Título da categoria

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait.

Arquivo de categoria Políticas Públicas

Manchete nos Jornais deste Sábado, 23 de Outubro de 2021

67% dos reajustes salariais ficam abaixo da inflação
Alta dos preços aprofunda a redução do poder de compra do trabalhador. Quase sete em dez acordos salariais concluídos em setembro obtiveram reajuste abaixo da inflação dos 12 meses anteriores, que acumulou 10,4% pelo INPC. Na prática, isso significa que os salários encolheram ante o custo de vida. Apenas 9,5% tiveram ganho real. Foi o pior resultado do último ano, segundo o Salariômetro, boletim da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) sobre os acordos registrados no Ministério do Trabalho e Previdência.Os acertos entre trabalhadores e empresas que terminaram com o encolhimento dos salários representam 67% do total negociado em setembro. Sem compensar pelo menos a inflação do ano anterior, a remuneração encolhe.Ainda que não haja redução no valor nominal –aquilo que cai na conta do trabalhador–, o mesmo salário perde o poder de compra. Em média, os rendimentos negociados em maio ficaram 1,9% menores. Somente 9,5% das negociações terminaram em ganho real aos trabalhadores. Ou seja, tiveram reajustes superiores à inflação acumulada e, com isso, conseguiram um aumento salarial. Outros 23,5% tiveram apenas o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), de 10,4% no acumulado dos 12 meses. A recuperação econômica ainda tímida também cria condições mais desfavoráveis às negociações. O Salariômetro de setembro registra que, além de salários menores, os trabalhadores estão recebendo menos em seus benefícios de alimentação. Esses estão valendo menos, e não somente porque não repuseram a inflação. (Folha)

Analistas veem economia pior em 2022, com juros de até 11% e estagflação
Instituições financeiras subiram previsão para Selic; Guedes diz que fica no governo ‘até o fim’.Para o ano que vem, algumas instituições já estimam os juros na casa dos 10% (o Credit Suisse, por exemplo, fala em 10,5%; a XP fala em 11%), para conter a inflação. E juro maior significa uma trava no crescimento econômico – que já tinha previsões pífias, em torno de 1%, para 2022. Para resolver o impasse, o caminho encontrado pelo governo para conseguir recursos foi mudar a regra e furar o teto, em vez de cortar despesas com subsídios ou emendas parlamentares, por exemplo. Fez um acordo no Congresso para modificar a forma como o teto é calculado. E, com isso, abrir um espaço de R$ 83,6 bilhões no Orçamento. Para economistas e analistas, esse movimento, se aprovado, enterra a última barreira que existia em relação aos gastos desenfreados do governo, principalmente levando-se em conta que 2022 é ano eleitoral.A reação foi forte. Na semana, a Bolsa caiu 7,28%, o pior desempenho desde março do ano passado. Ontem, o Ibovespa fechou aos 106,2 mil pontos, queda de 1,34%. O dólar, por sua vez, subiu 3,12% na semana e fechou em R$ 5,6273. (Estado)

Mundo precisa de estratégia para transição de energia
Mundo precisa de uma estratégia de transição dos combustíveis fósseis para os renováveis. O preço da gasolina nos EUA aumentou mais de 50% nos últimos 12 meses. O preço do gás natural na Europa aumentou espantosamente, quase 500%, ao longo do mesmo período. Na Ásia, a Bloomberg News informa que empresas de energia estão comprando gás natural líquido a preços recordes na tentativa de garantir o estoque.
Na Europa, uma produtora de fertilizante em massa já foi obrigada a fechar temporariamente duas instalações na Grãbretanha por causa do alto custo da energia, e há o temor de que outras indústrias terão o mesmo destino. A U.S. (agência de informações do mercado de energia dos EUA) emitiu um alerta aos americanos para a probabilidade de pagarem substancialmente mais para se manter aquecidos no próximo inverno, especialmente no caso de uma queda acentuada nas temperaturas. (Estado)

China suspende importações, mas preço no Brasil não cai
A nova valorização do dólar ante o real pode turbinar uma nova rodada de reajustes nos preços dos alimentos, que há meses pressionam o orçamento das famílias brasileiras, especialmente as mais pobres. No mês de setembro, os alimentos comprados nos supermercados estavam 14,66% mais caros em relação ao patamar de um ano antes, segundo dados do (IPCA), apurado pelo IBGE). O dólar pressiona os preços de grãos como soja, milho e trigo, que contaminam derivados como óleo de soja, massas e panificados, assim como carnes de animais dependentes de ração, aves e suínos. A crise hídrica já vinha ajudando a elevar o custo desses alimentos, que inicialmente ficaram mais caros no atacado, mas os reajustes já chegam ao varejo. (Estado)

Cooperativa de garimpo se alça a uma das maiores do país
Vale do Guaporé opera com exigências ambientais menores, mas área a coloca entre gigantes da mineração.infoamazonia Uma dupla de ex-servidores públicos da pequena cidade de Conquista d’Oeste (MT), sem nenhuma experiência em mineração, tenta abocanhar uma área na Amazônia. (Estado

O Estado de S. Paulo

  • Petrobras quer operar na foz do Rio Amazonas
  • Em leilão, Cosan paga R$ 927mi por empresa de gás do Rio Grande do Sul
  • Setor imobiliário perde fôlego no 3º trimestre
  • Evergrande evita calote milionário com pagamento na última hora
  • Alta do dólar pode causar nova rodada de reajustes de alimentos
  • Embargo chinês derruba cotação no campo, mas carne continua cara no prato
  • Esteves Colnago vai assumir Tesouro e Orçamento
  • Guedes nega que tenha pedido demissão e diz que fica no governo ‘até o fim’
  • Manobra no teto reforça cenário de estagflação na economia em 2022
  • Analistas veem economia pior em 2022, com juros de até 11% e estagflação
  • EUA detêm 57 mil brasileiros na fronteira com o México em 12 meses
  • Integrante do Conselho do Meio Ambiente também nega consulta de ministério sobre COP
  • Pfizer defende eficácia de vacina infantil; no Brasil, há mais desafios
  • Viagem Brasil-EUA – Fila para visto cresce e entrevistas estão esgotadas
  • Pandemia aumentou o risco de violência sexual dentro de casa
  • Brasil tem 7 mil assassinatos de crianças e adolescentes por ano

O Globo

  • Os candidatos a ser a ‘nova nicotina’
  • Greve de transportadores afeta distribuição em Minas, RJ e São Paulo
  • Colnago, ex-ministro de Temer, assume Tesouro
  • Guedes: ala política do governo fez ‘pescaria’ de nomes para seu lugar
  • Bolsonaro diz que novo aumento de combustível é ‘iminente’
  • Brasil e China se reúnem, mas com prioridades bem diferentes
  • ‘Ao ficar, Guedes tirou incerteza’
  • Bancos e consultorias já veem Selic acima de 10% em 2022
  • Fitch monitora impacto na credibilidade da âncora fiscal
  • Bolsa perde 7,28%, e dólar sobe 3,25% na semana
  • Bolsonaro e Guedes traçam retrato da economia, mas não é bem assim…
  • Guedes admite que novo auxílio afrouxa ajuste das contas públicas
  • Acuado até por aliados: Fernández enfrenta ira kirchnerista e baixa aprovação a um mês das legislativas
  • China acelera políticas de assimilação das minorias
  • Dentro e fora de casa
  • Pfizer é segura e eficaz para crianças entre 5 e 11 anos, diz fabricante
  • Ministério da Saúde libera certificado para quem tomou vacinas diferentes

Folha de S. Paulo

  • Clientes da Ford resistem à frota de veículos elétricos
  • França dará 100 euros a 38 milhões para ajudar a pagar conta de gás e eletricidade
  • Governo planeja novo socorro a setor elétrico
  • Indústria agora sofre com energia cara, afirma pesquisa da CNI
  • Grupo Cosan compra controle da distribuidora de gás encanado do RS
  • Transportadoras de combustível de RJ e MG encerram paralisação
  • Gestão fiscal de municípios tem melhora com medidas emergenciais, diz estudo
  • Reajuste salarial perde da inflação em 67% dos acordos
  • Manchete: Diante de crise Guedes diz que fica e defende drible no teto
  • Bolsa tem pior semana desde março de 2020
  • Colnago substitui Funchal na secretaria do Tesouro
  • Guedes diz que ala política fez pescaria com seu cargo
  • Número de brasileiros detidos na fronteira dos EUA bate recorde
  • Vistos gold para investir em Portugal terão mudanças em 2022
  • Cooperativa de garimpo na Amazônia se alça a uma das maiores do país

