do país é mais prioritário do que conectar as escolas. No fim, a obrigação de levar conexão às escolas acabou entrando em razão de uma intervenção do Tribunal de Contas da União e por pressão da frente parlamentar de educação no Congresso. No entanto, essa obrigação foi atrelada à venda das faixas menos cobiçadas do leilão, que são as frequências de 26 GHz. Essas frequências, para serem usadas em escala, ainda precisam de muita infraestrutura, pesquisa e desenvolvimento. Tanto é que os mais pessimistas enxergam que o leilão dessas faixas simplesmente fracassou. Vários lotes nem sequer tiveram lances. O valor de arrecadação esperado era de R$ 7,6 bilhões, e nem a metade foi alcançada. Hoje, o país, sem planejamento, gasta muito e gasta mal. Muitas vezes há sobreposição de investimentos dos três entes federativos em uma mesma área e falta total de recursos em outras. Dividir claramente quais as competências e atribuições de cada ente geraria eficiência enorme e impacto imediato. Quem planeja gasta menos e faz muito mais. Para dar certo, precisa envolver não só o setor público, mas também o setor privado, a comunidade científica e a sociedade civil. Na maior parte dos casos em que o Brasil atuou em questões de tecnologia a partir de uma estratégia multissetorial, essa atuação deu certo. Vale lembrar: é impossível construir a educação do futuro se a premissa disso —conectividade— não existe. (Folha)

Aposentado pode perder com PEC dos precatórios
Pequeno credor terá dificuldade para comprar imóvel ou direitos de crédito, opções criadas pelo governo. A PEC dos Precatórios, que institui o calote a dívidas com sentenças judiciais, pode afetar o pagamento da União a grupos prioritários como aposentados e professores. Especialistas também afirmam que pequenos credores terão dificuldade em utilizar as alternativas para recebimento desses recursos prevista na proposta. Entre elas, estão quitar débitos parcelados ou inscritos em dívida ativa, pagar outorga, comprar imóvel público, ação de estatal e direito de receitas de petróleo. Também avaliam que essas opções devem ser uma escolha do credor, e não imposição do Estado.Atualmente, a Constituição dá prioridade ao pagamento de precatórios alimentares, aqueles decorrentes de decisões da Justiça sobre salários, benefícios previdenciários, indenizações por morte ou invalidez, por exemplo.Entre os alimentares, são considerados prioritários os pagamentos relacionados a credores com 60 anos ou mais, ou que sejam portadores de doença grave, ou pessoas com deficiência, até o limite de 180 salários mínimos (cerca de R$ 215 mil em 2022). Estimase que esse grupo represente entre R$ 12 bilhões em precatórios no próximo ano.Os demais de natureza alimentar somariam R$ 8 bilhões, segundo cálculos da empresa Mercatório com base em informações do Orçamento e do Ministério da Economia. Também chamada de PEC do Calote, a proposta coloca no meio desses dois grupos — após os alimentares com prioridade e antes dos demais alimentares—, na fila de preferência, os pagamentos relativos ao Fundef/Fundeb (fundos da área de educação), parcelados em três anos. (Folha)

Meio ambiente virou diretriz empresarial
O compromisso de EUA e China na busca de soluções para a questão climática foi uma surpresa. Sem as duas maiores economias do planeta, ficaria mais desafiador empreender esforços pelo meio ambiente. Foi destaque a enorme mobilização de ativistas, observadores, cientistas, ONGS e políticos nos debates. Trouxe-nos a esperança de que o tema ambiental é central e, sobretudo, que os governos serão cobrados com intensidade muito maior com relação às suas decisões e ações. A sociedade, em escala mundial, assumiu e tornou sua a causa da proteção ambiental. (do Brasil) Foram exibidos casos de sucesso na redução dos gases de efeito estufa por meio do aproveitamento de resíduos líquidos e sólidos na produção de energia limpa no Centro-oeste. Ficou a mensagem de que novas tecnologias permitem uma atividade rural sustentável, da qual façam parte o uso renovável da água, geração alternativa de energia e preservação das matas. Foi notável também a ativa participação dos empresários em Glasgow. Estiveram lá inúmeros representantes de grandes empresas e organizações dedicadas ao tema da sustentabilidade ambiental, como (CEBDS), O comprometimento com o meio ambiente mostrou ser uma diretriz de estratégia empresarial. O comprometimento com o meio ambiente ultrapassou os padrões do marketing e mostrou ser uma diretriz de estratégia empresarial. E são elas, as corporações, as que têm capital para impulsionar as transformações nos modos de produção e comportamento da sociedade.(Estado)