Manchete nos Jornais desta Sexta-feira, 22 de Outubro de 2021

Ruptura do teto de gastos implode equipe de Guedes
Secretários se demitem após abandono de regra fiscal pelo governo
Quatro dos principais secretários da equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) deixaram o governo ontem, após a confirmação do fim da regra do teto de gastos, que abrirá uma janela de R$ 83,6 bilhões para despesas extras como Auxílio Brasil, emendas parlamentares e outros programas de interesse de Jair Bolsonaro no ano eleitoral de 2022. O abandono da principal âncora da política fiscal do País foi articulado pelo Centrão com o Palácio do Planalto. Pediram demissão o secretário especial de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, o secretário do Tesouro, Jefferson Bittencourt, e os secretários adjuntos Gildenora Dantas e Rafael Araújo. A mudança no teto de gastos vai abrir um espaço de R$ 83,6 bilhões para despesas adicionais do governo.. O acordo foi fechado na manhã de ontem, após dias de embates entre as equipes para viabilizar o pagamento de R$ 400 aos beneficiários do Auxílio Brasil. Incorporada ao texto da PEC dos precatórios colocada em discussão na comissão especial na Câmara no mesmo dia, a proposta muda a fórmula do teto, que hoje é corrigido pelo IPCA acumulado em 12 meses até junho do ano anterior ao de sua vigência. A ideia é adotar a correção da inflação de janeiro a dezembro. Só a troca na correção do teto vai gerar uma folga extra de R$ 40 bilhões, pois a mudança será aplicada desde o início da regra. É esse espaço que Bolsonaro terá para acomodar os R$ 51,1 bilhões de gastos adicionais com as mudanças no Auxílio Brasil (reajuste permanente de 20% mais a parcela temporária para chegar aos R$ 400), e também gastos com emendas parlamentares, preciosas para congressistas que também buscarão novo mandato em 2022. (Estado)

Lula e Bolsonaro: tão longe, tão perto
Voluntarismo de Bolsonaro e Guedes – segue-se a lei fiscal só quando interessa – é o mesmo de Lula, Dilma e Mantega. Com essa turma, a crise econômica nunca é acidental.Voluntarismo de Bolsonaro e Guedes é o mesmo de Lula, Dilma e Mantega. Com eles, crise econômica nunca é acidental.os fatos, no entanto, insistem em aproximar o ex-sindicalista do excapitão – os fatos e, deve-se reconhecer, o próprio Lula. Não é apenas o fato de que o exercício da Presidência da República tenha trazido, tanto a Lula como a Bolsonaro, sérias questões penais. Os dois teimam em ser igualmente desleixados no cuidado das contas públicas quando o assunto tem impacto eleitoral. Quando lhes interessa, esquecem-se de que existe legislação protegendo a responsabilidade fiscal e, principalmente, fazem vista grossa para os efeitos perniciosos do desequilíbrio das contas públicas sobre o desenvolvimento social e econômico do País.Um dia depois de o governo federal ter anunciado que o novo Bolsa Família – o Auxílio Brasil – terá um valor médio de R$ 400, sem ter indicado como financiará, dentro das regras fiscais, o aumento, Lula apoiou a tática bolsonarista, sinalizando que faria o mesmo, e até mais. Para Lula, não apenas deve haver aumento, como o auxílio teria de chegar a um valor médio de R$ 600. O ex-presidente petista não explicou como o Estado financiaria esse valor, tampouco se ele está em conformidade com a legislação. (Estado)

Com incerteza fiscal, Bolsa cai e dólar sobe
Bolsa cai 2,75% e dólar sobe 1,92%, enquanto Bolsonaro coloca regra fiscal em segundo plano, em busca da reeleição. Após o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarar publicamente que o governo precisava de uma “licença para gastar” acima do teto de gastos, o Ibovespa, principal índice de ações do mercado nacional, despencou 2,75%, aos 107.735,01 pontos – no menor valor desde 20 de novembro. No câmbio, o dólar avançou 1,92%, cotado a R$ 5,6676 – maior valor desde 14 de abril.(Estado)

Bolsonaro anuncia ‘bolsa-caminhoneiro’
Benefício para 750 mil autônomos foi opção escolhida pelo governo para evitar ‘intervenção’ nos preços da Petrobras.O custo estimado pelo governo com o programa é de cerca de R$ 4 bilhões. O valor final ainda vai depender de negociações com o Congresso Nacional e da disponibilidade no Orçamento.A avaliação dentro do governo é de que o “auxílio diesel” é melhor do que uma alteração na política de preços da Petrobras, o que representaria, segundo uma fonte, “intervenção” na estatal. A ajuda não terá relação com o Auxílio Brasil, que também deve pagar R$ 400 até dezembro de 2022. Na área econômica, técnicos foram pegos de surpresa com o anúncio.Desabastecimento. A defesa do auxílio diesel inclui o argumento de que os caminhoneiros são um elo importante da cadeia produtiva, e um peso excessivo dos combustíveis no bolso deles poderia gerar risco de desabastecimento. (Estado)

Brasil defende carne em críticas a texto para a COP26
País negou impacto negativo da política ambiental de Bolsonaro em revisão do documento.o Brasil se opôs a recomendações para reduzir o consumo de carne no mundo, defendeu a produção de biocombustíveis e rebateu críticas à política ambiental do governo Jair Bolsonaro.Nas mensagens ao IPCC, o Brasil se opôs fortemente à conclusão do relatório de que a adoção de uma dieta com menos carnes e mais alimentos feitos de plantas seria necessária para combater a mudança do clima. O argumento foi endossado pela Argentina e, em menor grau, pelo Uruguai —outros dois grandes produtores de carne.Segundo o IPCC, a produção de carne é um dos principais fatores por trás do desmatamento na Amazônia e no Cerrado. Isso porque a vegetação nativa é muitas vezes derrubada para dar lugar a pastagens ou plantações de soja, que alimentam rebanhos.O rascunho do relatório do IPCC diz que “dietas à base de vegetais podem reduzir as emissões em até 50% comparado com a média de emissões da dieta Ocidental.” Folha)

Inflação da cesta básica encosta em 16% em 12 meses
Preços dos alimentos avançam mais do que o IPCA, diz pesquisa; açúcar, óleo de soja e café têm maiores altas.Açúcar e óleo de soja tiveram a maior variação. No mesmo período, o IPCA, índice oficial de preços, subiu 10,25%.A disparada dos preços dos alimentos afeta principalmente o bolso dos mais pobres na pandemia e reflete uma combinação de fatores.Essa receita indigesta vai desde o dólar alto e a valorização das commodities agrícolas no mercado internacional até os efeitos da seca prolongada e das geadas.No acumulado de 12 meses, o açúcar cristal (38,37%), o óleo de soja (32,06%) e o café moído (28,54%) foram os produtos da cesta básica que registraram as maiores altas de preços no país.Em seguida, aparecem o contrafilé (26,88%), a margarina (24,97%), a batata inglesa (24,71%) e o tomate (24,32%). O terceiro fator responsável pela elevação dos alimentos, diz o economista, é o impacto do clima adverso. Ao longo de 2021, a agricultura amargou o efeito da seca prolongada e o registro de geadas. Os extremos abalaram a produção de itens como milho, cana-de-açúcar e café.Na capital paranaense, a alta foi de 19,54% no acumulado de 12 meses até setembro. Ou seja, foi maior do que a média brasileira (15,96%). Com o aumento dos preços de alimentos e as dificuldades no mercado de trabalho, o Brasil passou a registrar mais cenas de pessoas em busca de doações de comida e até de restos de alimentos durante a pandemia.Um dos episódios recentes ocorreu em Fortaleza. Um vídeo compartilhado nas redes sociais mostra pessoas à procura de comida em um caminhão de lixo na capital cearense.Outros casos que ficaram conhecidos foram registrados no Rio de Janeiro, onde um caminhão distribuía restos de carne, e em Cuiabá, que teve filas em busca de doações de ossos de boi.

O Estado de S. Paulo

  • O que dizem os especialistas
  • Inflação eleva chance de alta de juros pelo mundo
  • É possível reforço sem furar teto de gastos?
  • Importação de gasolina pela Petrobras tem alta de 950%
  • Indicador de trabalho muda e afetará cálculo do PIB
  • Bolsa de R$ 400 a caminhoneiros custa R$ 4 bi
  • Mexida no teto afeta mercados e põe política fiscal em xeque
  • Mudança do teto de gastos abre espaço de R$ 83,6 bi no Orçamento
  • Ruptura do teto de gastos implode equipe de Guedes

O Globo

  • Política social fragmentada retrocede a décadas passadas
  • Pacheco defende incluir Petrobras no debate do ICMS
  • Bolsonaro promete ‘ajuda’ de R$ 400 a 750 mil caminhoneiros
  • Alta de juros reduz empregos, diz Luiza Trajano
  • Comissão aprova mudança no teto de gastos
  • Secretários de Guedes se demitem após manobra para elevar teto de gastos
  • ‘Aquela falta de produto já não acontece mais. Os preços subiram’
  • ‘Ano eleitoral é mais importante que questão fiscal’
  • BC já injetou US$ 4 bi para evitar avanço da moeda
  • Risco-país sobe e empresas perdem R$ 284 bi
  • Decisão do STJ pode levar SUS a sobrecarga de tratamentos
  • Falta de coordenação agravou pandemia, diz estudo
  • Incor pede aprovação para testar imunizante em spray
  • ‘É completamente fora de propósito negar a vacina’

Folha de S. Paulo

  • Acordos devem resguardar ambiente, decidem líderes da UE
  • Inflação da cesta básica encosta em 16% em 12 meses
  • Incerteza sobre política econômica e fiscal leva mercado aumentar a fatura nos juros
  • Dólar vai a R$ 5,66 e Bolsa cai após Guedes pedir licença para furar teto
  • Populismo fiscal de Guedes leva a crise e baixas na Economia
  • Famílias vão à Ceagesp buscar doações de alimentos
  • Transportadoras de combustíveis fazem paralisação contra aumento do produto
  • Bolsonaro anuncia auxílio-diesel para caminhoneiros
  • Drible é eleitoreiro e ameaça investimento, diz 0 mercado
  • Manobra para furar teto eleva pressão sobre BC por alta acelerada dos juros
  • Pfizer funciona melhor com um intervalo de 8 semanas
  • Terceira dose tem 95,6% de efetividade, afirma farmacêutica
  • Rio pode desobrigar máscaras em locais fechados a partir do dia 15

Valor Econômico

Análise: Bruno Funchal era o verdadeiro fiador da política fiscal na equipe econômica.
O secretário especial do Tesouro e Orçamento pediu demissão diante da crise do teto de gastos. Também deixaram o governo o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, e os secretários-adjuntos Rafael Araujo e Gildenora Dantas

Comissão da Câmara aprova PEC dos Precatórios por 23 votos a 11
Nova versão da PEC dos Precatórios altera apuração do teto e abre espaço de R$ 83 bi em 2022.

Pacheco não descarta mudança no teto: ‘Temos a obrigação de dar solução’

Análise: Sem âncora fiscal, mercado exige juro alto

Bolsonaro promete ajuda a 750 mil caminhoneiros para compensar diesel

Inteligência dos EUA prevê cenário de batalha com mudanças climáticas

Chanceler chinês promete saída rápida para embargo à carne

Manchete nos Jornais desta Quinta-feira, 21 de Outubro de 2021

Auxílio Brasil de R$ 400 é anunciado pelo governo
Programa social inclui pagamento provisório em 2022, quando Bolsonaro disputará eleições.Sem citar a fonte dos recursos, João Roma (Cidadania) disse que o Auxílio Brasil terá benefício temporário e que famílias ganharão ao menos R$ 400 até o fim de 2022. Paulo Guedes (Economia) falou na possibilidade de licença para o gasto.A fonte dos recursos para chegar aos R$ 400 não foi detalhada pelo ministro. O novo programa será executado a partir de novembro deste ano, e a previsão é fazer os pagamentos temporários começarem depois disso e durarem até o fim de 2022 —ano em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tentará a reeleição.O orçamento do Bolsa Família hoje é de R$ 34,9 bilhões. Um aumento de 20% nesse valor elevaria a verba a R$ 41,8 bilhões em bases anuais. Membros do Executivo também afirmam que o governo procura elevar o valor médio permanente dos atuais R$ 190 para R$ 224 —um aumento de 18%. O benefício varia hoje de menos de R$ 100 a mais de R$ 500 —dependendo da composição familiar. Além disso, o governo quer ampliar o alcance. Segundo Roma, o número de famílias passaria de 14,7 milhões hoje para 16,9 milhões no Auxílio Brasil. O objetivo é zerar a fila de espera até o fim do ano. Já o auxílio emergencial, principal medida do governo durante a pandemia, não será prorrogado. (Folha)

Brasil conclui vacinação contra Covid de metade da população
País atinge a marca meses depois de lugares como Chile, Uruguai, Reino Unido e Estados Unidos.O Brasil superou ontem a marca de 50% da população com o regime vacinal contra a Covid completo. Apesar do atraso em relação a outros países, a adesão dos brasileiros é grande, e 71% já receberam a primeira dose. Vale, porém, destacar que a imunização só é considerada efetiva duas semanas após a aplicação da segunda dose. O marco foi comemorado por especialistas, que aproveitaram o momento para enfatizar a importância da vacinação e do uso da máscara como equipamento de proteção pessoal. (Estado)

Mercado já projeta dólar testando a barreira dos R$ 6 ainda neste ano
Incertezas política e fiscal, além das mudanças no cenário global pós-pandemia, podem pressionar o câmbio brasileiro com força. (Folha)

Zara tinha alerta para entrada de negros, afirma polícia do CE
Delegada relata ter sido expulsa de unidade no Shopping Iguatemi de Fortaleza por gerente; empresa nega racismo. Quando alguém tido como suspeito entrava na loja, o código “Zara zerou” era anunciado, segundo o delegado Sérgio Pereira, que investigou o caso.“A partir daquele momento, a pessoa não era mais tratada como cliente, mas como uma pessoa nociva ao atendimento normal. A partir dali, as pessoas estavam sob vigilância. Geralmente eram pessoas consideradas mal vestidas, dentro do padrão deles, ou pessoas de cor”, diz o delegado. (Folha)

STF derruba cobrança de trabalhador com acesso à Justiça gratuita
STF beneficia quem tem Justiça gratuita. Nesses casos, determinou o Tribunal, o trabalhador não é obrigado a pagar o advogado do empregador se perder o processo ou parte dele. (Valor Econômico)

PEC de proteção de dados passa no Senado
Proposta torna esse direito fundamental e cláusula pétrea, e estabelece que caberá somente à União legislar sobre o tema. O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (20), a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 17/2019, que torna a proteção de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, um direito fundamental. A PEC também remete privativamente à União a função de legislar sobre o tema. Por acordo entre as lideranças, foram votados os dois turnos na mesma sessão. Aprovado de forma unânime, a PEC recebeu 64 votos no primeiro turno e 76 no segundo (o mínimo exigido é de 49). O texto segue agora para promulgação, em sessão do Congresso Nacional ainda a ser marcada. ( Agência Senado)

Regulamentação da Lei do Superendividamento está em discussão
Como a nova legislação vai tratar os superendividados, de que forma pode influenciar nas relações de consumo e seu impacto na economia. Em vigor desde julho, a Lei 14.181/2021, que prevê a recuperação judicial da pessoa física ao aperfeiçoar a disciplina do crédito ao consumidor e dispor sobre a prevenção e o tratamento. (Estado)

O que é o superendividamento?
O conceito clássico de superendividamento é a impossibilidade de a pessoa de boa-fé pagar suas dívidas, vencidas e a vencer, sem comprometer suas contas básicas. (Estado)

Quando entra em vigor o mínimo existencial?
A norma ainda depende de regulamentação, mas alguns estados e municípios têm editado suas próprias regras. (Estado)

Desafio é conciliar o mínimo existencial com o crescimento econômico
Estabelecer o valor a ser preservado para as contas básicas do consumidor é fundamental para o resgate da sua capacidade econômica (Estado)

Como saber que estou superendividado?
Se você tem a maior parte de sua renda comprometida por dívidas vencidas ou a vencer, fique atento, pois este é um sinal de superendividamento. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • Tenda planeja construção de 10 mil casas de madeira ao ano
  • Sem acordo com empresas, Argentina congela preços
  • Com mais gastos, IFI vê cenário fiscal ‘incerto’
  • ‘Bolsonaro não está dando presente, está emprestando até ganhar a eleição’
  • Custo extra para bancar benefício em 2022 chega a R$ 51,1 bilhões
  • Guedes fala em ‘licença para gastar’ R$ 30 bi fora do teto

O Globo

  • Licença para gastar: Governo se contradiz, garante benefício mínimo de R$ 400, e Guedes fala em furar teto
  • Relator: sem desoneração, 3 milhões perderiam emprego
  • Especialistas veem quadro de deterioração fiscal no país
  • PEC torna proteção de dados pessoais direito fundamental
  • Galp entra no setor de energia renovável no Brasil
  • Voo internacional terá regras flexíveis para empresas aéreas até março
  • STF decide barrar trechos da Reforma Trabalhista
  • Petrobras avalia elevar importação para evitar desabastecimento
  • Frigoríficos são autorizados a usar contêineres para armazenamento
  • Queda no preço da carne deve chegar ao varejo
  • Primeiras juízas ameaçadas pelos talibãs chegam ao Brasil
  • Pressão por volta à máscara

Folha de S. Paulo

  • PEC de proteção de dados passa no Senado
  • Reforma administrativa de Doria é aprovada na Alesp
  • Bolsa tem recuperação fraca
  • Auxílio e precatório ficariam dentro do teto com corte de emenda parlamentar, diz IFI
  • Crescimento do PIB em 2022 pode cair a zero, diz Rio Bravo
  • STF derruba cobrança de trabalhador com acesso à Justiça gratuita
  • Mercado já projeta dólar testando a barreira dos R$ 6 ainda neste ano
  • Zara tinha alerta para entrada de negros em loja, diz polícia do CE
  • Lula diz que benefício maior não é motivo de crítica e defende R$ 600
  • Bolsonaro diz que ninguém vai furar o teto de gastos
  • Guedes fala em licença para gastar fora do teto, nega populismo e defende governo popular
  • Governo anuncia Auxílio Brasil de R$ 400 sem explicar fonte de recurso
  • Vacina da Pfizer tem alta proteção para adolescentes
  • Brasil completa vacinação contra Covid-19 de metade da população