Para economista, Brasil vive muita incerteza, com juros altos e pouco espaço para gastos públicos ‘Estamos colhendo o custo do populismo’ – (Lulismo & Bolsonarismo)
O Brasil entrou na pandemia com uma economia mais frágil que a de outros emergentes, enfrentou o período sem planejamento e saiu dela desrespeitando regras fiscais, o que cria incertezas e reduz investimentos, segundo análise da economista Silvia Matos da (FGV/IBRE) Esse cenário levará o País a um desempenho fraco em 2022. “A incerteza na economia brasileira é muito alta e o contexto é de limitações do crescimento, com juro alto e sem espaço para gastos públicos”, diz ela, que prevê um PIB de 0,7% no ano que vem. De acordo com a economista, a situação poderia ser mais positiva, pois algumas reformas foram feitas nos últimos anos e deveriam ajudar na retomada. Medidas populistas, como o Auxílio Brasil – criado sem planejamento e discussão –, no entanto, impedem uma melhora da economia. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • Manchete: Brasil deve ter pior resultado de economias emergentes em 2022
  • São Caetano lidera lista de cidades mais sustentáveis
  • Barueri é a cidade mais competitiva do Brasil
  • Eletrobras define bancos para oferta de ações
  • Caixa retoma horários normais nas agências
  • ‘Estamos colhendo o custo do populismo’
  • Com oposição na disputa, eleição na Venezuela tem maior participação
  • No Chile, caldo de polarização vai ferver ainda mais em 2022
  • Nova arma hipersônica da China viaja 5 vezes mais rápida do que o som
  • Em eleição polarizada, ultradireita e esquerda farão 2º turno no Chile
  • Ministro nega interferência na prova; 26% dos candidatos faltam
  • Apesar das críticas de Bolsonaro, Enem trata de gênero e luta de classes
  • Com avanço lento na reciclagem, metade das cidades ainda tem lixões
  • Brasil sente mais o choque nos preços

O Globo

  • Manchete: Empresas buscam ajuda para reduzir conta de luz
  • Bancos digitais facilitam abertura de contas em moeda estrangeira
  • Brasileiro quer adiantar Natal na ‘Black Friday’
  • BDRs: cresce interesse em investir lá fora
  • As 10 maiores ações do Ibovespa: ruim com elas, pior sem elas
  • Ex-ministros pedem mudanças em presidência do Inep
  • MEC cortou pela metade verba para divulgar o Enem 2021
  • A cara da Ciência: Sem ceder à pressão política, Enem teve temas sociais e só 26% de abstenção
  • Em Belo Horizonte, idoso tenta Enem pela 10a. vez
  • Ministro sugere que número de inscritos cai por escolas fechadas

Folha de S. Paulo

  • Manchete: Minha reeleição não depende de Bolsonaro, diz Lira
  • Gabinete de ministro do TCU vira reduto de apoio ao governo Bolsonaro
  • Governo insiste em minirreforma trabalhista e quer que Congresso a lidere
  • PEC dos Precatórios gera risco de calote para aposentados e educação
  • BC cria novo horário para limite noturno de R$ 1.000 no Pix
  • Observadores indicam baixo comparecimento na Venezuela
  • Apuração aponta Kast e Boric no segundo turno no Chile

Valor Econômico

  • Bancos adotam modelo híbrido de trabalho
    Parâmetros diferem, mas todas as instituições estão adaptando estruturas físicas e procedimentos para receber de volta quase a totalidade dos funcionários
  • Cutrale deixa de exportar suco para os EUA
    Companhia decidiu suspender os embarques do produto concentrado e congelado (FCOJ) do Brasil aos EUA e estuda investir em fazendas e fábrica no México
  • Governo reduz incentivo a vale alimentação
    Novas regras preveem que o abatimento dos vales só deverá ser aplicado para os rendimentos de até cinco salários-mínimos
  • 1% mais rico tem 35 vezes a renda dos 50% mais pobres
    Apesar da diferença, desigualdade até caiu no ano passado, por conta de programas emergencias para aliviar os efeitos da pandemia
  • Inflação de serviços acelera e preocupa BC
    Os chamados “serviços superiores não subjacentes” superaram em outubro, um mês antes do que era previsto, o patamar anterior à pandemia
  • Auxílio permanente gera debate sobre compensação
    Os parlamentares precisam definir se vão querer cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e fazer compensações em outras despesas ou se também colocarão no texto constitucional a liberação dessa exigência legal
  • O importante alerta que vem da Europa sobre a pandemia
    Festas de fim de ano e Carnaval também exigirão atenção do poder público e responsabilidade da população
  • Pesquisa no país encontra resíduos de defensivos em 11% dos alimentos
    Ministério da Agricultura avaliou 2,6 mil amostras entre 2019 e 2020; casos fora de conformidades não representam, necessariamente, risco à saúde
  • Limite de dedução do IR com vale refeição pode parar na Justiça
    Mudança de regras por meio do Decreto nº 10.854 terá validade a partir de 11 de dezembro
  • A prorrogação da desoneração da folha
    Reoneração da folha de pagamentos em plena crise sanitária ocasionaria impacto inestimável para empresas
  • Novas regras do PAT podem inibir fraudes sobre benefícios
    Uso do benefício passa a ser restrito a restaurantes e similares ou para a aquisição de gêneros alimentícios no comércio