Valor Econômico

  • STF beneficia quem tem Justiça gratuita
    Nesses casos, determinou o Tribunal, o trabalhador não é obrigado a pagar o advogado do empregador se perder o processo ou parte dele
  • Guedes quer “licença” para gastar R$ 30 bi fora do teto
    De acordo com o ministro da Economia, a autorização seria para a parte temporária do auxílio e o compromisso com a consolidação fiscal estaria mantido
  • Bolsa dos EUA atrai fintechs brasileiras
    IPO do Nubank, que pode sair com valor de mercado entre US$ 50 bi e US$ 70 bi, ilustra movimento que já foi feito por algumas empresas brasileiras que têm a tecnologia no foco do negócio
  • Tarifa em Santos deve cair 30% com privatização
    Desestatização do complexo portuário exigirá investimentos de R$ 16 bilhões; leilão está previsto para o último trimestre de 2022
  • Sem privatização, Correios ficarão só “com o osso”, afirma ministro
    Para Fábio Faria, outras empresas vão dominar a entrega de encomendas, que ele considera o “filé” do setor
  • País cobra ação chinesa para avanço de carne brasileira
    Restrição de Pequim a produto por febre aftosa e mal da vaca louca preocupa
  • Mexer no teto em governo fraco é risco gigantesco, diz professor
    Para Renato Fragelli, da FGV, desorganização macroeconômica penalizaria mais pobres e ameaçaria democracia no país
  • Varejo on-line agora também pressiona a inflação nos EUA
    Em setembro, os preços dos sites de varejo dos EUA subiram 3,3%, em termo anual, contrastando com as quedas de 2% a 5% ao ano observadas nesse mesmo mês na maior parte dos anos anteriores
  • Fed aponta desaceleração da economia americana
    Interrupções na cadeia de suprimentos, escassez de mão de obra e a incerteza sobre a variante delta da covid-19 reduziram o crescimento, segundo o BC americano
  • Queda nos preços de casas eleva a incerteza sobre o crescimento chinês
    Mercado imobiliário se retraiu ainda mais nas últimas semanas com mais incorporadoras deixando de pagar dívidas
  • Biden quer usar consultórios e escolas para vacinar crianças
    Casa Branca diz que já adquiriu doses de vacinas suficientes para atender às faixas etárias mais baixas
  • Recorde de mortes por covid leva Rússia a decretar feriado
    País tem o maior púmero de óbitos da pandemia em toda a Europa
  • Facebook quer virar a página das redes sociais
    Empresa divulga planos ambiciosos para projeto de metaverso e cogita até mudança de nome, segundo o site The Verge
  • Cientistas desvendam como funciona o ‘escudo’ do milho contra a estiagem
    Pesquisadores da Unicamp e da Embrapa conseguiram detalhar como os micro-organismos agem para ajudar a planta a enfrentar a escassez de água
  • STF livra trabalhador de honorários de sucumbência
    Decisão vale apenas para partes com direito à justiça gratuita
  • Falta de padronizações aumenta riscos ao sistema
    Organizações devem estender o nível de proteção encontrado em redes tradicionais para ambiente de nuvem
  • Na construção civil, inovação se restringe a se limita às áreas de gestão e planejamento
    Mercado de construtechs deve crescer muito, embora a grande indústria ainda tenha medo de investir nessa área
  • Segredo da audiência no universo corporativo está em entregar conteúdos de alto valor agregado
    Vídeos se tornam estratégia de marketing e de comunicação de massa
  • Realidade aumentada ajuda a vender móveis
    Empresas aprimoram soluções de engajamento

Manchete nos Jornais desta Quinta-feira, 20 de Outubro de 2021

Gás passa de R$ 100 no País; Senado aprova subsídio
Após altas seguidas, Senado aprova projeto que cria o vale-gás; valor médio do produto no Brasil é de R$ 100,44.Com o petróleo ultrapassando U$ 80 o barril e o dólar testando novas máximas diariamente, o gás de cozinha atingiu pela primeira vez preço médio em todo o País acima de R$ 100, enquanto a gasolina subiu 3,3% em apenas uma semana, refletindo os recentes aumentos da Petrobras, que elevou os dois combustíveis em 7,2% nas refinarias no dia 9 de outubro. Enquanto a ajuda não vem, o preço médio do botijão de 13 quilos no País continua a subir, conforme pesquisa feita pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). A região Norte é a que tem o valor médio mais alto, a R$ 106,10. No Centro-oeste o consumidor paga R$ 105,40 e, no Sul, R$ 103,67. No Sudeste, o preço médio ficou em R$ 98,86 e, no Nordeste, em R$ 98,34. Na média, o produto ficou em R$ 100,44 no País. No ano, o botijão de 13 quilos já subiu 89%. A gasolina também avançou após o aumento anunciado pela Petrobras, com o preço médio do litro pulando de R$ 6,117 para R$ 6,321 de uma semana para outra, alta de 3,3%. O preço mais alto da gasolina continua sendo registrado em Bagé, no Rio Grande do Sul, a R$ 7,499 o litro, e o mais baixo foi encontrado a R$ 5,299 em Cotia, São Paulo. Já o preço do diesel se manteve praticamente estável na semana passada, com o preço médio subindo 0,3% em relação ao da semana anterior, para R$ 4,976 o litro. (Estado)

Ala política do governo confronta Guedes por mais gastos fora do teto
Impasse trava anúncio de desenho do Auxílio Brasil, que deve engordar com o pagamento de dois benefícios temporários. Após o presidente Jair Bolsonaro bater o martelo e apoiar mais despesas fora do teto de gastos para viabilizar sua reeleição, a ala política do governo e o Congresso iniciaram uma corrida para emplacar um volume ainda maior de gastos contornando a regra fiscal – que limita o avanço das despesas à inflação. Já a equipe econômica tenta travar a fatura extrateto em R$ 30 bilhões, que bancariam o lançamento do Auxílio Brasil. (Estado)

Bolsa desaba 3,28%; dólar vai a R$ 5,59, alta de 1,33%
O mercado reagiu com reprovação à notícia de que o governo considera utilizar recursos fora do teto para bancar os custos com programas sociais. (Estado)

A ameaça de tempestade perfeita no câmbio em 2022
Na semana passada, o dólar chegou a superar o patamar de R$ 5,57. O BC surpreendeu o mercado com leilões extras de swap cambial, ofertando na semana US$ 3,7 bilhões. A estratégia surtiu efeito temporário, e o dólar fechou a semana passada em queda de 0,77%, para R$ 5,45. Mas com o estresse causado pelo noticiário sobre o auxílio emergencial fora do teto, o dólar quase bateu em R$ 5,60, mesmo com o BC vendendo dólar à vista. Seria esse nível demasiado elevado para se chegar ao fim do ano diante dos fatores que deverão pressionar o dólar para cima em 2022? A retirada da liquidez injetada nos Estados Unidos desde a pandemia pelo Federal Reserve, que provavelmente anunciará em novembro a redução no volume mensal de compras de ativos, deverá dar impulso ao valor do dólar globalmente. Além disso, uma desaceleração da China, maior comprador de matérias-primas, deve tirar o fôlego nos preços das principais commodities e, com isso, reduzir o vetor positivo da balança comercial para fortalecer o câmbio no Brasil. Se o BC for muito comedido ao intervir no câmbio até o fim do ano, não se admira se o dólar voltar a encostar em R$ 6,00 em momentos de nervosismo. (Estado)

Distribuidoras terão de importar combustíveis
O custo excedente com importação será repassado para o consumidor que, no fim das contas, deve pagar mais caro pelos combustíveis nas bombas, ainda que a Petrobras não reajuste seus preços nas refinarias. A alta foi estimada em 17% pela Associação das Distribuidoras de Combustíveis (Brasilcom). A defasagem entre a disponibilidade interna e a demanda diz respeito aos contratos com entrega prevista para o mês que vem. No mundo todo, o mercado de petróleo e derivados está aquecido. Num só momento, o consumo subiu por conta do avanço da vacinação e recuperação das economias. Ao mesmo tempo, a oferta caiu. A consequência foi a disparada das cotações das commodities de energia, com reflexos no Brasil, que adota preços alinhados aos internacionais.(Estado)

Para analistas, dar benefício sem zelo fiscal deve gerar inflação
Economistas dizem que benefício cresceria com corte de gastos eleitoreiros.O governo Bolsonaro e o Congresso Nacional podem criar um programa social robusto sem desrespeitar as regras fiscais, mas têm optado por soluções populistas e que vão resultar em aumento da inflação, menos crescimento e perda de poder de compra da população. Por outro lado, preservam espaço de emendas parlamentares, subsídios e gastos eleitoreiros.(Folha)

Mercados reforçam segurança para evitar furto de carne; Procon vai multar Extra
O que antes era reservado a produtos como uísques e pacotes de cigarros chegou também aos alimentos, principalmente às carnes. Sensores, alarmes e embalagens vazias estão no alvo. (Estado)

Transição energética será conturbada
Demanda por combustíveis fósseis mostra fragilidade das energias renováveis
Em seu recente livro “How to Avoid a Climate Disaster”, Bill Gates define o “ágio verde” (“green premium”) como a diferença de custo entre fazer algo (produto, serviço ou atividade) (Folha)

Atraso do governo causa falta de medicação para leucemia
Saúde prometeu repasse até setembro, mas remédio não chegou a hospitais
Remédio utilizado contra a leucemia, o dasatinibe está em falta em alguns estados brasileiros por atraso na distribuição pelo Ministério da Saúde. (Folha)

O Estado de S. Paulo

  • Falta de chips chega ao setor de cartões de crédito no Brasil
  • Distribuidoras terão de importar combustíveis
  • Pela primeira vez, gás de cozinha tem preço médio acima de R$ 100 no País
  • Relator da PEC dos Precatórios se diz ‘aberto’ a ajustes no texto
  • Economistas veem ‘contabilidade criativa’
  • Bolsa desaba 3,28%; dólar vai a R$ 5,59, alta de 1,33%
  • Ala política do governo confronta Guedes por mais gastos fora do teto
  • Governo tenta dar guinada populista em novo benefício; mercado reage
  • Pará: valor de produção sustentável é três vezes maior que medição oficial
  • Valor anual gasto com unidades de conservação é de R$ 1,11 por hectare
  • Duas perguntas para…
  • Verba para ações contra desmates e queimadas tem baixa execução
  • Após 18 anos, 69% acham a saída do Bolsa Família
  • Rio programa abandonar uso de máscara no dia 26
  • Reino Unido faz alerta para subvariante da Delta; casos estão em alta
  • Lira impõe passaporte sanitário na Câmara

O Globo

  • Atento terá que informar sobre empresas afetadas por ciberataque
  • B3 fecha compra da Neoway por R$ 1,8 bilhão
  • Especialistas veem inflação maior e dólar mais alto
  • Auxílio Brasil de R$ 400 causa desconforto na equipe de Guedes
  • Proposta abre espaço de R$ 16 bi para emendas
  • Dólar se aproxima dos R$ 5,60 com risco fiscal
  • ‘Brasil está colocando em xeque o teto de gastos e a LRF’
  • Ministra busca retomar venda de carne à China
  • Eletrobras: governo permitirá usar FGTS para comprar ação
  • Petrobras informa que não vai conseguir atender demanda
  • Senado aprova vale-gás para população de baixa renda
  • Governo adia anúncio de novo auxílio após desgaste
  • Plano de produção de petróleo é o dobro do que clima suporta
  • Água precisa de R$ 110 bilhões até 2035
  • Brumadinho: STJ anula denúncia na Justiça de MG

Folha de S. Paulo

  • Defasagem no preço dos combustíveis gera risco ao abastecimento, afirmam entidades do setor
  • Atividade econômica cai 1% em agosto, diz Monitor do PIB da FGV
  • Mercados reforçam segurança para evitar furto de carne; Procon vai multar Extra
  • Trabalhador poderá usar FGTS para comprar ações da Eletrobras
  • Brasil terá juro alto por mais tempo e crescimento será ainda pior em 2023
  • Bolsa fecha em queda de 3,3% e dólar sobe 1,35% a R$ 5,59
  • A novela dos programas sociais sob Bolsonaro
  • Para analistas, furar teto é dar com uma mão e tirar com outra
  • Bolsonaro mira eleição e pede auxílio de R$ 400 que fura teto
  • Juízas afegãs ameaçadas pelo Talibã chegam ao Brasil após ação de resgate
  • Comissão do Senado dos EUA veta uso de verbas para remover quilombolas em Alcântara
  • Ipen paralisa mais uma vez produção de radiofármaco
  • Estudo aponta diferentes respostas protetoras após vacina e cura da Covid
  • Brasileiros são a população que mais se preocupa com sua saúde mental

Valor Econômico

  • Valor de auxílio ameaça teto de gastos e abala mercados
    Ideia do governo é pagar o valor de R$ 400 a 17 milhões de famílias que estão incluídas no Auxílio Brasil; o custo anual supera os R$ 80 bilhões
  • Ideia preocupa especialistas em contas públicas
    Economistas acreditam que a ideia de elevar o Auxílio Brasil a R$ 400 mensais com parte do valor contabilizado fora do teto de gastos é eleitoral e ameaça crescimento
  • Sem reformas, Brasil terá só 27% da renda dos EUA em 2060
    Padrão de vida será inferior ao de China e Índia, diz OCDE
  • Instituto defende preços livres para os combustíveis no Brasil
    Para IBP, medida traria mais competição ao mercado e facilitaria atração de investimentos
  • Crime ambiental rende até US$ 281 bi por ano
    Principais atividades são desmatamento ilegal; América do Sul e Central concentram ações, diz relatório
  • Decreto deve facilitar reparação para empresa afetada por subsídio
    Legislação atualiza regras sobre direitos compensatórios a subsídios, que datavam de 1995
  • Senado aprova criação de subsídio a gás de cozinha
    Programa Gás para Brasileiros atenderá a população de baixa renda e a previsão é que dure cinco anos
  • Solução é eleitoral e ameaça crescimento, dizem economistas
    Violação fiscal piora câmbio, inflação e juros e atinge a própria população, apontam analistas
  • Falta de contêineres agrava logística global, diz OMC
    Empresas de transporte marítimo enfrentam dificuldade para acompanhar recuperação no comércio
  • Planos de produção de combustíveis ignoram Acordo de Paris
    Os governos ainda planejam produzir em 2030 mais do dobro da quantidade de combustíveis fósseis do que seria consistente com a meta de limitar o aquecimento global a 1,5°C neste século, alerta o Pnuma
  • Empreendedorismo pode dissimular realidades precárias
    Lei trabalhista e tributação desafiam ambiente empreendedor no país, dizem especialistas
  • Nova rodada capta recursos de impacto para Amazônia
    Sitawi Finanças do Bem quer captar R$ 1,4 milhão para duas cooperativas
  • Após o chip, agora magnésio ameaça montadoras
    Devido a reduções de produção na China, os estoques do metal usado na produção de alumínio para veículos e peças estão perigosamente baixos em toda a Europa
  • Alta de tributos pode afetar oferta de ‘minerais do futuro’ e descarbonização
    A contribuição de royalties do setor deve alcançar cerca de R$ 10 bilhões até o fim do ano
  • Gasolina cara afeta aluguel de veículos
    Motoristas de aplicativos já devolveram 30 mil veículos desde junho por aumento nos custos
  • Brasil fica atrás na corrida por talentos
    Índice de competitividade global mostra dificuldade do país em reter e atrair profissionais
  • Valorizado, algodão ganha mais espaço no país
    Brasil deve ampliar produção em 2021/22; em setembro, cotações atingiram seu maior nível desde 2011
  • Exportação de soja aumenta e já vai superar o volume total de 2020
    Entre janeiro e outubro, os embarques deverão chegar a 82,4 milhões de toneladas, ante as 82,3 milhões do ano passado
  • Boi gordo cai, mas preço da carne no varejo segue firme
    Embargo chinês ao produto do Brasil tem reflexos no campo
  • BNDES terá crédito rural para custeio a juros de mercado
    Nova linha, de R$ 500 milhões, será destinada a agricultores familiares e médios produtores
  • Sequestro de dados desafia organizações
    Setores mais atingidos por ataques com pedido de resgate são indústria, saúde, governo e finanças
  • Área da saúde é uma das mais visadas pelo cibercrime
    No Brasil, o setor foi o segundo mais atacado entre abril e setembro, com média de 1,7 mil tentativas de invasão por semana
  • Vendas de seguros contra hackers devem crescer 136%
    Previsão da Fenseg é de prêmios de R$ 101,7 milhões em 2021, contra R$ 43 milhões em 2020
  • Cybertechs criam ferramentas para impedir fraudes
    Soluções fazem identificação biométrica por reconhecimento de voz e utilizam inteligência artificial
  • Sofisticação do invasor qualifica startups para mercado internacional
    É crescente o uso de “identidades sintéticas”, que mesclam dados falsos com verdadeiros obtidos em documentos de pessoas mortas
  • Plataformas de e-commerce fortalecem as barreiras
    Canais especiais permitem que consumidores reportem vulnerabilidades de segurança de produtos ou serviços
  • Campanhas educativas evitam golpes
    Fraudes comuns incluem falsas centrais de atendimento e falsidade ideológica pelo WhatsApp
  • Processos remotos na saúde trazem riscos adicionais
    Hospitais investem em formatos mais seguros para o teletrabalho
  • Vendas por redes sociais precisam de atenção
    Migração em massa aconteceu durante a pandemia

Manchete nos Jornais desta Terça-feira, 19 de Outubro de 2021

Sem exportar para a China, queda de preço da carne chega ao consumidor
China e pecuária brasileira se estudam antes de tomarem os novos passos. Os chineses, após a compra de 220 mil toneladas de carne bovina do Brasil no acumulado de agosto e setembro.(Folha)

Desaceleração chinesa deve retardar Brasil na retomada
Avanço menor da segunda economia global afeta todos, mas exportadores de produtos básicos perderão mais.Dados do terceiro trimestre mostram que o país asiático, que já chegou a registrar avanços de dois dígitos em seu Produto Interno Bruto e se tornou o principal consumidor de commodities do planeta, cresceu 4,9% no período, 7,9% abaixo do trimestre anterior e 18,3% atrás do primeiro.Pesaram a crise energética, interrupções nas cadeias de abastecimento, surtos da variante delta do coronavírus e as dívidas imobiliárias.(Folha)

China mantém veto à carne brasileira e deixa autoridades perplexas
Suspensão de remessas após casos de vaca louca ameaça comércio de US$ 4 bi ao ano; de janeiro a julho, 490 mil toneladas foram exportadas. As autoridades brasileiras estão cada vez mais preocupadas com a proibição chinesa da carne bovina do Brasil, que já dura mais de um mês.(Folha)

Preço de passagem aérea dispara com oferta reduzida
A tendência, porém, é que preço médio caia no ano que vem, dizem especialistas.(Folha)

Gasolina sobe 3,3% na semana com repasse de reajuste
rio de janeiro Com o reajuste promovido pela Petrobras, o preço da gasolina nos postos subiu 3,3% na semana passada, com valor médio de R$ 6,321 por litro, segundo a ANP(Folha)

Bancos lucram R$ 62 bi e voltam a nível pré-Covid
Diretor do BC diz que no sistema financeiro o estresse da pandemia passou, e o aumento chega aos 53% em relação ao mesmo período do ano passado.(Folha)

Serasa amplia informações na análise de perfil do consumidor
A partir desta segunda-feira (18), consumidores podem permitir que a Serasa conecte contas bancárias a seu perfil e libere informações de transações realizadas.(Folha)

Cresce pressão sobre Guedes por benefício
Divisão entre equipe econômica e a ala política do governo se aprofunda na busca por recursos orçamentários
A menos de duas semanas para o fim do auxílio emergencial, o Palácio do Planalto aumentou a pressão sobre o ministro Paulo Guedes (Economia) por uma solução para os pagamento. (Folha)

Estados avaliam congelar ICMS de combustíveis
Sob pressão diante da alta no preço dos combustíveis, uma parte dos estados defende o congelamento da base de cálculo do ICMS (imposto estadual) (Folha)

Governo leva vantagem na Comissão de Ética
Sob Bolsonaro, equipe econômica ganhou 84% das decisões que chegaram ao colegiado; em 2018, eram 39%
Os integrantes do Ministério da Economia, do Banco Central e dos bancos federais receberam decisões favoráveis em 84% das análises da Comissão de Ética da Presidência (Folha)

Desigualdade sistêmica
Baixa mobilidade social perpetua miséria. No passado, o esforço individual permitiu que milhões de jovens de baixa renda ascendessem socialmente ao redor do mundo. Diversas profissões não requeriam deles elevado nível de qualificação. Predominava o trabalho braçal. Nesse contexto, era mais factível para os desfavorecidos prosperar e criar melhores condições de vida para suas famílias. Entretanto, esse cenário mudou. Com o passar do tempo, o mundo do trabalho se transformou. O progresso tecnológico aumentou a demanda por mão de obra altamente qualificada e portadora de habilidades complexas. Para atender às novas exigências do mercado, famílias de alta renda passaram a investir intensamente na formação de seus filhos.Contudo, na ausência de um sistema educacional público de qualidade, investimentos privados na educação representam consideráveis vantagens para os descendentes da elite adquirirem melhor qualificação e, assim, ocuparem os empregos que apresentam maiores remunerações. Fora do mercado de trabalho, eles também têm altas chances de obter posições de prestígio em praticamente todo contexto. Na política, sabe-se que países com expressiva desigualdade tendem a apresentar maior concentração de poder em determinados grupos ao longo do tempo. O caso brasileiro é emblemático. Algumas poucas famílias tradicionais detêm considerável poder para manter suas vantagens e, até mesmo, para influenciar nos rumos do país.(Folha)

Pará busca negócios verdes para municípios que desmatam
o Pará foi o segundo estado da Amazônia Legal que mais desmatou em janeiro de 2021 —o desmatamento total da Amazônia foi de 196 km², o Pará respondeu por 30%. No primeiro dia do Fórum Mundial de Bioeconomia, em Belém, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), assinou um decreto que cria a Estratégia Estadual de Bioeconomia, com foco no desenvolvimento de municípios paraenses com maior desmatamento na Amazônia. O estado vai ser o primeiro a receber investimento em sistemas agroflorestais de um fundo voltado ao meio ambiente e desenvolvimento sustentável instituído pela Amazon. A professora e agora também empreendedora Kariane Nunes fundou com quatro amigas uma startup de biocosméticos que aposta em negócios verdes na Amazônia. “Cada mulher tem um cabelo diferente. Então, a gente personaliza a fórmula e traz um pedacinho da floresta, através de inteligência artificial. Nós temos parcerias com um coletivo de mulheres extrativistas da Floresta Nacional do Tapajós. A ideia é trabalhar junto com elas, desenvolvendo os produtos e adquirindo matérias-primas, fazendo inovação e tecnologia dentro da Amazônia”, explica. (Folha)

Custo com térmicas vai pesar mais nas contas
Descompasso entre arrecadação e despesas decorrente do acionamento de usinas pode dobrar até o fim do ano. A crise elétrica, provocada pela queda no nível dos reservatórios das hidrelétricas, deve continuar pressionando a conta de luz em 2022, mesmo com a melhora do cenário de chuvas. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • ‘Bolsonaro se acha dono da Petrobras e procede como tal’
  • Fundo canadense e Votorantim criam empresa de energia de R$ 17 bi
  • Custo com térmicas vai pesar mais nas contas
  • PIB da China desacelera no terceiro trimestre e coloca mundo em alerta
  • Governo diz que País terá alta no PIB de 1% no biênio
  • Presidente da Câmara engrossa coro pela extensão do auxílio emergencial
  • Petróleo recua com temores sobre China e EUA
  • Bolsa cai e dólar sobe com desaceleração
  • Mercado já estima inflação de 8,7% no ano
  • Governo avalia auxílio de R$ 400

O Globo

  • Governo federal cria autarquia para fiscalizar instalações nucleares
  • Fim dos supersalários é defendido por 93% dos brasileiros, diz Datafolha
  • Dólar sobe 1,23%, a R$ 5,51, e Bolsa recua 0,19%
  • Como isso afeta o Brasil?
  • PIB chinês desacelera e cresce abaixo do esperado no 3° trimestre
  • Na maior seca em 91 anos, Cacique Cobra Coral oferece serviços ao governo
  • Botijão de gás já custa em média mais de R$ 100 no país
  • Bolsonaro indica que deve prorrogar auxílio
  • A casa é a garantia
  • Vox articula aliança anticomunista na América Latina
  • China nega teste de míssil que dificulta interceptação
  • Um dos arquitetos da invasão do Iraque, marcado por mentir na ONU
  • ‘Chegaram em casa contando histórias do primeiro dia’

Folha de S. Paulo

  • Governo leva vantagem na Comissão de Ética
  • Estados avaliam congelar cálculo do ICMS sobre combustível até fim do ano
  • Planalto pressiona Guedes para garantir renda de Auxílio Brasil
  • Serasa amplia informações na análise de perfil do consumidor
  • Preocupação com inflação e risco político cresce nas instituições, diz BC
  • Bancos lucram R$ 62 bi e voltam a nível pré-Covid
  • Gasolina sobe 3,3% na semana com repasse de reajuste
  • Preço de passagem aérea dispara com oferta reduzida
  • China mantém veto à carne brasileira e deixa autoridades perplexas
  • Desaceleração chinesa deve retardar Brasil na retomada
  • China nega ter feito disparo de míssil hipersônico nuclear
  • Biden vai à Suprema Corte contra lei antiaborto do Texas
  • Análise – Carlos Eduardo Lins da Silva: General manteve admiração apesar de mancha em discurso na ONU
  • Morre aos 84 Colin Powell, que redefiniu política externa dos EUA
  • Capes tem déficit de R$ 124 mi para pagar bolsas até fim do ano
  • Governo cobra Pontes a ‘jogar junto’ e não criticar os cortes
  • Intervalo da segunda dose da Pfizer contra Covid cai para 21 dias em SP

Valor Econômico

  • Cresce o pessimismo na área de infraestrutura
    Pesquisa semestral da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base revela ser alto (50,3%) ou médio (38,3%) o impacto da inflação sobre as empresas de 167 gestores entrevistados
  • Saques da poupança aumentam
    Até 8 de outubro, os números do Banco Central indicam um saldo de resgates líquidos de R$ 20,6 bilhões
  • Maioria apoia passaporte da vacina, diz pesquisa
    Medida tem o apoio de 54% a 80% da população conforme o caso, indica levantamento da UnB e do IBPAD
  • Mais cidades não cumprirão gasto mínimo com educação
    Estimativa é que mais de 800 prefeituras não destinem 25% das receitas para a área neste ano, ante cerca de 300 em 2020
  • IGP-M alto dispara renegociação e troca de indexador para aluguéis
    Mercado imobiliário assiste a corrida para substituição de cláusulas de reajuste
  • Decreto muda regra para ações antissubsídio
    Segundo o governo, a norma dará “maior previsibilidade nas investigações de subsídios conduzidas pelo Brasil”
  • Comissão Especial na Câmara deve votar hoje PEC dos precatórios
    Mudança na constitucional irá alterar dinâmica no mercado de negociação das dívidas
  • Mudança em resolução pode extinguir pedidos de registro de 67 partidos
    Alteração foi aprovada por unanimidade em uma sessão do plenário virtual
  • Xi está determinado a seguir com as reformas apesar da desaceleração
    Apesar da expansão de 4,9% do PIB no terceiro trimestre, analistas acreditam que o líder chinês está determinado em evitar recorrer à cartilha tradicional de investimentos, alimentada por créditos, para estimular o crescimento
  • EUA lançam financiamento para AL para rivalizar China
    Washington quer retomar posição de principal financiador da infraestrutura de países da região
  • Recuperação econômica verde e social nas cidades
    É hora de municípios, Estados e o governo federal unirem forças para gerar o crescimento na mesma direção das principais economias do mundo
  • A vingança das cadeias de suprimentos
    Pontos fracos do sistema de produção global se tornaram maiores agora
  • Estudo estima perda de chuvas em MT com desmate no Xingu
    Levantamento mostra também que pode haver secas mais prolongadas, que coloquem em risco a agricultura e eventualmente impeçam o plantio de segunda safra em áreas do Estado
  • Votorantim e CPP criam elétrica de R$ 17 bi de valor de mercado
    Transação envolve ativos do grupo e do fundo canadense, uma comercializadora de energia, capitalização de R$ 1,5 bilhão e listagem no Novo Mercado
  • Expansão de ferrovias ampliaria a força do agro, confirma estudo
    Além de baixar custos de transporte, modal pode ajudar a reduzir emissão de gases
  • Desigualdade afeta fluxo da poupança
    Análise do fluxo mostra que mais ricos aumentaram aportes, e mais pobres retiraram dinheiro. Saques podem ser revertidos com alta da Selic. Alta de juros acima de 8,5% dispara mudança de regra de rendimento da poupança
  • Alta da inflação é o que mais preocupa bancos
    Relatório do BC alerta também para aumento de inadimplência no crédito imobiliário com recursos do FGTS
  • Tribunal altera entendimento sobre contratação de trabalhador em porto
    Para TST, recrutamento deve ser feito por meio do Órgão Gestor de Mão de Obra
  • Crimes cibernéticos estão mais graves, diz PwC
    Pandemia provocou aumento das invasões; só neste ano foram 1.190 vazamentos de dados devido a ações de sequestro de informações

Manchete nos Jornais desta Segunda-feira, 18 de Outubro de 2021

Municípios com DNA sustentável recebem R$ 1,6 bi Conhecidas como bancos de “última milha, as agências de fomento brasileiras irrigaram R$ 1,6 bilhão para o financiamento de projetos dos municípios com DNA de desenvolvimento sustentável , entre 2019 e 2020. Esse mapa acaba de sair do forno. (Estado)

Investimentos nas cidades encurtam a distância para metas globais. O financiamento de projetos de desenvolvimento sustentável nos municípios permite aos bancos de fomento. (Estado)

Falta de luz e internet impede que 7 milhões façam trabalho remoto
Infraestrutura precária limita potencial de emprego a distância a 17,8% da mão de obra brasileira na pandemia.Mais de 7 milhões de brasileiros têm empregos que poderiam ser realizados virtualmente, mas, por falta de uma infraestrutura mínima em suas casas, não conseguem trabalhar de forma remota.Esse contingente representa 7,8% da população ocupada (dados de 2019. São trabalhadores em áreas como pesquisa, administração, tecnologia e magistério que não contam com serviços como acesso contínuo a energia elétrica e internet em suas residências e, muitas vezes, não têm um computador.A existência de uma parcela tão significativa da mão de obra brasileira nessa situação faz com que o potencial de trabalho remoto do Brasil seja de apenas 17,8%. Além da possibilidade de trazer ganhos de qualidade de vida para os funcionários, o teletrabalho permite às empresas cortar custos, reduzindo, potencialmente, o risco de demissões em meio a crises como a atual. (Folha)

Caminhoneiros ameaçam fazer nova paralisação
Eles exigem cumprimento do frete mínimo e nova política de preços para combustíveis no Brasil.
A definição ocorreu após assembleia organizada por três entidades no Rio, incluindo participantes que lideraram a greve de 2018.A interlocução com o governo será via Frente Parlamentar do Caminhoneiro Autônomo e Celetista, presidida pelo deputado federal Nereu Crispim (PSL-RS).“Nós, caminhoneiros autônomos do Brasil, estamos em estado de greve”, disse Crispim em vídeo. “Significa dizer ao governo Bolsonaro que o prazo de três anos que ele teve para desenvolver, desencadear, melhorar a vida do transportador autônomo não foi cumprido.” (Folha)

O Estado de S. Paulo

  • ‘O investidor global não pensa hoje no Brasil’
  • Abrir capital em Wall Street vira alternativa
  • Déficit no setor químico chega a US$ 40,3 bi em 12 meses
  • Agronegócio tem superávit de US$ 8,8 bi em setembro
  • ‘Não sou candidata a nada, mas sou uma pessoa política’
  • BC chinês trabalha para evitar os riscos da Evergrande
  • Caminhoneiros marcam greve, mas governo vê ameaça vazia
  • Investimentos nas cidades encurtam a distância para metas globais
  • Municípios com ‘DNA sustentável’ recebem R$ 1,6 bi
  • Antes motor para o PIB, cenário externo agora puxa projeções para baixo
  • Livros retornam; livrarias, não

O Globo

  • Janela financeira: Alta de 26% nas receitas alimenta planos de governadores para 2022
  • Projetos buscam contornar regras eleitorais

Folha de S. Paulo

  • Ações globais de tecnologia lideram indicações para Bolsa
  • Opinião – Thyago Carvalho Marques: O mercado de capitais e o impulso da transformação digital dos negócios
  • Caminhoneiros ameaçam fazer nova paralisação
  • Ministério confirma reunião com equipe de Cacique Cobra Coral
  • Fórum de bioeconomia no PA atenua atraso do Brasil na área
  • Falta de luz e internet impede que 7 milhões façam trabalho remoto
  • Ministério aposta em spray contra a Covid à base de nióbio
  • Depois de trauma pessoal, jovens decidem fazer faculdade de medicina
  • Distribuição de absorventes patina também em sete estados e no DF
  • Projeto leva teleconsulta para moradores isolados no Pará
  • Dose de heparina que evita morte por Covid é 4 vezes a da OMS
  • Governo tem R$ 2,3 bi sem uso para comprar vacinas

Valor Econômico

  • Com juro mais alto, cresce fluxo para crédito privado
    Segundo analistas, gestores têm buscado posições arriscadas para melhorar seu desempenho, como a compra de papéis de longo prazo, que pagam spreads acima de 2%
  • Acordo da Petrobras é contestado
    Acerto levou 20 anos para ser fechado e fixou o pagamento de R$ 1,4 bilhão para reparar acidente ambiental com o vazamento de 4 milhões de litros de óleo em rios do Paraná
  • Escassez incentiva a ampliar capacidade
    Governos e empresas poderiam, no futuro, fazer simulações de cenários de guerra para evitar surpresas
  • Pandemia provoca mudança estrutural no trabalho nos EUA
    Nova situação obriga empregadores a se adaptarem, com mais investimentos em salários e em automação

Manchete nos Jornais deste Domingo, 17 de Outubro de 2021

Atendimento é a receita dos botecos campeões de São Paulo
José Célio, em seu bar, toca do Buda, segundo lugar na edição deste ano do Comida Di Buteco na capital; para os donos dos cinco botecos primeiros colocados no concurso, o atendimento é a alma do negócio, cirando verdadeiras famílias entre os funcionários e a clientela. (Agora)

Avanço da vacinação incentiva retorno de grandes empresas ao trabalho presencial
Em certos dias, grandes companhias, como o Magalu, já ocupam mais da metade do espaço do escritório.(Estado)

Receio é de que home office afete promoções
Pesquisas mostram que pessoas gostam de trabalhar de casa, mas temem represálias se não retornarem ao modelo presencial. O período de pandemia fez com que o home office fosse mandatório para todas as empresas e muito aprovado pelos funcionários. (Estado)

Brasileiros miram investimento externo
Busca por opção fora do País cresceu 44%. Segundo o Banco Central, o total de investimentos financeiros fora do País somou US$ 61,6 bilhões em agosto, um aumento de 44% em relação ao fim de 2020. Nem o dólar valorizado esfriou essa procura por segurança. (Estado)

O 1º choque de energia da era verde
Há graves problemas na transição para a energia limpa, com a meta de zerar emissões de carbono Sem oferta de energia abundante, contas encarecem, casas congelam e negócios ficam estagnados. No próximo mês, líderes de todo o mundo vão se reunir na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP26), dizendo o que pretendem fazer para zerar as emissões globais líquidas. (Estado)

‘Temos de acreditar na terceira via para 2022’, afirma Roberto Setubal
Acredita que os favoritos à disputa hoje – o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula – já tiveram sua chance, mas não conseguiram fazer as reformas necessárias para o crescimento sustentado do Brasil. No caso de Bolsonaro, diz que a gestão é decepcionante em relação ao que foi prometido na campanha. Na verdade, vejo a economia brasileira em decadência. Estamos há aproximadamente 40 anos sem crescimento da renda per capita. Isso é gravíssimo e, de certa forma, é diferente do que aconteceu no mundo. Vários países eram pobres há 50 anos e, hoje, estão se aproximando da renda dos países desenvolvidos. Nós, nos últimos 40 anos, tivemos momentos de melhora, como quando se controlou a inflação. Mas, de forma geral, continuamos no mesmo nível de renda de 40 anos atrás. Isso é um desastre do ponto de vista social. Não vamos melhorar a renda das pessoas sem crescimento. Eu acho que o País não vem focando no crescimento. A economia precisa de um choque. Precisamos entrar numa agenda forte de reformas, que precisam focar no aumento da produtividade da economia e no aumento dos investimentos. Abertura econômica também aumenta a produtividade. Sem falar numa reforma tributária. Temos um sistema tributário muito complexo e repleto de distorções, que foi sendo criado por remendos com objetivo único de aumentar a arrecadação. Não tem qualquer objetivo de justiça social, nem de fazer a economia alocar recursos eficientemente. A estrutura partidária do Brasil hoje, com, sei lá, mais de 30 partidos no Congresso, torna muito difícil conseguir uma maioria efetiva para aprovar reformas. Quando se propõe uma mudança hoje, com 30 partidos, para se formar essa maioria acaba fazendo muitas concessões, muitas coisas que acabam descaracterizando os projetos. Isso quando se consegue aprovar. É necessário reduzir o número de partidos. Nos últimos meses, empresários, empresas e associações têm manifestado inquietação com os rumos do País, com uma ênfase que não se via antes. (Estado)

O Estado de S. Paulo

  • ‘Questões ambientais, de diversidade e de inclusão são demandas justas da sociedade’
  • ‘Temos de acreditar na terceira via’
  • Avanço da vacinação incentiva retorno de grandes empresas ao trabalho presencial
  • Disputa por ‘super-ricos’ acirra rivalidade entre bancos e plataformas
  • Brasileiro nunca investiu tanto lá fora
  • Além do clima, o desafio da biodiversidade
  • Escolas planejam pós-pandemia com natureza, convivência e tecnologia
  • O 1º choque de energia da era verde

O Globo

  • Toyota anuncia corte de até 15% em sua produção
  • Teste do Censo em Paquetá foi quase 100% presencial
  • Saúde mental dos trabalhadores piorou na pandemia
  • Turismo reaquece com vacinação e já abre vagas
  • ‘Vamos estar nos leilões, com o apetite de sempre’
  • ‘Toda pandemia na história teve começo, meio e fim’
  • A advogada à frente do cofre de R$ 1 bilhão do novo partido
  • Governo atrasa divulgação de 930 bases de dados públicos
  • Projetos polêmicos que ganharam ritmo mais veloz
  • Urgências do presidente: Lira lança mão de instrumentos para acelerar projetos de seu interesse

Folha de S. Paulo

  • Construção civil busca amenizar impactos socioambientais
  • Teste para Censo marca volta do IBGE a pesquisas presenciais
  • Bolsonaro mantém subsídios intactos apesar de promessa
  • Mobilidade social continuará reduzida nos próximos anos
  • Classe D/E deve perder renda apesar de auxílio
  • SP quer ‘modelo Disney’ para desenvolver destinos turísticos
  • Portugal e Argentina reabrem fronteiras e disputam brasileiros em busca de férias
  • Vacina libera turismo e setor prevê volta de viagens no fim do ano
  • Grupo da UFABC desenvolve nanocomposto para tratar câncer
  • Pesquisadores relatam agressões e ameaças de morte durante a pandemia

Manchete nos Jornais deste Sábado, 16 de Outubro de 2021

Internações despencam 90% em São Paulo com vacinação
Secretaria ressalta que ainda há doentes, e cuidado se mantém necessário. O fato de as internações despencarem, mas incluírem pacientes totalmente vacinados, aponta que cuidados ainda são necessários para evitar a contaminação. (Folha)

Fiocruz negocia pílula contra Covid para o SUS
O antiviral molnupiravir, desenvolvido pela farmacêutica MSD é apontado como aposta de tratamento nos primeiros dias de sintomas da Covid. A pílula de uso oral reduziu em cerca de 50% o risco de hospitalização e morte para pacientes que podem desenvolver formas graves, de acordo com dados preliminares da empresa. (Folha)

O que é necessário para a pandemia da covid-19 chegar ao fim no Brasil.
Especialistas avaliam que , em breve o país passará a conviver com o vírus em uma taxa de menor transmissão (ZH)

Quem já teve Covid responde melhor à ação das vacinas
Ciência tenta decifrar a chamada “imunidade híbrida”. Pesquisa da Universidade Rockefeller identificou que pessoas infectadas com o vírus, quando vacinadas, desenvolvem anticorpos mais poderosos – inclusive variantes, a comunidade científica agora discutem se o recuperado e vacinado, irá precisar de reforço, no entanto ainda dão alerta para a importância da vacina como meio de proteção, para evitar riscos a vida, uma vez que ninguém sabe como o corpo irá reagir se infectado. (O Tempo)

Prova de vida do INSS será feita no mês de aniversário
Nova regra começa a valer em 2022, pois até dezembro segurados não são obrigados a fazer a comprovação. Outra mudança, foi definida também nesta portaria novas datas da fé de vida para segurados há mais tempo sem fazer a atualização. (Agora)

O Estado de S. Paulo

  • Petrolífera da Austrália busca ativos no Brasil
  • Volks terá só um turno na fábrica de São Bernardo
  • Ao vender lojas do Extra, GPA ganha fôlego para investir
  • 40% das vendas da Novo Mundo já são pela web
  • Com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas
  • Governo propõe R$ 70 bilhões a menos para regra de ouro
  • União tenta agilizar leilão de aeroportos
  • Prévia do PIB recua 0,15% em agosto
  • Inflação pesa 20% a mais para pobres
  • INSS diz que vai acelerar concessão de novos benefícios
  • Técnicos rejeitam mudança de tarifa para conta de luz
  • Falta de fertilizantes complica plantio e sinaliza mais inflação na mesa em 2022
  • Estados baixam normas legais para garantir a proteção
  • Transições energéticas levam décadas, não anos: Adriano Pires
  • CPI da Covid foi uma cria nova da política tradicional: Mário Scheffer

O Globo

  • IBC-Br, considerado prévia do PIB, recua em agosto
  • Lewandowski vota a favor da desoneração da folha de pagamento
  • Volks vai suspender contratos de 1,5 mil funcionários
  • Com lojas Extra, Assaí prevê vendas de R$ 100 bi
  • Contexto: Sobretaxa de Escassez Hídrica foi adotada para evitar aumento maior no próximo ano
  • Conta de luz mais alta em 2022
  • EUA liberarão entrada com vacina a partir de 8/11
  • Bolsonaro congela recursos de Ciência e Tecnologia
  • Cinzas das queimadas compõem painel gigante em SP
  • Anvisa dá status de suplemento a substância para tratar insônia
  • Viciados em jogos eletrônicos
  • País conta com drogas eficazes contra a obesidade

Folha de S. Paulo

  • Brasil conviverá com real mais fraco por bastante tempo, diz Pastore em novo livro
  • Grupo Pão de Açúcar desiste de bandeira Extra Hiper e faz acordo de até R$ 5,2 bi com Assai
  • Governadores erram sobre mudança do ICMS, diz Lira
  • Elétricas caem na Bolsa após presidente dizer que reduzirá a bandeira tarifária
  • CVM rejeita ação da Eldorado contra a Paper
  • Creg contraria Bolsonaro e diz que crise requer atenção
  • 1.500 trabalhadores da Volkswagen terão lay-off em São Bernardo do Campo
  • Huawei não é confiável, diz embaixador interino dos EUA
  • Para Campos Neto, novos choques podem impedir volta à meta
  • Inflação para os mais pobres encosta em 11% no acumulado de 12 meses, aponta o Ipea
  • Atividade econômica cai 0,15% em agosto, diz indicador do BC
  • Bolha de riqueza em Brasília contrasta com bolsões vizinhos de miséria no DF
  • Decisão sobre uso de máscaras caberá a municípios
  • Governo reduz o intervalo entre doses de AstraZeneca
  • Fiocruz negocia produção de pílula contra Covid para distribuir no SUS